domingo, 27 maio, 2018

8 coisas que você não sabia, mas podem piorar a candidíase

Usar roupa úmida por muito tempo e consumo excessivo de doces podem desencadear a doença

Coceira e vermelhidão na área vaginal, corrimento branco e agrupado, dor para urinar ou nas relações sexuais: os sintomas característicos da candidíase vaginal não são desconhecidos das mulheres, já que a doença é bem comum. Mas isso não quer dizer que ela não mereça cuidados constantes.

O primeiro passo é entender como a candidíase funciona. O fungo Candida, geralmente Candida albicans, é o responsável pela infecção. Ele existe em pequenas quantidades no organismo da mulher e convive perfeitamente bem com outras bactérias na flora vaginal, inclusive protegendo a região íntima. O problema é que alguns hábitos ou mudanças na rotina podem causar um desequilíbrio no organismo e promover a proliferação do fungo, que se reproduz com bastante facilidade na região genital da mulher.

Apesar de não ser uma infecção alarmante, não é natural enfrentar os sintomas da doença com frequência. Quando a candidíase se manifesta mais de quatro vezes ao ano, ela se torna recorrente e precisa ainda mais de ajuda médica. Ao notar sintomas de candidíase, procure um ginecologista, especialidade médica que diagnostica e trata a doença.

Além de procurar o médico, é preciso ficar de olho em alguns detalhes do dia a dia que podem piorar a candidíase. Usar roupas muito justas ou exagerar nos carboidratos durante as refeições são alguns exemplos. Mas o bom disso tudo é que dá para virar esse jogo.

Veja abaixo o que pode piorar a candidíase e evite essas situações:

Doces e carboidratos além da conta

Carboidrato é bom e todo mundo gosta, certo? Inclusive o fungo da candidíase. Alimentos ricos em carboidratos simples, como arroz e farinha branca, criam o cenário perfeito para o desenvolvimento da infecção. Para começar, o carboidrato altera o pH da região íntima, tornando o meio mais ácido1 e propício para a proliferação dos fungos. E não para por aí: os carboidratos e alimentos ricos em açúcar liberam glicose no organismo, fonte de energia ideal para as células de Candida albicans.

Com o pH ácido e glicose liberada, os fungos aproveitam para expandir suas colônias pelo organismo. Em um quadro de candidíase instalado, a dica é consumir os alimentos citados com moderação.

Ingerir bebida alcoólica

Alguns tipos de bebidas alcoólicas possuem um alto teor de carboidratos1, o que mantém o nível de açúcar no sangue alto, um prato cheio para os fungos10, como vimos no item anterior. A dica é passar uma temporada longe das bebidas com teor alcoólico até o organismo se recuperar.

Roupas íntimas ou de banho úmidas

A praia parece o lugar perfeito para usar aquele biquíni bonito e versátil o dia inteiro, não é mesmo? No mar, na areia, na piscina, na festa com os amigos à noite. Nesse ritmo, esquecemos que é extremamente importante trocar as roupas de banho por peças limpas e secas.

Além de um pH mais ácido, os fungos da infecção se multiplicam com facilidade em ambientes quentes e úmidos. Por isso, passar o dia inteiro com o biquíni molhado ou a calcinha úmida de suor depois de um treino intenso na academia, por exemplo, contribui para o agravamento da candidíase. Não secar a região íntima direito depois do banho também pode levar à infecção.

Lingeries e roupas íntimas sintéticas

Imagine a situação: a região íntima já é, por natureza, um pouco úmida e abafada, levando em conta que sempre tem alguma peça de roupa sobre essa parte do corpo. As condições naturais, portanto, não são tão favoráveis assim para combater a candidíase, pois os fungos adoram o calor para formar novas e numerosas colônias.

Diante disso, a solução é fugir de lingeries e outras peças íntimas feitas com material sintético, que impedem a ventilação das partes baixas e pioram a coceira. Lembre-se que o conforto é um bom aliado no combate à candidíase; escolha, portanto, peças de algodão, mais soltinhas, para enfrentar a batalha contra os fungos.

Uso de antibióticos

Como explicamos, o fungo responsável pela candidíase já existe na flora vaginal, convivendo em perfeita harmonia com outras bactérias que protegem a região. Os antibióticos de amplo espectro, ou seja, aqueles que funcionam contra muitas doenças, podem acabar bagunçando a paz da flora vaginal, matando as bactérias “do bem” . Com o território livre, as leveduras começam a crescer e se multiplicar, como no caso do fungo Candida albicans. É aí que a candidíase começa a incomodar. Conversar com o médico é o caminho mais adequado nestes casos.

Sucos de frutas muito doces

Optar pelo suco em vez da fruta in natura parece mais gostoso para muita gente. O problema é que ele tem uma concentração de açúcar muito mais alta. Comer frutas muito doces no período da candidíase já é um pouco problemático, uma vez que os açúcares e amidos presentes nos alimentos são rapidamente transformados em glicose, componente fundamental para a reprodução dos fungos no organismo. Portanto, prefira a versão in natura e não tão doce das frutas.

Roupas justas, justíssimas

Pense na flora vaginal como um organismo vivo, que respira. Vestir roupas justíssimas, como calças jeans skinny, leggings e meias-calças, acaba “sufocando” a região, que se torna mais úmida, abafada e quente com o tempo.

Os fungos são extremamente propícios à reprodução nestas condições. A dica dos especialistas é encarar o processo de recuperação da infecção com total liberdade, abusando de roupas largas, soltinhas e com tecidos leves, sempre que possível.

Estresse e noites mal dormidas

Saúde emocional e física caminham lado a lado. Quando essa parceria entra em desequilíbrio, o corpo sente e apresenta sintomas diversos. Com a candidíase também funciona assim. O estresse emocional costuma dar uma mãozinha para a infecção fúngica, já que ele compromete o sistema imunológico.

Tente se esforçar para escutar o que seu corpo tem a dizer. Pode ser um pedido de ajuda ou um sinal de que você está dormindo muito menos do que deveria. Se for preciso, dê uma pausa na correria e coloque sua recuperação em primeiro lugar. Parece complicado, mas alguns hábitos muitos simples podem te ajudar a ficar com a mente mais calma.

O primeiro deles é respirar direito. A respiração diretamente relacionada às nossas emoções e pode ajudar a controlar momentos de ansiedade. Práticas como yoga e meditação podem ajudar.

Além disso, que tal rir mais? Isso mesmo, a risada pode estar relacionada ao controle do estresse. Isso porque o bom humor libera endorfina, hormônio que promove a sensação de bem-estar. Pois é, agora você tem o motivo perfeito para sair e se divertir muito. Que tal fazer isso hoje mesmo?

(Minha Vida) 

 

Ad

Outras notícias