sábado, 23 junho, 2018

Benefícios da aveia para a sua pele

Ter uma alimentação saudável e equilibrada é fundamental para a saúde e também para a beleza da pele, cabelo e unhas. Dentro desse conceito, alguns alimentos conseguem se destacar, como é o caso da aveia, um alimento pra lá de funcional. Vamos ver quais os benefícios da aveia para a sua pele e aprender a fazer uma máscara caseira de hidratação com aveia. Vem comigo!

Benefícios da aveia para a epiderme

A aveia é um alimento rico em fibras, ajuda na saúde e bom funcionamento do aparelho digestivo e na eliminação de toxinas, e, você sabe, intestino funcionando bem é sinônimo de pele bonita e sistema imunológico eficiente.

Mas não para por aí, a aveia estimula a produção de colágeno e elastina, dando mais firmeza e elasticidade à pele, além de aumentar a hidratação e a maciez da epiderme.

A aveia é considerada um alimento protetor da pele, graças aos seus componentes, como os ácidos avênicos, ácido salicílico, ácido pantotênico, beta-glucanos, silício, vitaminas B1 e B2 e sua alta concentração de aminoácidos.

Ação super hidratante

A propriedade de hidratação da aveia não passa despercebida da indústria cosmética que a utiliza em cremes hidratantes para pele seca, shampoos, condicionadores e sabonetes, para todos os tipos de pele, mas especialmente peles sensíveis e irritadas. Além de hidratar, ela cria uma barreira de proteção que dificulta o ressecamento.

E olha que estamos falando apenas dos benefícios para a pele, mas suas propriedades para a saúde e prevenção de doenças vão muito além! Por isso, vale muito a pena incluir a aveia na alimentação diária e também na sua receitinha caseira de hidratação da pele.

Máscara de aveia para uma pele bonita

Faça 1x por semana uma máscara hidratante e esfoliante de aveia, sua pele vai agradecer!

Misture 3 colheres de sopa de aveia em flocos com 4 colheres de sopa de leite, deixe hidratar por 10 minutos e aplique no rosto com movimentos circulares, de baixo para cima. Este movimento vai estimular a circulação e promover uma esfoliação retirando as células mortas. Deixe agir por 20 minutos e depois lave com água fria.

Obs: Se a sua pele for oleosa, substitua o leite por água.

Fonte: Lar Natural

 

Se você fizer estas 10 coisas afastará ainda mais seu filho adolescente

Os filhos adolescentes se afastam naturalmente da família. Mas estas 10 coisas podem afastar ainda mais e prejudicar o relacionamento pais-filhos.

Uma das fases mais temidas pelos pais é a da adolescência. São tantas histórias e relatos infelizes e complicados que é comum generalizar e pensar que vai ocorrer o mesmo na família.

Manter os filhos próximos e orientar nessa etapa é um sonho que muitas vezes é desfeito. Eles naturalmente se afastam para provar que podem viver sozinhos e adquirir sua própria personalidade. Isso é o que acontece com a maioria, apesar de existirem exceções.

  • 1. Continuar a manter um relacionamento como a uma criança

    É muito comum perceber que para os pais seu filho sempre será seu bebê. Na verdade, ele pode receber o mesmo amor de quando era pequeno, mas o respeito por seu crescimento deve existir. É importante permitir liberdades e autonomias e continuar amando o jovem. Um equilíbrio saudável deverá existir, o que normalmente é muito difícil de descobrir, mas não impossível.

  • 2. Não dar valor às descobertas

    Eles estão se soltando e as novidades são muitas. Quando os pais não dão muita atenção, os filhos se fecham e podem deixar de contar outras coisas, inclusive decisões importantes. Para manter o diálogo aberto é vital dar atenção ao que contam e comemorar suas descobertas, mesmo que elas sejam comuns e simples. Dizer que já passou por isso na própria adolescência não ajuda.

  • 3. Controle total

    Pais que ficam no controle integral dos filhos, que julgam, criticam ou ainda castigam exageradamente os filhos adolescentes correm o risco de ter o relacionamento completamente fechado por parte deles. Tratar com respeito, mantendo a posição de pais, orientando e permitindo que aprendam por si mesmos será o melhor a fazer para não promover afastamentos.

  • 4. Cobranças exageradas

    A preocupação com o futuro dos filhos faz com que os pais constantemente façam cobranças referentes ao estudo, decisões, relacionamentos e outros setores. Tratar com carinho e respeito, manter um tempo de descanso e lazer em família ajudará a evitar o clima de estresse entre pais e filhos.

  • 5. Dar liberdade de forma errada

    Deixar que o jovem assuma controle da sua vida, chegue em casa no horário que quiser, se envolva com drogas e álcool ou relacionamentos perigosos não é uma boa maneira de demonstrar amor. Estabelecer regras que estejam de acordo com o que a família acredita e busca, sempre mostrando o que pode resultar de decisões insensatas é muito mais simples do que tirar o filho das drogas, estragar o futuro com situações não planejadas ou acabar com a carreira antes mesmo de começar. O limite sempre foi importante na vida do filho desde seu nascimento. Nesta fase, muitas permissões podem ser dadas sem exageros a fim de ajudar a não desviar do curso que o jovem escolheu.

  • 6. Não confiar

    A falta de confiança destrói rapidamente o bom relacionamento. Ligar para os amigos para saber se o filho realmente está na casa deles, seguir, ler as mensagens pessoais em seu celular não são boas maneiras de agir. Conversar abertamente quando surgir uma dúvida é muito mais respeitoso que virar um investigador do próprio filho.

  • 7. Agir de forma impensada

    Acontecerão situações críticas que decepcionarão os pais e poderão abalar a família. Quando os pais deixam a postura de lado e perdem a estribeira por algum erro cometido pelo jovem, o relacionamento vai desandar. A forma de conversar sobre o ocorrido faz toda a diferença na vida e futuro do adolescente.

  • 8. Constrangimentos

    Os pais exaltam e comentam sobre seus filhos com a maior naturalidade e orgulho. Os jovens odeiam. Querem sua intimidade preservada, mesmo que seja para os avós. Eles se sentem constrangidos tanto pelos elogios tecidos quanto pelas críticas. Caso surjam dúvidas, perguntar para o filho se pode contar que ele foi o único que acertou todas as questões de física em sua classe será melhor que perceber seu afastamento, deixando de contar suas realizações para os pais.

  • 9. Elevar demais o filho

    As pessoas não são perfeitas e criticar a todos os amigos ou namorados dos filhos os levará para fora de casa. Afinal, seus amigos são muito importantes nessa fase, mesmo que não sejam perfeitos aos olhos dos pais.

  • 10. Chantagear

    A velha história de que se o filho passar no vestibular ganhará um carro é um ótimo exemplo. É um excelente incentivo, mas não educa. Cortar regalias, como o dinheiro para sair no final de semana, também. O jovem precisa entender que deixar de fazer algo só porque não irá ganhar um prêmio será prejudicial ao seu futuro.

    Vale ainda dizer aos pais que na maioria das vezes eles têm sido ótimos, afinal ninguém tem a fórmula para a educação perfeita de filhos. As pessoas são diferentes e cada caso é único. Seguir a alguns conselhos dos mais experientes e de especialistas profissionais vai ajudar, mas não garante que o filho irá refletir tudo o que os pais buscaram para eles. As pessoas são livres e independentes e os pais não podem se culpar pelas escolhas erradas que os filhos porventura fizerem. Podem sim ajudar e orientar além de amar incondicionalmente, independente das decisões ou escolhas tomadas.

    O amor verdadeiro muda vidas e é o maior de todos os poderes existentes no mundo.

Fonte: família.com

COMO DESINTOXICAR O CORPO DO AÇÚCAR E SE LIVRAR DO VÍCIO EM APENAS 7 DIAS

Todo mundo sabe que o açúcar não é um alimento saudável. Além de engordar, ele pode causar vários problemas, como diabetes, insônia e até dependência. Sabemos também que não é nada fácil se livrar do agradável sabor doce do açúcar. No entanto, nada é impossível. Tudo depende da força de vontade. Neste post, vamos ensinar passo a passo como desintoxicar o corpo e livrá-lo do açúcar em 7 dias.

1. Queira: é apenas isso. 

Tudo o que você precisa é estar determinado de que não quer mais consumir açúcar. Prometa a si mesmo(a). Feito isso, já temos “meio caminho andado”.

 

2. Cumpra: como diz o ditado popular, “promessa é dívida”.

Se você prometeu, então comece a se desfazer de todos os alimentos que tenham excesso de açúcar, em sua despensa.

 

3. Beba bastante líquido:

Bastante mesmo. Água, suco, chá ou água de coco. Eles vão ajudar a eliminar as toxinas deixadas pelo açúcar. Por isso, é muito importante passar a semana do tratamento bebendo muito líquido. Nada de refrigerantes ou outras bebidas industrializadas, OK?

 

4. Consuma mais proteína:

Já que você vai eliminar carboidratos de péssima qualidade (macarrão, pão, bolo, biscoito, bolacha, pizza, coxinha, empadinha, batata frita)  da sua dieta, substitua-os por proteína (sardinha, salmão, ovo, por exemplo). A proteína serve para fornecer energia ao corpo, que é necessária para praticarmos atividades física e ter uma vida mais saudável.

 

5. Quanto de carboidratos podemos comer: nosso corpo funciona bem com 20-40 gramas de carboidratos por dia, porém a maioria das pessoas consome  50 ou mais gramas diariamente. 

Cuidado! – principalmente se você quer perder peso. É importante que os carboidratos sejam de qualidade, de boas fontes, como brócolis, couve, batata-doce e cenoura.

 

6. Coma gordura: isso mesmo!

Parece absurdo, mas é verdade. Não estamos, é claro, falando da gordura do bacon ou queijo derretido. Estamos falando de gorduras boas, como amêndoas, castanhas, nozes, salmão e abacate.

 

7. Controle o estresse: o estresse faz mal para o corpo, mente e espírito.

No caso da alimentação, quando estamos estressados, passamos a comer mais, de forma descontrolada – principalmente açúcar.

8. Durma o suficiente: quem dorme pouco tem mais fome e desejo de açúcar, foi o que estudos revelaram.

Se dorme menos do que o tempo recomendado, o cérebro, quando estiver acordado, não descansa e emite “sinais de fome”.

 
Fonte: Cura pela Natureza

Como evitar a desnutrição na terceira idade

Nutricionista destaca alimentos e hábitos para melhorar a qualidade de vida de idosos:

Uma série de mudanças fisiológicas ocorrem em nosso corpo à medida que vamos envelhecendo. A estrutura orgânica, a absorção de nutrientes, o apetite, por exemplo, passam por uma série de mudanças. É normal que suas atividades entrem em perda e o ritmo de funcionamento biológico não superem os ritmos de desnutrição. A situação nutricional da população idosa do Brasil apresenta 15,9% de baixo peso. E a principal causa dessa desnutrição está na falta de ingestão de nutrientes necessários para o desenvolvimento das funções corpóreas.

A nutricionista Tathiana Ferreira explica que, à medida que a idade vai aumentando, as necessidades energéticas diminuem. No entanto, a necessidade dos nutrientes aumentam. Por esse fato, é muito importante priorizar alimentos de alto valor nutricional. “É comum que idosos deixem de comer alimentos sólidos e passem a comer os mais pastosos. Mesmo nessa fase, é importante dentro de uma dieta balanceada, trabalhar a mastigação, aliada a alimentos saudáveis”, comenta a nutricionista.

Dentre os problemas mais comuns em idosos, relacionados a uma alimentação mal estruturada, estão: a obesidade com atrofia da massa magra, diabetes, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, insuficiência digestiva e osteoporose.

Um importante aliado contra essa desnutrição é a vitamina C. De acordo com a nutricionista, a vitamina C é indispensável na prevenção de doenças cardiovasculares na terceira idade. Segundo um estudo realizado por 12 anos com idosos de 60 a 101 anos, a mortalidade causada por doenças cardiovasculares é menor naqueles que ingerem frequentemente vitamina C, encontrada nas frutas como morango, laranja e limão.

As doenças vasculares, diabetes e distúrbios gastrointestinais estão ligados à falta de vitamina A. E ela pode ser encontrada em alimentos como peixes, vegetais, frutas, fígado, leite integral.”, esclarece Tathiana, que acrescenta:“A vitamina E também é fundamental contra a aterosclerose. Essa vitamina está presente em cereais, verduras e legumes verdes, frutas secas, sementes e óleo vegetal.”, explica ela.

Um ponto importante para melhorar a nutrição e a qualidade de vida dos idosos está em estabelecer horários regulares para as refeições. “O idoso precisa de maior conforto e esse ajuste de horário ajuda a fornecer maior apetite, como também energia e nutrientes”, comenta Tathiana. A nutricionista ainda ressalta que é necessário consumir bastante água para evitar a desidratação e problemas renais. “Alguns idosos, devido à incontinência urinária. não desejam beber líquidos ou não sentem sede. É fundamental que eles se hidratem constantemente”, alerta a nutricionista, que também destaca que a pratica de atividade física na terceira idade ajuda muito.

É indispensável, em todas as fases da vida, consumir alimentos de variados grupos e na consistência adequada; na terceira idade não é diferente. Com uma alimentação balanceada, a nutrição estará presente e o idoso terá uma saúde tranquila.

Fonte: Dicas de Mulher

DICAS PARA UM SONO TRANQUILO DURANTE A GRAVIDEZ

A gravidez traz um monte de surpresas inesperadas, mas talvez uma das menos bem-vindas é uma interrupção no seu horário de sono. Estar grávida é desgastante, então por que você está deitada acordada contando carneirinhos em um momento em que você precisa dormir o máximo?
Descanse com a certeza de que você não está sozinha.
Muitas futuras mães têm dificuldade de pegar – e continuar – no sono durante a gravidez devido às mudanças hormonais e ao desconforto físico de carregar um bebê. Embora seja frustrante, especialistas dizem que a situação é corrigível, e já que a saúde do seu bebê depende da sua saúde, quanto mais você dormir durante a gravidez, melhor!
Dormindo durante o primeiro trimestre
Durante os primeiros meses da sua gravidez, você pode perceber que você precisa urinar com mais frequência no meio da noite. Isso é normal, mas para evitar o número de idas ao banheiro, evite beber muitos líquidos à noite. Apenas certifique-se de beber bastante água durante o dia para compensar isso.
O estresse também pode manter as futuras mães acordadas, por isso, se você estiver preocupada com a sua nova gravidez, tente manter um diário ao lado de sua cama e anote suas preocupações antes de ir dormir. O ato de escrevê-las pode ajudar a aliviar o seu estresse o suficiente para você adormecer.
Dormindo durante o segundo trimestre
Muitas futuras mães acham que o seu sono melhora durante o segundo trimestre à medida que a necessidade de urinar diminui. Porém, o seu corpo que está mudando pode apresentar alguns problemas de sono.
À medida que seu bebê cresce, você achará que dormir de lado com os joelhos dobrados pode ser a posição mais confortável. Embora travesseiros posicionados estrategicamente podem ajudar a mantê-la nessa posição lateral, não se preocupe se você rolar e ficar de costas no meio da noite – é uma dessas partes da gravidez que você não pode controlar.
Dormindo durante o terceiro trimestre
Durante o último trimestre da sua gravidez, a necessidade de urinar com frequência retorna – juntamente com azia, cãibras nas pernas e desconforto devido à sua barriga em expansão. Para ajudar a preparar o seu corpo para dormir, faça algo relaxante antes de ir para a cama, como tomar um banho quente por 15 minutos.
Começar uma rotina regular na hora de dormir também pode ajudar seu corpo com uma boa noite de sono. Embora possa ser tentador trabalhar durante a noite se preparando para seu novo bebê, lembre-se de colocar suas necessidades em primeiro lugar. As decorações do quarto do bebê podem esperar até a manhã!
Se você encontrar uma rotina de dormir que funcione para você, certifique-se de mantê-la. Embora seja possível ter uma boa noite de sono enquanto está grávida, você descobrirá que não é tão fácil quando você tem um novo bebê na casa, por isso, estoque seu sono agora!
E para finalizar acho que vale super a pena investir em uma almofada (como o da foto) para dormir, o legal que geralmente essas almofadas, você pode usar na amamentação e para deixar o bebê tirar um cochilo.
Fonte: Gravidas Antenadas

Como se Alimentar Bem

Alimentar-se adequadamente é crucial na manutenção da boa saúde e, felizmente, é muito mais fácil do que parece. Arme-se com conhecimento e você terá percorrido metade do caminho. Se você pensar em comer saudavelmente não como sacrifício, mas como oportunidade de desenvolvimento pessoal, estará praticamente na linha de chegada. Você não precisa de alguém que lhe informe dos inúmeros benefícios à saúde que virão por abandonar as rosquinhas e os hambúrgueres. Você quer alguém que lhe mostre como tudo é feito. Aqui segue uma ideia dessa transformação.

1- Escolhendo uma Dieta Saudável

 Carboidratos simples, como açúcar e farinha, são rapidamente absorvidos pelo sistema digestivo do corpo. Isso provoca uma certa sobrecarga glicídica, causando a liberação de imensas quantidades de insulina no corpo para combatê-la. Coma-os com moderação. Carboidratos complexos, por outro lado, são digeridos lentamente pelo corpo, e incluem farinha integral, vegetais frescos, aveia e grãos não-processados como arroz integral. Esses alimentos são geralmente mais ricos em vitaminas e outros nutrientes que são benéficos ao corpo, sendo também mais ricos em fibras (que mantém o seu sistema digestivo trabalhando sem problemas).

  • Considere comer folhas verdes como couve, chicória e acelga. Elas estão cheias de nutrientes e lhe deixarão rapidamente satisfeito. Apenas refogando a comida com azeite, alho e um pouco de sal e pimenta, você terá uma refeição surpreendentemente saborosa e muito nutritiva.

  • Escolha o pão de trigo integral no lugar do pão branco. Carboidratos processados, como aqueles encontrados no pão branco, são mais difíceis de servir como nutrientes e, portanto, são considerados calorias vazias.

 2- Coma carnes magras.

Almeje obter entre 10 e 35% de suas calorias diárias de proteínas. A proteína lhe ajuda a construir músculos, oferecendo energia duradoura ao longo de todo o dia. Alguns exemplos de proteínas saudáveis incluem:

  • Peixes magros como solhas, linguados, bacalhaus, robalos, percas e halibutes.

  • Aves magras como frango ou peito de pato.

  • Legumes como feijões e produtos de soja

  • Nozes, como as castanhas de caju.

 3- Conheça a diferença entre a gordura boa e a ruim.

É necessário o consumo de lipídios para o bom funcionamento do organismo. No entanto, é importante escolher o tipo de gordura adequado ao consumo. Aqui está um exemplo rápido:

  • Os ácidos graxos monoinsaturados são bons lipídios que devem ser consumidos, se possível, com regularidade. Eles ajudam a diminuir o mau colesterol no corpo, aumentando sua contraparte boa. Alguns alimentos ricos em ácidos graxos monoinsaturados são azeite de oliva, nozes, óleo de peixe e azeites de sementes diversas. Agregar essas gorduras “boas” à sua dieta semanal pode diminuir o colesterol e reduzir o risco de doenças cardíacas.

  • Evite gorduras trans e saturadas. Gorduras trans são uma forma de gordura insaturada comumente encontrada em alimentos processados, e consumi-las com regularidade aumenta o risco de doenças cardíacas. Leia os rótulos do que você come e procure pelo termo “hidrogenado” na lista de ingredientes. Tenha em mente que, em alguns países, os fabricantes estão autorizados a rotular o produto como tendo 0 g de gordura trans se o conteúdo real for inferior a 0,5 g.

 4- Tenha em estoque alguns superalimentos.

Os chamados superalimentos podem portar um título ilusório, mas alguns verdadeiramente vão além do esperado. Superalimentos podem ter a habilidade de combater doenças cardíacas, impedir o avanço do câncer, diminuir os níveis de colesterol e até mesmo aprimorar o seu humor. Aqui estão alguns exemplos:

  • Mirtilo. O mirtilo pode ajudar na saúde cerebral. Se você não tem acesso a mirtilos, experimente framboesas ou cranberries.

  • Algas. Elas podem não parecer apetitosas, mas, quando você ler a lista de benefícios associada a elas, pode pensar duas vezes. Ricas em vitaminas, minerais e aminoácidos, elas são também benéficas na manutenção da flora natural existente nos intestinos.

  • Salmão. Outra criatura do mar nessa lista, e com boa razão, o salmão é rico em ácidos graxos ômega-3, um tipo de gordura boa. Os lipídios ômega-3 são bons para a pressão sanguínea, para a função cerebral e para a saúde cardíaca.

 5- Cuidado com a ingestão de sal.

Embora seres humanos precisem de sal com moderação, seu excesso pode levar à elevada pressão sanguínea, à osteoporose e à excessiva produção de ácido estomacal. Use-o escassamente e sempre confira os rótulos dos alimentos, escolhendo a opção com “redução de sódio”, se disponível.

 6- Pratique a moderação.

Não consuma qualquer alimento ou tipo de alimento de forma excessiva. Em vez disso, tente variar a dieta de modo a sempre comer um pouco de tudo, em quantidades moderadas.

  • Algumas pessoas podem não ter problemas em abster-se de carne, açúcar, álcool ou outros alimentos. No entanto, a maioria de nós provavelmente “abandona” tudo isso por algum tempo, desistindo a seguir e retornando à velha prática. Tente evitar esse ciclo de fome-fartura com pequenos “truques”. Por exemplo, se você quiser comer menos açúcar, coma uma pequena sobremesa somente às sextas-feiras. Ter somente um dia na semana para furar a “dieta” pode ajudá-lo ao longo dos outros dias.

 7- Crie o hábito de beber água.

Manter-se sempre hidratado com apenas H2O é uma forma simples e drástica de melhorar a saúde e abandonar alguns quilinhos mesmo com a sensação de sentir-se satisfeito. Beba água durante e depois das refeições para auxiliar na digestão, e tente consumir entre 2 a 3 litros de água por dia.

  • Se você quiser beliscar algo, experimente beber antes um copo cheio de água. Algumas pessoas confundem sede com fome, e comem um lanche de 400 a 500 calorias quando um único copo de água teria ajudado a saciar essa “fome”. Se a fome persistir 15 minutos depois de beber, então realmente é hora de fazer um lanche.

Fonte: WikiHow

 

 

55% das mães não queriam ter filhos, aponta pesquisa

RIO – Mais da metade das gestações no Brasil não é planejada. É o que apontam novos dados da pesquisa “Nascer no Brasil: inquérito nacional sobre parto e nascimento”, que ouviu 24 mil mulheres nos anos de 2011 e 2012 em 266 hospitais públicos brasileiros. Do total, 55,4% relataram que não pretendiam engravidar – 25,5% queriam esperar mais tempo e 29,9% não tinham desejo de serem mães em momento nenhum. Pouco mais de 2% das entrevistadas disseram ter tentado abortar, sem sucesso.

Das 24 mil mulheres, 4.080 (17%) tinham entre 10 e 19 anos. Entre elas, o índice de gravidez não desejada atingiu 66%. A coordenadora da pesquisa, Maria do Carmo Leal, da Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (ENSP/Fiocruz), ressalta que o País avançou em alguns pontos, como a redução da mortalidade infantil, mas ainda há falha no planejamento familiar.

“Sugerimos que é preciso reforçar as políticas de planejamento familiar e que a mulher possa escolher o método livremente”, disse Maria do Carmo.

Ouvidas logo depois do nascimento dos seus bebês, 2,3% relataram que tentaram abortar. Entre as adolescentes, essa proporção chegou a 3,4%. O índice é baixo e não reflete a realidade dos abortos tentados no País, segundo Maria do Carmo.

“Ninguém defende o aborto como forma de fazer planejamento familiar. Mas, uma vez que aconteça a gravidez, por um acidente, e a pessoa não queira de maneira nenhuma, a mulher deveria ter o direito de decidir sobre isso bem no começo da gestação”, afirmou.

As mulheres que planejaram suas gestações, em sua maioria, são brancas, escolarizadas, têm relação estável, não fumam nem bebem, têm mais de 35 anos, e renda. Na outra ponta, a das gestações indesejadas, estão adolescentes pretas e pardas, sem renda, que não têm companheiro nem marido e abusam de álcool e cigarro. “Quem consegue planejar sua gravidez são as de melhores condições socioeconômicas. Mostrando mais uma vez que, como em relação a quase tudo na saúde da população, você tem enormes iniquidades”, afirma a pesquisadora da ENSP/Fiocruz Mariza Theme.

Estudos anteriores mostram que 70% das mulheres com vida sexual ativa faziam uso de método contraceptivo. O dado se choca com a grande proporção de gestações indesejadas apontadas pela pesquisa. “Tentamos entender esse problema da gravidez indesejada diante da disponibilidade de métodos contraceptivos. Elas os conhecem e os usam. Provavelmente não usam corretamente. Não conseguimos nos aprofundar sobre as causas disso”, disse Mariza.

Estadão

STF decide que aborto no primeiro trimestre da gestação não é crime

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal decidiu na noite desta terça-feira (29) descriminalizar o aborto no primeiro trimestre da gravidez.

O colegiado, seguindo voto do ministro Luís Roberto Barroso, entendeu que são inconstitucionais os artigos do Código Penal que criminalizam o aborto.

Entretanto, tal entendimento vale apenas para um caso concreto julgado nesta terça pela Corte.

Para o ministro Barroso, a criminalização do aborto nos três primeiros meses da gestação viola os direitos sexuais e reprodutivos da mulher, o direito à autonomia de fazer suas escolhas e o direito à integridade física e psíquica.

No voto o ministro ressaltou que a criminalização do aborto não é aplicada em países democráticos e desenvolvidos, como Estados Unidos, Alemanha, França, Reino Unido e Holanda.

O caso julgado pelo colegiado tratou da revogação de prisão de cinco pessoas detidas em uma operação da polícia do Rio de Janeiro em uma clínica clandestina, entre elas médicos e outros funcionários.

 Jovem Pan

Cobrir carrinho com fralda não protege bebê do sol nem do frio e é perigoso

Em um parque ou na rua, é comum ver carrinhos de bebê protegidos do calor e do frio com uma fralda de pano, esticada sobre sua abertura. Embora cercada de boas intenções, a medida é ineficaz e pode ser perigosa.

A fralda não protege o bebê dos raios solares UVA e UVB, pois o tecido do qual é feita não impede de fato a passagem deles. Ao mesmo tempo, prejudica a circulação de ar no cesto do carrinho e faz com que ele vire uma espécie de estufa, prejudicando a respiração e a transpiração da criança (dificultando que ela se refresque), segundo Daniela Miranda Gonçalves, neonatologista do Hospital e Maternidade Santa Joana, em São Paulo.

Para piorar o cenário, o material da maioria dos carrinhos aquece naturalmente quando exposto ao sol, porque é impermeável.

Mariane Franco, presidente do Departamento Científico de Pediatria Ambulatorial da SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria), também explica que, caso caia sobre o rosto do bebê, a fralda pode atrapalhar a respiração da criança.

“O uso de panos, rolinhos de tecido e fraldas não são indicados por causa do risco de sufocamento. As medidas estão descritas em protocolos para prevenção de acidentes na infância do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde”, diz Mariane.

Para manter o bem-estar das crianças e protegê-las do sol, as recomendações dos pediatras são:

– Investir em carrinhos de cores claras, que refletem a luz do sol e absorvem menos calor do que as escuras;

– Dar preferência a modelos de carrinhos que tenham a aba superior, chamada de sombreiro, ampla. Por questões estéticas, alguns fabricantes reduzem o tamanho dessa área, desconsiderando a real função dela;

– Para bebês que ficam sentados nos carrinhos, cobrir a cabeça deles com chapéu ou boné, de preferência feitos com materiais com proteção UVA e UVB;

– Ter sempre uma sombrinha ou guarda-chuva (preferencialmente com proteção contra raios UVA e UVB) para bloquear a incidência direta do sol. Alguns modelos de carrinho são vendidos com esse acessório. Ao contrário da fraldinha, a sombrinha não fecha o carrinho por completo, consequentemente não prejudica a circulação de ar.

Segundo Werther Brunow, coordenador de pediatria do Hospital Santa Catarina, em São Paulo, mesmo em dias frios e de vento intenso, não se deve usar nenhum tecido sobre o carrinho, na tentativa de manter a criança aquecida.

“Jamais devemos perder a criança de vista, estando ela dormindo ou acordada, no carrinho, na cadeirinha do carro ou no bebê conforto. Se o bebê está fora do alcance de nossa visão, principalmente se for menor de um ano, é impossível saber se vomitou e está aspirando a secreção, dentre outros problemas graves, e acudi-lo a tempo”, declara Brunow.

Em dias frios, a solução é cautela ao sair de casa e agasalhar a cabeça da criança com gorro ou touca.

Em relação a saídas de casa que não podem ser adiadas durante horários de sol intenso (principalmente entre 10h e 16h), a indicação de Daniela é expor a criança o menor tempo possível. “A criança pode desidratar e apresentar queimaduras na pele se ficar, por exemplo, exposta por duas horas no horário de pico. Por isso, buscar áreas de sombra é muito importante”, fala a neonatologista.

Uol

O que é o HPV?

O Human Papiloma Virus, ou HPV, é um vírus que vive na pele e nas mucosas dos seres humanos, tais como vulva, vagina, colo de útero e pênis. É uma infecção transmitida sexualmente (DST). A ausência de camisinha no ato sexual é a principal causa da transmissão.

Também é possível a transmissão do HPV de mãe para filho no momento do parto, devido ao trato genital materno estar infectado. Entretanto, somente um pequeno número de crianças desenvolve a papilomatose respiratória juvenil.

O HPV pode ser controlado, mas ainda não há cura contra o vírus. Quando não é tratado, torna-se a principal causa do desenvolvimento do Câncer de colo do útero e do Câncer de Garganta. 99% das mulheres que possuem Câncer de colo do útero foram infectadas por esse vírus.

Dr. Sergio dos Passos Ramos CRM17.178 – SP