segunda-feira, 25 junho, 2018

Maduro convoca ‘assembleia cidadã’ para nova Constituição na Venezuela

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, convocou nesta segunda-feira uma Constituinte “popular” para redigir uma nova Carta Magna, cujos integrantes serão eleitos por setores da sociedade e não pelo voto universal.

“Convoco o poder constituinte originário para alcançar a paz de que o país precisa, para derrotar o golpe fascista, uma Constituinte cidadã, não de partidos políticos. Uma Constituinte do povo”, disse Maduro, diante de milhares de simpatizantes reunidos no centro de Caracas por ocasião do Dia do Trabalhador.

O presidente socialista anunciou que entregará nesta segunda-feira ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE) as bases do processo, que contempla a eleição de 500 constituintes, uma parte por setores sociais que escolherão diretamente seus representantes e a outra parte por municípios.

“Será uma Constituinte eleita com voto direto do povo para eleger uns 500 constituintes: 200 ou 250 pela base da classe operária, as comunas, missões, os movimentos sociais (…) Os movimentos de pessoas com deficiência vão ter seus constituintes próprios eleitos, os pensionistas”, detalhou o presidente.

Maduro disse que os demais constituintes “vão ser eleitos em um sistema territorializado, com caráter municipal e local”.

A atual Carta Magna venezuelana – em vigor desde 1999 – estabelece que a Assembleia Nacional Constituinte é convocada para “transformar o Estado, criar um novo ordenamento jurídico e redigir uma nova Constituição”.

Pode ser convocada pelo presidente no Conselho de Ministros, o Parlamento mediante acordo de dois terços de seus integrantes, os conselhos municipais (câmaras de vereadores) ou através das assinaturas de 15% dos eleitores.

Os membros da Constituinte de 1999 foram eleitos mediante votação nacional e não por setores, como propõe Maduro, e pertenciam majoritariamente ao chavismo.

“Entrego-lhes do poder que me deu Hugo Chávez, vão vencer a batalha”, acrescentou o chefe de Estado, que dará detalhes de seu anúncio nas próximas horas.

Oposição repudia ‘prostituinte’

A liderança opositora rejeitou a convocação de Maduro, advertindo que ela aprofunda a crise política e reafirma uma tentativa de “golpe de Estado” contra o Parlamento, pois o que se pretende é convocar uma Constituinte “escolhida a dedo”.

Maduro “quer dar um salto de uma vez a um sistema tipo [o de] Cuba”, denunciou Julio Borges, presidente do Parlamento, único dos poderes controlado pela oposição.

“Diante da fraude constitucional da Constituinte que o ditador acaba de anunciar, povo na rua a desobedecer semelhante loucura!”, reagiu o líder opositor e ex-candidato à Presidência, Henrique Capriles.

O deputado opositor Henry Ramos Allup assegurou que “o que Maduro convocou não é uma constituinte, mas uma ‘prostituinte’”.

A oposição acusa Maduro de tentar dar um golpe de Estado, depois que o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) assumiu os poderes do Legislativo e retirou a imunidade dos deputados.

As duas medidas foram anuladas em meio a uma forte pressão internacional, mas os opositores consideram que a violação permanece.

AFP

Sequestro e assassinato de menino chocam o Uruguai

Por: BBC BRASIL

Ele chamava de “papai” o homem que o matou com um tiro.

No último sábado, terminaram de forma trágica as buscas por Felipe Romero, de 10 anos, que foi sequestrado por Fernando Sierra, técnico do time de futebol no qual o menino jogava e com quem mantinha uma relação muito próxima.

Tão próxima que a psicóloga que tratava o menor, após notar comportamentos estranhos no garoto, recomendou à mãe deste que Serra deixasse de ver Felipe, como confirmou a tia do menino, Maíra del Carmen Romero, à BBC Mundo.

Sem permissão da mãe, Sierra foi buscá-lo na escola na quinta-feira. Foi a última vez que se teve notícia deles – até o sábado, quando os dois foram encontrados sem vida a 150 km de Montevidéu, capital do país.

Sierra atirou contra o menino e depois se matou, segundo confirmou o chefe de polícia da cidade Maldonado, onde os dois viviam.

Unidos pelo futebol

Felipe era filho de um conhecido ex-jogador de futebol, Luis Romero, que era um “pai ausente”, segundo disse sua mãe, Alexandra Pérez, ao jornal El País do Uruguai. “Não era tanto assim”, refuta sua tia à BBC Mundo.

Sierra e Felipe se conheceram em 2015, por meio da equipe infantil do Club Defensor de Maldonado. Sierra era o técnico da equipe em que o menino jogava.

Apesar de Sierra ter ficado a cargo do grupo do qual Felipe fazia parte por pouco tempo, eles desenvolveram uma relação próxima.

“Ele levava e trazia Felipe dos treinos, das partidas, andavam juntos para todos os lados, ele o tratava como se fosse seu filho, e Felipe o tratava como se fosse seu pai. Por mais de uma vez, Felipe o chamou de papai”, diz Myriam Sosa, dirigente do Club Defensor Maldonado responsável pela divisão infantil.

Até sua morte, Sierra ainda trabalhava como técnico. Ele se apresentava como um “amigo da família” conta Sosa, e, por isso, ninguém estranhava tanta proximidade entre ele e o garoto.

“Fernando sempre foi uma pessoa tranquila, muito correto, muito educado com os pequenos, muito respeitoso. Ninguém podia pensar que algo assim aconteceria”, diz Sosa.

Sierra participava de reuniões na escola de Felipe, o levava e buscava depois das aulas e até mesmo viajou de férias ao Brasil com o garoto, com a permissão de seus pais.

A tia do menino diz que o pai autorizara a viagem porque a ideia original era que família toda fosse junta – ou seja, Felipe, sua mãe, sua irmã e Sierra.

‘Eu me mato’

O treinador se tornara a figura paterna de Felipe, até que, depois de algumas viagens que fizeram juntos, a psicóloga do menino chamou a mãe do garoto para conversar.

“Ela notou sinais de que algo não estava bem com Felipe”, contou a mãe do garoto ao El País . Foi recomendado que ela não deixasse mais o menino sozinho com o treinador.

A mãe de Felipe decidiu confrontar Sierra. Na quarta-feira, enquanto seu filho treinava, ela puxou Sierra de lado para conversarem a sós.

“Veja bem, Fernando, as psicólogas me alertaram que não pode voltar a ficar sozinho com Felipe. Entenda como queira. Mas precisa aceitar o que estou te pedindo. Por favor”, disse ela, como relatado ao El País .

“Se não posso mais ver o Felipe, eu me mato”, foi a resposta do treinador, segundo a mãe do menino.

Na quinta-feira, ele foi buscá-lo na escola. Ninguém estranhou, pois era comum.

O pior desfecho

O caso mobilizou o Uruguai. Foram criadas campanhas em redes sociais, e os amigos da família se ofereceram como voluntários para participar das buscas por Felipe.

Ele chamava de “papai” o homem que o matou com um tiro.

No último sábado, terminaram de forma trágica as buscas por Felipe Romero, de 10 anos, que foi sequestrado por Fernando Sierra, técnico do time de futebol no qual o menino jogava e com quem mantinha uma relação muito próxima.

Tão próxima que a psicóloga que tratava o menor, após notar comportamentos estranhos no garoto, recomendou à mãe deste que Serra deixasse de ver Felipe, como confirmou a tia do menino, Maíra del Carmen Romero, à BBC Mundo.

Sem permissão da mãe, Sierra foi buscá-lo na escola na quinta-feira. Foi a última vez que se teve notícia deles – até o sábado, quando os dois foram encontrados sem vida a 150 km de Montevidéu, capital do país.

Sierra atirou contra o menino e depois se matou, segundo confirmou o chefe de polícia da cidade Maldonado, onde os dois viviam.

Unidos pelo futebol

Felipe era filho de um conhecido ex-jogador de futebol, Luis Romero, que era um “pai ausente”, segundo disse sua mãe, Alexandra Pérez, ao jornal El País do Uruguai. “Não era tanto assim”, refuta sua tia à BBC Mundo.

Sierra e Felipe se conheceram em 2015, por meio da equipe infantil do Club Defensor de Maldonado. Sierra era o técnico da equipe em que o menino jogava.

Apesar de Sierra ter ficado a cargo do grupo do qual Felipe fazia parte por pouco tempo, eles desenvolveram uma relação próxima.

“Ele levava e trazia Felipe dos treinos, das partidas, andavam juntos para todos os lados, ele o tratava como se fosse seu filho, e Felipe o tratava como se fosse seu pai. Por mais de uma vez, Felipe o chamou de papai”, diz Myriam Sosa, dirigente do Club Defensor Maldonado responsável pela divisão infantil.

Até sua morte, Sierra ainda trabalhava como técnico. Ele se apresentava como um “amigo da família” conta Sosa, e, por isso, ninguém estranhava tanta proximidade entre ele e o garoto.

“Fernando sempre foi uma pessoa tranquila, muito correto, muito educado com os pequenos, muito respeitoso. Ninguém podia pensar que algo assim aconteceria”, diz Sosa.

Sierra participava de reuniões na escola de Felipe, o levava e buscava depois das aulas e até mesmo viajou de férias ao Brasil com o garoto, com a permissão de seus pais.

A tia do menino diz que o pai autorizara a viagem porque a ideia original era que família toda fosse junta – ou seja, Felipe, sua mãe, sua irmã e Sierra.

‘Eu me mato’

O treinador se tornara a figura paterna de Felipe, até que, depois de algumas viagens que fizeram juntos, a psicóloga do menino chamou a mãe do garoto para conversar.

“Ela notou sinais de que algo não estava bem com Felipe”, contou a mãe do garoto ao El País . Foi recomendado que ela não deixasse mais o menino sozinho com o treinador.

A mãe de Felipe decidiu confrontar Sierra. Na quarta-feira, enquanto seu filho treinava, ela puxou Sierra de lado para conversarem a sós.

“Veja bem, Fernando, as psicólogas me alertaram que não pode voltar a ficar sozinho com Felipe. Entenda como queira. Mas precisa aceitar o que estou te pedindo. Por favor”, disse ela, como relatado ao El País .

“Se não posso mais ver o Felipe, eu me mato”, foi a resposta do treinador, segundo a mãe do menino.

Na quinta-feira, ele foi buscá-lo na escola. Ninguém estranhou, pois era comum.

O pior desfecho

O caso mobilizou o Uruguai. Foram criadas campanhas em redes sociais, e os amigos da família se ofereceram como voluntários para participar das buscas por Felipe.

O próprio Ministério do Interior se encarregou de dar a triste notícia. “A busca pelos desaparecidos teve o pior desfecho”, comunicou em sua conta no Twitter.

“Lamentavelmente, na manhã de hoje, uma equipe localizou em Villa Serrana os corpos sem vida.”

A notícia deixou a todos na cidade de Maldonado sem chão. “Aqui, todo mundo se conhece. Nunca poderíamos imaginar uma situação assim”, diz a tia de Felipe, sem conseguir conter a emoção.

Avião de carga turco cai no Quirguistão; há ao menos 37 mortos

avião de carga turco caiu nesta segunda-feira (16) perto do aeroporto de Manas, no Quirguistão, matando ao menos 37 pessoas, a maioria moradores de um vilarejo atingido pelo Boeing 747, de acordo com a Reuters.

A visibilidade era ruim e havia névoa quando o piloto tentou pousar, às 7h31 (23h31 de domingo em Brasília), segundo a administração do aeroporto. O avião ia de Hong Kong para Istambul e estava prevista uma escala em Manas, cidade próxima à capital do Quirguistão, Bishkek.

Ao menos 37 pessoas morreram e 15 edificações foram danificadas pela queda do avião, de acordo com o Ministério de Emergências do país. A agência France Presse, citando fontes do governo, afirmou que um erro de pilotagem provocou o acidente.

O ministro de Transportes afirmou que havia cinco pessoas a bordo do avião, identificado como um Boeing 747-400 da Turkish Airlines. A companhia aérea, no entanto, afirma que a aeronave pertencia a outra companhia turca, a ACT Airlines.

“Nossas condolências às famílias daqueles que perderam suas vidas no trágico incidente envolvendo uma aeronave ACT Airlines no Quirguistão”, publicou a Turkish Airlines em sua conta no Twitter. A ACT confirmou à agência de notícias Reuters, que era dona do avião e disse que ele caiu ao fim da pista de pouso “por razão desconhecida”.

Equipes de resgate recuperaram o corpo de um piloto e de moradores locais até o momento.

O Quirguistão é um país da Ásia Central, ex-integrante da União Soviética, e faz fronteira com o Cazaquistão, o Uzbequistão, o Tajiquistão e a China.

Casa ficou danificada na queda de avião no Quirguistão, nesta segunda-feira (16) (Foto: Radio Free Europe/Radio Liberty/Handout via Reuters)Casa ficou danificada na queda de avião no Quirguistão, nesta segunda-feira (16) (Foto: Radio Free Europe/Radio Liberty/Handout via Reuters)

Casa ficou danificada na queda de avião no Quirguistão, nesta segunda-feira (16) (Foto: Radio Free Europe/Radio Liberty/Handout via Reuters)

Equipe de resgate trabalha no local da queda de um avião de carga turco, um vilarejo próximo ao aeroporto de Manas, no Quirguistão (Foto: Vladimir Pirogov/Reuters)Equipe de resgate trabalha no local da queda de um avião de carga turco, um vilarejo próximo ao aeroporto de Manas, no Quirguistão (Foto: Vladimir Pirogov/Reuters)

Equipe de resgate trabalha no local da queda de um avião de carga turco, um vilarejo próximo ao aeroporto de Manas, no Quirguistão (Foto: Vladimir Pirogov/Reuters)

Membros da equipe de resgate se reúnem perto das vítimas da queda de um avião de carga turco no Quirguistão (Foto: Vladimir Pirogov/Reuters)Membros da equipe de resgate se reúnem perto das vítimas da queda de um avião de carga turco no Quirguistão (Foto: Vladimir Pirogov/Reuters)

Membros da equipe de resgate se reúnem perto das vítimas da queda de um avião de carga turco no Quirguistão (Foto: Vladimir Pirogov/Reuters)

 Reuters

Após 7 anos, Haiti ainda tenta se recuperar de terremoto

Mesmo após sete anos da tragédia, o Haiti ainda enfrenta inúmeros problemas causados pelo terremoto que devastou o país em 12 de janeiro de 2010. Milhares de pessoas ainda estão desabrigadas, vivendo em condições precárias e enfrentando surtos de doenças.

Após o sismo de 7 graus na escala Richter registrado às 16h53 do dia 12, ao menos 230 mil pessoas morreram, outras 300 mil ficaram feridas e mais de 1,5 milhão de haitianos perderam suas casas. Desde a capital, Porto Príncipe, até em cidades menores, houve devastação em larga escala. As informações são da agência de notícias Ansa.

Diversas instituições e governos anunciaram que enviariam diversos tipos de ajuda que, mesmo constantes, não foram suficientes para dar condições dignas de vida a todos aqueles que foram afetados pelo tremor.

Uma das instituições que ajuda o povo haitiano há sete anos é a Caritas Italia, entidade gerida pela Igreja Católica, e que divulgou um relatório sobre a pobreza no mundo que tem como foco o Haiti.

Segundo a instituição, “até agora foram financiados 250 projetos de solidariedade, num montante de quase 24 milhões de euros e em diversos âmbitos”.

Além de tentar se recuperar do terremoto de 2010, o Haiti enfrentou outra catástrofe climática em 2016. Em outubro, a passagem do furacão Matthew matou mais de mil pessoas e afetou mais de dois milhões, segundo dados das Nações Unidas.

Agência Brasil

Atirador mata cinco e fere oito em tiroteio em aeroporto da Flórida

Um homem armado abriu fogo nesta sexta-feira (6) no aeroporto de Fort Lauderdale, a 50 km de Miami, na Flórida (EUA), deixando cinco mortos e oito feridos, informou o gabinete do xerife do condado de Broward, onde se situa a cidade. As informações são da Agência France-Press.

“Cinco pessoas mortas; oito feridos foram levados a um hospital da região”, reportou o gabinete do prefeito do condado de Broward, em sua conta no Twitter.

Mais cedo, o gabinete do xerife havia anunciado o tiroteio no aeroporto internacional Hollywood de Fort Lauderdale, com vários mortos, e que um indivíduo estava sob custódia.

A prefeita de Fort Lauderdale, Barbara Sharief, confirmou que o atirador está sob custódia e que o motivo do ataque ainda é desconhecido.

“Era um atirador solitário e não temos evidências por enquanto de que tenha agido com ninguém mais. Ele está sob custódia e estamos investigando”, disse Sharief à rede CNN. Segundo a prefeita, o aeroporto foi fechado.

O governador da Flórida, Rick Scott, disse que estava a caminho do aeroporto para receber informações sobre o ataque.

Mais cedo, imagens de TV mostraram passageiros correndo para se proteger e outros reunidos na pista.

A Polícia informou ter emitido um alerta sobre o tiroteio às 12h55 locais (15h55 de Brasília). O aeroporto, localizado no sudeste dos Estados Unidos, serve de trânsito para turistas que embarcam em cruzeiros ou viajam para visitar países do Caribe.

“Um incidente está em curso no setor de retirada de bagagens do Terminal 2”, confirmou o aeroporto no Twitter.

O ex-porta-voz da Casa Branca Ari Fleischer também tuitou: “Estou no aeroporto de Ft. Lauderdale. Tiros foram disparados. Todo mundo está correndo”. Em outro tuíte, ele citou a polícia para informar que havia um atirador e cinco vítimas no incidente.

Agência Brasil

Vietnamita é operado para retirar ‘tesoura’ esquecida em cirurgia há 18 anos

Um vietnamita passou por uma operação para remover de seu abdômen uma pinça cirúrgica esquecida pelos médicos durante um procedimento realizado há 18 anos, depois de relatar dores de estômago.

Ma Van Nhat, atualmente com 54 anos, foi submetido a uma cirurgia em 1998, após um acidente de carro, e apenas recentemente descobriu que os médicos deixaram um presente indesejado quando o fecharam.

Os médicos descobriram o instrumento cirúrgico de 15 centímetros perto de seu cólon após uma ultrassonografia recente.

O homem passou por uma operação de três horas no fim de semana para remover a pinça, de acordo com Ngo Trung Thang, vice-chefe de assuntos gerais do hospital Gang Thep Thai Nguyen, 80 quilômetros ao norte de Hanói.

“Ele está se recuperando bem”, disse Thang à AFP nesta terça-feira.

Nhat passou quase duas décadas “comendo, bebendo e tendo uma vida bastante normal”, de acordo com o site de notícias Suc Khoe va Doi Song, porta-voz oficial do Ministério da Saúde do Vietnã.

A ultrassonografia que descobriu a pinça só foi feita depois que Nhat relatou dores de estômago.

Autoridades informaram que estavam procurando os médicos que realizaram a cirurgia na província de Bac Kan em 1998, mas ainda não localizaram nenhum culpado.

Turquia e Rússia fecham acordo de cessar-fogo na Síria

A Turquia e a Rússia fecharam um acordo de cessar-fogo em todo o território sírio, informou hoje (28) a agência oficial de notícias de Ancara, Anadolu. Agora, esse documento será submetido à aprovação do governo sírio e dos grupos de oposição do país que está há mais de cinco anos em guerra.

Entre os principais termos da negociação, Ancara e Moscou querem colocar a trégua em vigor já na madrugada desta quinta-feira (29) “em todas as zonas de combate entre as forças do governo e os rebeldes”. A única exceção será a continuidade de ataque contra “grupos terroristas”.

Desde a última semana, representantes do governo turco, russo e do Irã estão debatendo alternativas para por fim aos conflitos na Síria. O acordo fechado agora não inclui os ataques dos Estados Unidos e da coalizão internacional – incluindo os países europeus.

Até o acordo, o governo de Ancara não apoiava o presidente sírio, Bashar al-Assad, e realizava ataques especialmente nas fronteiras entre as duas nações – onde, além dos terroristas do Estado Islâmico (EI) e da Frente al-Nusra, combatia grupos curdos que querem criar uma região autônoma no território turco.

O que não ficou claro, segundo a Agência Ansa, é se Ancara continuará atacando os curdos. Isso porque, apesar de não contar com reconhecimento internacional, o governo de Recep Tayyip Erdogan considera “terroristas” diversos desses grupos que lutam contra seu governo.

Agência Brasil

Carrie Fisher, a Princesa Leia de ‘Star Wars’, morre aos 60 anos

A atriz Carrie Fisher, mais conhecida por seu papel como Princesa Leia nos filmes de Star Wars, morreu aos 60 anos em Los Angeles.

Foto: AFP PHOTO / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Ethan Miller
Carrie Fisher

Carrie Fisher em foto de 14 de dezembro de 2015, em Hollywood, na Califórnia (FILES) This file photo taken on December 14, 2015 shows US actress Carrie Fisher attending the premiere of Walt Disney Pictures and Lucasfilm’s “Star Wars: The Force Awakens” at the Dolby Theatre in Hollywood, California.

Um comunicado da família, divulgado pela revista People, diz que Fisher morreu às 8h55 da manhã desta terça-feira, 27. “É com uma tristeza muito profunda que Billie Lourd (sua filha) confirma que sua amada mãe Carrie Fisher faleceu às 8h55 desta manhã. Ela era amada pelo mundo e sua falta será sentida profundamente. Toda nossa família agradece pelos pensamentos e orações”, diz o comunicado.

Fisher sofreu um ataque cardíaco durante um voo na última sexta-feira, 23, enquanto viajava de Londres, na Inglaterra, a Los Angeles, nos Estados Unidos. Ela foi levada por paramédicos para um hospital após o avião pousar no aeroporto LAX.

A atriz repetiu sua atuação como Leia recentemente em Star Wars: O Despertar da Força (2015), e deve aparecer no oitavo episódio da série, ainda sem nome oficial, com estreia prevista no Brasil para 15 de dezembro de 2017.

Estadão

Trump desqualifica ONU e diz que a mesma virou ‘lugar para ‘reuniões’

Poucos dias após a aprovação pela Organização das Nações Unidas (ONU) da histórica resolução contra os assentamentos de Israel na Cisjordânia, o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, criticou a instituição, que classificou com um “clube”. As informações são da Agência ANSA.

Em seu Twitter, Trump disse que “as Nações Unidas têm um potencial grande, mas agora é apenas um clube para pessoas se reunirem, conversarem e se divertirem. Triste!” A mensagem foi publicada cinco dias depois da ONU ter aprovado -, por 14 votos a favor, nenhum contra e uma abstenção – a resolução que condena os assentamentos judeus na Cisjordânia e exige a sua suspensão imediata.

Em um momento inédito, o país liderado no momento pelo democrata Barack Obama, foi o único a se abster na votação na última sexta-feira (23), quando a medida foi aprovada. Os Estados Unidos são os maiores aliados de Israel no Ocidente e, como é membro permanente no Conselho de Segurança da ONU, tem o poder de veto. Este, no entanto, não foi usado pelos EUA na ocasião, como é de costume em resoluções que envolvem o país judeu.

Na própria sexta-feira o futuro presidente norte-americano já havia dito que “em relação à ONU, as coisas serão diferentes depois de 20 de janeiro”, quando ele assumirá a Presidência dos EUA.

Agência Brasil

Avião russo pode ter caído por falha técnica ou humana

O Ministério dos Transportes da Rússia afirmou nesta segunda (26), que a queda de um avião militar russo neste domingo (25), no Mar Negro, aconteceu provavelmente devido a um erro do piloto ou a uma falha técnica. As informações são da Agência ANSA.

A aeronave Tupolev-155 levava 92 pessoas, entre tripulação e passageiros, e havia partido de Sóchi, na Rússia, com destino a Latakia, na Síria, onde os 64 membros do Coral do Exército Russo que estavam à bordo fariam uma apresentação na noite do Ano Novo para as tropas que estão na área. Além deles, estavam no avião outros militares e nove jornalistas

No domingo, as autoridades russas já haviam descartado a possibilidade da queda se tratar de um atentado terrorista, opção que depois foi novamente analisada. O Ministério dos Transportes russo afirmou que o piloto do avião, Roman Volkov, era muito experiente e tinha mais de 3 mil horas de voo e que a aeronave sinistrada tinha 33 anos.

Vladimir Putin
Vladimir Putin decretou luto nacional por causa de queda de avião no Mar NegroAnatoly Maltsev/Agência Lusa/Direitos Reservados

De acordo com o vice-presidente da Comissão Parlamentar sobre a Política Econômica, Serghiei Kalachnikov, a idade avançada do avião não significa que o mesmo não funcionava bem. “Trinta e três anos é um bom tempo, mas não é crítico”, declarou ele à imprensa.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, decretou para esta segunda um dia de luto nacional. “Haverá uma investigação aprofundada na região da catástrofe e faremos tudo para dar apoio às famílias das vítimas”, explicou Putin.

Agência Brasil