segunda-feira, 25 junho, 2018

Polícia Militar recupera motocicleta furtada em Presidente Venceslau

Na madrugada do dia 14 de novembro de 2016 (segunda-feira), Policiais Militares de Presidente Venceslau/SP recuperaram uma motocicleta que havia sido furtada no município.

Os patrulheiros realizavam atendimento de ocorrência na Rua Bom Pastor e avistaram um rapaz conduzindo uma moto sem placa de identificação, com as características de uma que havia sido subtraída horas antes na cidade. Diante disso, foram até a residência onde o motociclista adentrou e localizaram o veículo com o miolo da chave danificado, constatando se tratar da moto furtada.

Durante a averiguação outro adolescente compareceu no local e informou que ambos avistaram a motocicleta caída em um matagal e levaram-na até a residência. Os adolescentes foram conduzidos ao Plantão de Polícia Judiciária para adoção das medidas legais.

42º BPM/I

Traficante é preso pela Polícia Militar em Presidente Venceslau

Na tarde do dia 16 de novembro de 2016 (quarta-feira), Policiais Militares de Presidente Venceslau prenderam um indivíduo em flagrante delito por tráfico de entorpecente em Presidente Venceslau/SP.

Os patrulheiros suspeitaram das atitudes do homem, por volta de 17h00min, momento em que conduzia uma motocicleta pela Rua Manlio D´incao e ao avistar a viatura PM fugiu em alta velocidade, jogou uma sacola com cinco porções de cocaína em um matagal, porém foi acompanhado e submetido à busca pessoal no cruzamento das Avenidas Dom Pedro II – Newton Prado.

Durante a abordagem policial foram localizados com o indivíduo R$150,00 e R$244,00 em cheque. Em seguida foi conduzido ao Plantão de Polícia Judiciária e permaneceu à disposição da Justiça.

42º BPM/I

Dona de casa entra em luta corporal com menor que invade sua residência para se esconder da Polícia

Um menor de idade foi detido pela Polícia Militar após dispensar drogas e tentar fugir da abordagem da Polícia em Dracena, no feriado de terça-feira, 15, à tarde. Ele estava com uma bicicleta e ao ver a viatura acabou abandonando-a, jogou algo e saiu correndo no sentido à linha férrea.

Na fuga ele pulou o muro de uma residência na rua Gastão Vidigal onde entrou em luta corporal com a moradora e novamente tentou evadir-se, mas foi contido e detido pelos militares.

Segundo a Polícia, a moradora da casa que foi invadida pelo menor sofreu lesão no tornozelo direito e foi socorrida pela Unidade de Resgate do Corpo de Bombeiros.

Durante a ocorrência, a Polícia Militar constatou que o objeto dispensado pelo menor se tratava de sete gramas de maconha e cinco de crack que acabaram apreendidas.

O adolescente foi apresentado no Plantão Central da Polícia Civil onde a ocorrência terminou como ato infracional de tráfico de drogas. O menor ficou apreendido à disposição da Justiça.

Trabalharam na ocorrência a guarnição composta pelo tenente Silva Júnior e cabo Nascimento com o apoio do sargento Maldonado e dos cabos Basso, Gustavo e Rubens e ainda os soldados Sartori e Pavim.

Portal Regional

Em bar, homem agride a ex com socos e chutes e acaba preso

Uma mulher de 50 anos foi agredida e ameaçada pelo ex-companheiro, que não teve a idade divulgada, por volta das 18h45 desta segunda-feira (14), no Centro de Presidente Prudente. De acordo com as informações do Boletim de Ocorrência, a vítima relatou aos policiais que o autor a obrigou a sentar com ele em um bar e, assim que se levantou para ir embora, o homem passou a bater nela.

Conforme o registro, a Polícia Militar foi acionada para comparecer em um estabelecimento na Rua Doutor Gurgel para atender a uma ocorrência de desentendimento. No local, os agentes encontraram o suspeito em pé, na calçada, em frente ao imóvel. Ele estava “visivelmente alcoolizado e bastante exaltado”.

O homem foi de encontrou aos policias e, segundo o documento, começou a dizer: “bati nela mesmo, dei chute e soco”. A equipe policial o questionou sobre os motivos da agressão, mas ele não explicou.

Os policiais, então, foram falar com a mulher, que estava escondida no interior do bar. Ela contou, de acordo com o boletim, que teve um relacionamento amoroso com o agressor por cerca de cinco anos, “entre idas e vindas”, e que romperam há uma semana. A mulher ainda falou que havia saído para encontrar uns amigos, sendo que, ao passar em frente ao estabelecimento, o autor a chamou “e a obrigou a sentar-se com ele”.

A vítima ainda contou, conforme a polícia, que o ex-companheiro começou a ofendê-la com xingamentos e, assim que ela se levantou e tentou sair do local, ele a agrediu com socos e chutes, a derrubando no chão e a agredindo na cabeça.

A mulher conseguiu escapar das agressões e se escondeu dentro do bar. Enquanto os policiais escutavam a vítima, segundo o registro, o suspeito a ameaçou de morte e jogou contra ela uma garrafa de água mineral, que não a atingiu.

Diante dos fatos, o homem foi encaminhado à delegacia, onde teve a prisão ratificada em flagrante. Uma fiança no valor de R$ 1 mil foi estipulada, sendo que, após pagar o valor, ele foi liberado para responder ao crime em liberdade. O caso foi registrado na Polícia Civil como lesão corporal, injúria, ameaça e violência doméstica.

 G1 Presidente Prudente

Polícia prende suspeita de comprar bebê envolvido em falso sequestro

A suspeita de comprar um bebê envolvido em um caso de falso sequestro em Campinas (SP) foi presa em flagrante por ocultação de recém-nascido na manhã desta segunda-feira (14), em Presidente Prudente. Conforme a Polícia Civil, ela e a criança estavam em uma casa no Parque Shiraiwa, na zona sul da cidade, quando os policiais chegaram.

O caso veio à tona após a mãe do bebê publicar um post em uma rede social dizendo que o filho, de 25 dias, havia sido sequestrado no sábado (12). Depois de ser ouvida pela polícia, ela confessou ter dado a criança a uma mulher, mas nega tê-la vendido.

De acordo com a delegada Adriana Maria Pelegrini, essa mulher, de 34 anos, ficou alguns dias em Londrina (PR) antes de vir para Presidente Prudente. Além disso, ela alega ter feito faculdade de medicina na Bolívia e diz que está tentando a revalidação do curso.

A delegada ressaltou que há incongruência na versão da suposta compradora e da mãe do bebê e que, por enquanto, não é possível afirmar que houve tráfico de criança.

“A mãe se arrependeu de ter dado a criança, a princípio. Só que, quando foi dar essa notícia na delegacia, ela entrou em contradição e os policiais perceberam que estava mentindo. Então, ela acabou confessando e ali mesmo já passou para os policiais alguns dados iniciais dessa mulher a quem ela teria dado essa criança e ali já iniciaram algumas investigações que acabaram culminando e chegando nessa mulher em Presidente Prudente”, explicou.

Adriana também relatou que a mãe negou ter recebido dinheiro. “Ela negou ter recebido dinheiro na venda dessa criança. Ela recebeu, sim, o valor de R$ 200 que alega ter sido para a compra de um aparelho celular para manter contato com essa mulher”, destacou.

A suspeita é de que a venda da criança tenha sido feita no banheiro do Terminal Rodoviária de Campinas e a devolução para a mãe na casa em Presidente Prudente. “Essa casa onde foi feita a entrega da criança é informado para nós que é da suposta compradora da criança. Então, na verdade, a gente não pode afirmar a propriedade da casa, mas ela fala que é dela”, frisou a delegada.

A mãe do bebê foi encaminhada para Campinas, onde foi indiciada pelo artigo 238 do Estatuto da Criança e do Adolescente (prometer ou efetivar a entrega de filho ou pupilo a terceiro, mediante paga ou recompensa).

Já a mulher presa em Presidente Prudente vai responder pelo artigo 242 (dar parto alheio como próprio; registrar como seu o filho de outrem; ocultar recém-nascido ou substituí-lo, suprimindo ou alterando direito inerente ao estado civil) e foi encaminhada para a Penitenciária Feminina de Tupi Paulista.

O bebê foi encaminhado ao Conselho Tutelar de Campinas, órgão responsável pela guarda da criança após a mãe confessar a farsa.

O caso
A Polícia Civil desvendou neste domingo (13) o falso sequestro de um bebê de 25 dias. O caso mobilizou as redes sociais neste fim de semana após um post da mãe da criança, que já tinha sido compartilhado por mais de 3,6 mil pessoas.

No texto em rede social, a mãe, de 20 anos, desabafava sobre o suposto rapto do filho, que teria ocorrido na Mercado Municipal de Campinas, no sábado (12), e pedia ajuda dos internautas para encontrar a mulher que teria levado o recém-nascido.

No entanto, após ser ouvida neste domingo, a Polícia Civil disse que a jovem confessou ter entregue o filho a uma mulher.

G1 Presidente Prudente

Mãe que relatou falso sequestro do filho recebeu R$ 200 de mulher

O bebê de 25 dias envolvido em um falso sequestro relatado pela mãe, em Campinas (SP), foi entregue para a polícia na manhã desta segunda-feira (14) em Presidente Prudente (SP), segundo a EPTV, afiliada da TV Globo. A criança estava com uma mulher, suspeita de ter pago R$ 200 para a mãe antes de viajar com o menino.

De acordo com a Polícia Civil, o recém-nascido será levado para o Conselho Tutelar de Campinas, órgão responsável pela guarda após a genitora confessar a farsa.

O Caso
A Polícia Civil desvendou neste domingo (13) o falso sequestro de um bebê de 25 dias. O caso mobilizou as redes sociais neste final de semana após um post da mãe da criança, que já tinha sido compartilhado por mais de 3,6 mil pessoas.

No texto em rede social, a mãe, de 20 anos, desabafava sobre o suposto rapto do filho, que teria ocorrido na Mercado Municipal de Campinas, no sábado (12), e pedia ajuda dos internautas para encontrar a mulher que teria levado o recém-nascido.

No entanto, após ser ouvida neste domingo, a Polícia Civil disse que a jovem confessou ter entregue o filho a uma mulher.

Mulher que levou bebê aparece em imagens de câmeras de segurança (Foto: Arquivo pessoal)Imagem que circula nas redes sociais de suposta
mulher que levou bebê (Foto: Divulgação)

Versão da mãe
Em entrevista ao G1, a irmã da mãe, que tem 18 anos, disse que a família acreditou na versão da jovem. Ela contou que estava voltando de Campinas para Monte Mor, onde mora, quando uma mulher começou a elogiar o bebê.

A irmã disse ainda que nesse momento a jovem contou que a fralda teria vazado e que a senhora teria se oferecido para ir com ela comprar outra. Na loja, a moça teria ainda se oferecido para pagar um macacão.

Depois, elas teriam ido para o Mercado Municipal para trocar o recém-nascido e neste momento, a senhora teria colocado óculos escuros. Ainda segundo irmã, quando chegaram lá, a mãe do bebê teria ido ao banheiro e pediu para que a mulher segurasse a criança, mas quando saiu viu que ela tinha desaparecido.

No entanto, a jovem confessou à Polícia Civil que entregou o menino. O motivo ainda não foi divulgado e nem as circunstâncias.

Imagens de câmeras de segurança, obtidas pela Guarda Municipal, mostram o momento que a mãe entra com o bebê em uma loja com uma mulher. No vídeo que circula pelas redes sociais, a moça, que aparece com um boné e óculos escuros, é  apontada como a suposta mulher que levou a criança.

Falso sequestro mobiliza as rede sociais (Foto: Reprodução/ EPTV)Falso sequestro mobiliza as rede sociais (Foto: Reprodução/ EPTV)
G1 Presidente Prudente

Mulher é assassinada a facadas e ex-namorado acaba preso

Uma mulher de 46 anos foi assassinada a facadas na noite desta sexta-feira (11), em sua própria casa, na Vila Um, em Euclides da Cunha Paulista. De acordo com a Polícia Civil, um homem de 31 anos, que é ex-namorado da vítima, foi preso em flagrante sob suspeita de ter cometido o crime.

Conforme o Boletim de Ocorrência, uma vizinha ouviu gritos da vítima e, quando chegou ao local, chamou por socorro.

Segundo a Polícia Militar, a vítima foi atingida por três golpes, por volta das 21h, e não resistiu aos ferimentos.

O preso foi encaminhado à Cadeia de Presidente Venceslau.

G1 Presidente Prudente

Grupo de extermínio formado por PMs agia a mando de fazendeiros, diz PF

Os policiais militares alvo da operação da Polícia Federal desta sexta-feira (11) que investiga a articulação de um grupo de extermínio em Goiás agiam a mando de fazendeiros e empresários do norte da região, informou a PF. Segundo a corporação, eles eram contratados e pagos de diversas formas: incluindo pagamento de pelo menos R$ 30 milhões, troca de favores e financiamento de campanha política. Os envolvidos são suspeitos de terem feito pelo menos cem vítimas.

Até as 13h desta sexta, dois dos três alvos de prisão temporária (por cinco dias) tinham sido presos. A Justiça Federal também expediu 17 mandados de condução coercitiva – quando a pessoa é obrigada a depor. Entre os alvos está o tenente-coronel Ricardo Rocha, que foi nomeado comandante do Comando de Policiamento da Capital da PM goiana no início do ano.

Em nota, a assessoria de comunicação da PM de Goiás informou que “até o momento não possui informações sobre o procedimento legal que deu origem à medida coercitiva executada”.

Em entrevista coletiva, no fim de desta manhã, o vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás, José Eliton (PSDB), negou qualquer irregularidade na atuação dos policiais militares e destacou que confia no trabalho de Ricardo Rocha.

“Afirmo categoricamente: no estado de Goiás não há grupos de extermínio. A PM de Goiás atua com toda a lisura. Essa operação foi um espetáculo midiático. Reafirmo a minha solidariedade ao tenente-coronel Ricardo Rocha, que permanece como comandante do Policiamento da Capital”, disse Eliton.

A primeira fase da operação foi deflagrada em 2011, com a prisão de 19 PMs depois de um ano de investigação. Esta nova etapa apura especificamente a morte de um rapaz e o desaparecimento de dois primos dele que tomavam banho em uma rio em Alvorada do Norte (GO). Segundo a PF, os três foram mortos pelo grupo.

De acordo com o delegado Milton Rodrigues Neves, o trio era suspeito de furtar gado da fazenda de um grande empresário da região. “Os corpos dos dois que sumiram não foram encontrados, mas temos provas que apontam que eles foram assassinados: depoimentos, dados, comprovantes do aluguel dos carros, por exemplo”, disse o investigador.

A corporação afirma que Ricardo Rocha tem participação direta na morte dos rapazes e que a campanha dele para se eleger deputado estadual na Assembleia Legislativa de Goiás foi financiada por um “cliente”. Ele foi indiciado por homicídio e ocultação de cadáver. A PF não detalhou por que motivos ele foi indiciado porque o inquérito segue em sigilo.

“Esse tipo de investigados são tanto temidos quanto respeitados. Quando se fala de grupo de extermínio, a ideia que se tem à mente é de profilaxia [limpeza] social. Mas o que se tem são pessoas que matam qualquer um. Bandido tem que ser preso, não tem que ser morto”, disse o delegado Kel Lúcio Nascimento, que também está à frente das investigações. “Quando se fala em grupo de extermínio, se fala em execução primaria, quando a pessoa nao teve chance de se defender.”

Pessoas que não teriam participação em crimes também foram mortos pela milícia, diz a PF. “No começo, matam pessoas suspeitas de praticar crimes, mas depois começam a matar diversas pessoas que não têm qualquer envolvimento. Matam pelos mais diversos motivos”, continuou Nascimento. “Nesta operação, há policiais ligados a tráfico de drogas, oferecendo drogas, arma e munição a pessoas. Muitas vezes eram contratados para matar outros por desavença.”

Do grupo alvo da operação desta sexta, dois presos e oito conduzidos são policiais militares na ativa. Um dos conduzidos é policial militar reformado (aposentado), informou a Polícia Federal.

MP e MPF recomendam destituição do comandante da PM em Goiânia, Ricardo Rocha, em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)O chefe do Comando de Policiamento da PM em Goiânia, Ricardo Rocha (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)

Nomeado comandante do Comando de Policiamento da Capital da corporação goiana no início do ano, o tenente-coronel Ricardo Rocha será conduzido coercitivamente de Goiânia (GO) a Brasília, para prestar depoimento. Ele já havia sido preso por quatro meses na primeira fase da operação, em 2011. Em 2014, foi a júri popular pela morte de Marcelo Coka da Silva, ocorrida dez anos antes, e foi absolvido.

Ao todo, 140 policiais estão envolvidos na operação, que ocorre nas cidades de Goiânia (GO), Alvorada do Norte (GO) e Formosa (GO). O nome da operação é uma referência ao sexto mandamento da Bíblia: “Não matarás”.

Segundo as investigações, o grupo tinha como principal atividade a prática habitual de homicídios com a simulação de que os crimes haviam sido praticados em confrontos com as vítimas. Alguns dos crimes foram praticados durante o horário de serviço e com uso de carros da PM, de maneira clandestina e sem qualquer motivação, de acordo com a PF.

Comandante Ricardo Rocha
Em 26 de fevereiro deste ano, Ricardo Rocha assumiu o Comando de Policiamento da Capital (CPC). Em março, uma ação conjunta da do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) e Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO) recomendou que o tenente-coronel fosse destituído do cargo, pois responde por crimes e que o cargo deve ser ocupado por “militar que não exponha o Estado de Goiás a eventual novo pedido de federalização [julgamento de crimes]”.

Na época, o vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, José Eliton (PSDB), afirmou ter “integral confiança no tenente-coronel Ricardo Rocha para exercer o Comando da Capital”.

G1

HOMEM É PRESO POR VIOLÊNCIA DOMÉSTICA EM PRESIDENTE VENCESLAU

Na madrugada do dia 06 de novembro de 2016 (domingo), Policiais Militares de Presidente Venceslau/SP prenderam um homem em flagrante delito por violência doméstica no município.

Os patrulheiros foram acionados, pois o indivíduo havia agredido duas mulheres, na Avenida carlos Platzeck, com socos, puxões de cabelo e ameaças.

O homem recebeu voz de prisão ao se dirigir à casa de uma das vítimas e dar continuidade às agressões, inclusive fazendo ameaças de morte, desta forma foi conduzido ao Plantão de Polícia Judiciária para adoção das medidas legais e transferido para o sistema prisional em seguida.

42º BPM/I

Mulher é presa ao tentar entrar em presídio com droga na genitália

A Polícia Militar prendeu neste domingo (6), uma mulher que tentava entrar com drogas escondidas dentro da genitáliana na Penitenciária de Tupi Paulista , durante o dia de visitação. O flagrante foi realizado após uma denúncia anônima.

Conforme a PM, a corporação estava com a informação de que duas mulheres tentariam ingressar no presídio com entorpecentes. A administração da penitenciária foi orientada a acionar a Polícia Militar assim que as suspeitas chegassem ao local.

Conforme o combinado, a polícia foi acionada e uma das suspeitas, de 46 anos, já havia retirado de dentro da vagina dois invólucros com maconha (94,2 gramas), os quais estavam envoltos em preservativos. Indagada, a mulher confirmou a propriedade do entorpecente e que tentaria entregá-lo dentro do presídio.

Diante da situação, foi dada voz de prisão à mulher e, posteriormente, as duas detidas foram conduzidas ao Pronto-socorro de Tupi Paulista, onde foram, com consentimento, submetidas ao exame de radiografia. Na que assumiu a droga, nada a mais foi localizado. Também não foi encontrado nada de ilícito na outra mulher, que foi qualificada e liberada.

O caso foi apresentado à Polícia Civil. Na delegacia, a detida alegou que uma terceira pessoa pagaria R$ 500 pela entrega e que a droga foi trazida de Salto (SP) por um homem.

G1 Presidente Prudente