terça-feira, 17 outubro, 2017

Queimadas preocupam gigantes da celulose em Três Lagoas, que investem pesado em tecnologia

Ativo florestal da Eldorado e Fibria totalizam 612 mil hectares de florestas plantadas em Três Lagoas e região. Em tempos de estiagem prolongada é constante a fiscalização no sentido de evitar incêndios

O período de estiagem já está passando, no entanto, alguns cuidados ainda precisam ser tomados, principalmente nos dias em que o sol está mais forte. As queimadas foram, até poucos dias atrás, vistas com frequência tanto na região de Três Lagoas, como nas cidades do interior paulista.

No mês passado, um incêndio destruiu mais de 200 hectares de plantação de eucaliptos em várias propriedades rurais de Ribas do Rio Pardo, deixando prejuízos milionários aos proprietários rurais.

PREOCUPAÇÃO CONSTANTE

Mesmo com as chuvas dos últimos dias, o problema de incêndio é uma preocupação constante para os silvicultores, bem como para as fábricas de celulose que possuem milhares de hectares de eucaliptos plantados em Três Lagoas e região.

Diante desse contexto, o Perfil News entrou em contato com duas empresas de celulose, Fibria e Eldorado Brasil, que juntas detém o maior maciço florestal do Estado e com a Reflore MS, Associação Sul Mato-Grossense de produtores e Consumidores de Florestas Plantadas.

Em resposta, a assessoria de Comunicação da Reflore enviou informações sobre a Campanha de Prevenção e Combate a Incêndios realizada pela Associação. Nela consta a observação feita por Alexandre Pereira, Analista Ambiental do PrevFogo, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Segundo ele, mais de 90% dos incêndios florestais são provocados por ação humana de origem proposital, acidental ou negligência.

QUEIMADAS CONTROLADAS

“Em MS a principal causa que leva aos incêndios florestais é o uso do fogo de forma inadequada, sem as recomendações técnicas necessárias para manter o fogo sobre controle”, observa. No Estado, o fogo é utilizado principalmente na atividade de pecuária com o objetivo de renovar a pastagem nativa. Para o Analista Ambiental, outras atividades relacionadas ao campo também utilizam o fogo, como a limpeza de restos de colheita, de exploração florestal, controle de pragas, entre outros. “Não podemos esquecer que o uso do fogo é permitido por meio das queimas controladas, desde que autorizado pelo órgão estadual de meio ambiente”, diz o especialista em nota encaminhada pela Reflora.

“A Fibria conta com torres de observação equipadas com câmeras que identificam qualquer mudança na paisagem (aparecimento de fumaça ou de veículos, por exemplo). Os dados captados são transmitidos em tempo real para uma sala de controle. Caso haja um alerta, a brigada de incêndio é acionada, permitindo um rápido deslocamento até o local minimizando possíveis danos à floresta”

— Assessoria de Comunicação

CONSEQUÊNCIAS

O impacto causado pelas queimadas é maior do que apenas um pedaço de terra. Ainda de acordo com Alexandre, o impacto é ambiental, com a perda da biodiversidade existente no local, degradação do solo e emissão de gases. Os impactos sociais recaem sobre a esfera da saúde, com o aumento de problemas respiratórios e, em alguns casos, a mudança de local que algumas famílias são obrigadas a ter. A economia também é afetada, se levar em consideração que rodovias e estradas muitas vezes acabam sendo fechadas devido a fumaça, além de aeroportos e a destruição de plantações e a morte de rebanhos.

BRIGADISTA

Por sua vez, a assessoria de Comunicação da Fibria também respondeu ao Perfil News. A empresa informou que detém uma área de 372.234 mil hectares de florestas. Por conta disso, possui uma equipe de brigadistas de mais ou menos cinquenta pessoas para combater os focos de incêndio. Essa equipe também auxilia a cidade de Três Lagoas quando solicitada. “Os brigadistas participam constantemente de treinamentos, reciclagens, capacitações e simulados com foco em gestão e atualização das técnicas para a prevenção e combate a incêndios”, informou a empresa.

O ativo florestal da Fibria e Eldorado Brasil somam mais de 612 mil hectares (Foto: Divulgação)

O ativo florestal da Fibria e Eldorado Brasil somam mais de 612 mil hectares (Foto: Divulgação)
EQUIPAMENTOS

Questionada a respeito dos métodos utilizados pela empresa para combater os focos de incêndio, a Fibria disse que trabalha com um sistema inovador de detecção de incêndios. “A Fibria conta com torres de observação equipadas com câmeras que identificam qualquer mudança na paisagem (aparecimento de fumaça ou de veículos, por exemplo). Os dados captados são transmitidos em tempo real para uma sala de controle. Caso haja um alerta, a brigada de incêndio é acionada, permitindo um rápido deslocamento até o local minimizando possíveis danos à floresta”, detalhou a empresa.

Porém, para melhor eficiência, a indústria possui um canal para que a população também seja participante informando a respeito de focos ou de incêndios de maior proporção. “Se o foco acontecer em áreas de atuação da Fibria, a empresa possui o canal ‘Fale com a Fibria’, e por meio dele, a comunidade pode informar sobre ocorrências de incêndios em florestas de eucalipto ou nativas nas áreas da empresa. A ligação para o número 0800 642 8162 é gratuita”

“A Eldorado possui 11 torres de observação distribuídas em suas áreas florestais, além de 22 brigadas de incêndios treinadas para combate imediato das ocorrências”

— Assessoria de Comunicação

A empresa finalizou dizendo que este ano a equipe de brigadistas está controlando alguns focos porém, todos de pequenas proporções e que são rapidamente combatidos com nossas equipes de brigadas, sem trazer prejuízos à Fibria.

ELDORADO

Outra gigante da produção de celulose e papel instaladas em Três Lagoas é a Eldorado Brasil. Inaugurada em dezembro de 2012, a empresa vai completar 5 anos de atividades. Mesmo com pouco tempo de atuação no mercado, a Eldorado possui uma grande extensão de florestas, totalizando 240 mil hectares utilizados no plantio de Eucalipto.

Falando de Segurança no Trabalho, a empresa enfatiza que todos seus os funcionários são assistidos pelo setor de Segurança da Eldorado, “no exercício de suas funções de forma a minimizar os riscos das mesmas quanto às questões de acidentes e incidentes de trabalho”, disse à empresa que, perguntada sobre pessoas morando em suas terras, informou que mantém a prerrogativa de não manter unidades habitacionais. “Esta prerrogativa assegura a minimização de riscos para seus ativos florestais bem como a eliminação de qualquer caracterização de semelhanças a trabalho escravo as quais são expressamente banidas e proibidas em todas as áreas da companhia”.

O problema de incêndio é uma preocupação constante para os silvicultores, bem como para as fábricas de celulose (Foto: Divulgação)

O problema de incêndio é uma preocupação constante para os silvicultores, bem como para as fábricas de celulose (Foto: Divulgação)
SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS

A Eldorado enfatizou que desde sua implantação abusa da tecnologia para prevenir acidentes e situações como as das queimadas. Desta forma a empresa implantou um sistema de monitoramento com câmeras de última geração e com qualidade de imagem em HD, as quais captam ocorrências de focos de incêndios, bem como enviam imagens em tempo real do status das áreas florestais da empresa.

O sistema adquirido realizada detecção automática de focos de incêndios com alarmes automatizados e visualização em 360º com monitoramento em tempo real e operação de 24 horas por dia. A Eldorado detalhou ainda que possui 11 torres de observação distribuídas em suas áreas florestais, além de 22 brigadas de incêndios treinadas para combate imediato das ocorrências.

Do Perfil News

Fibria contratará mão de obra para atender transporte de celulose

Contratações visam preencher 20% restantes das três mil vagas de trabalho previstas para unidade

Durante a apresentação da linha 2 de produção de celulose da Fibria, em Três Lagoas, o corpo de diretores da indústria confirmou que ainda não foram preenchidas em sua totalidade, às três mil vagas de emprego anunciadas durante sua construção. Os 20% restantes deverão ser completados a partir de agora, com contratações para atender a praça de Aparecida do Taboado, em que há operações dentro do setor de transporte.

Ainda não há números previstos para as contratações, entretanto, o diretor geral da unidade em Três Lagoas, Maurício Miranda disse que logo serão iniciadas. “Os empregos que foram abertos e cumpridos, mas na questão logística, começa a ser incrementada, tanto quanto na capacidade de expedição, como também de recebimento de matéria-prima da planta. Ainda vemos oportunidades de emprego nos próximos meses, para chegar dentro dos três mil empregos diretos e indiretos”, disse.

Ainda há muito trabalho no setor de obras, da linha 2, da empresa de celulose. Ruas e calçamento estão em construção, conforme explicou o diretor de operações, Aires Galhardo. “São áreas que deverão ser concluídas até o final do ano, que precisam de correção e revestimento. As vagas diretas estão praticamente todas ocupadas. Alguns indiretos, em função do crescimento e da produção, é que serão, praticamente, agregados. A parta logística, tanto para abastecimento, quanto de escoamento, que precisará ser preenchida”, explicou.

Maurício Miranda complementou, apontando o setor com vagas no momento. “Especialmente quando falamos de Aparecida do Taboado, onde as operações iniciaram este mês. O nosso operador logístico está implementando, no movimento de transporte de celulose, de Três lagoas, para lá, esta operação, dentro da unidade”, finalizou.

JP News

Integrantes presos em Três Lagoas planejavam assassinar policiais e agentes penitenciários

Segundo a polícia, os suspeitos são integrantes da uma facção criminosa

A Operação Sintonia que foi desencadeada nesta quinta-feira (05) em Três Lagoas conseguiu desarticular um esquema para assassinar policiais militares, civis e agentes penitenciários. A revelação foi feita em uma coletiva de imprensa que reuniu alguns delegados e um oficial da Polícia Militar envolvidos na operação na sede do Serviço de Investigações (SIG) da Polícia Civil.

Segundo a polícia, a operação foi determinada depois que uma investigação para elucidar a morte de Deivid Almeida de Oliveira, o “caveirinha” de 20 anos ocorrido em julho deste ano, apontou que a vítima foi morta depois que um “tribunal do crime” foi montado e um dos integrantes do grupo – que está preso por latrocínio em Campo Grande – determinou que “caveirinha” fosse morto. A polícia descobriu que Deivid Almeida foi morto porque estaria “incomodando e perseguindo” uma adolescente de 15 anos, namorada de um dos integrantes do grupo que está preso na Penitenciária de Segurança Média de Três Lagoas.

A investigação para elucidar e identificar os envolvidos continuou e a polícia descobriu também que existia um “plano” do grupo para assassinar policiais militares, civis e agentes penitenciários: ”Eles estavam planejando essa ação, não somente em Três Lagoas, mas também em Naviraí e em outras cidades. A intenção era assassinar militares, civis e agentes penitenciários para mostrar a força da facção aqui na região”; disse o delegado Ailton Pereira, delegado titular do SIG.

Ainda conforme a polícia, o “tribunal do crime” foi montado através de uma teleconferência e o “veredicto” para matar Deivid foi dado pelo suspeito preso em Campo Grande, que seria um dos líderes da facção que atua dentro e fora dos presídios.

Uma mulher de 38 anos, a filha dela, de 15 anos e um menor de 17 anos estariam envolvidos diretamente na morte de “caveirinha”, segundo a polícia. A mulher foi presa em flagrante e os menores foram apreendidos e foram encaminhados para a UNEI. Outros integrantes da facção também foram identificados, presos e mais um menor apreendido.

O delegado regional de Polícia Civil, Rogério Faria disse que a operação foi um sucesso e demostrou que as forças policiais estão a frente das organizações criminosas em nossa região.

TRÁFICO DE DROGAS

Durante a operação, a polícia ainda conseguiu desarticular um esquema de tráfico de drogas dentro e fora da Penitenciária de Segurança Média de Três Lagoas.

Um “pente-fino” foi feito pela Polícia Militar e Civil e porções de maconha e crack foram apreendidas dentro de celas do PSM, além de aparelhos celulares e carregadores.

Tabletes de maconha e embalagens para a confecção de cocaína para venda também foram apreendidas na operação e um homem, apontado como sendo um dos principais fornecedores de drogas para “bocas de fumo” da cidade foi preso. A polícia diz que ele também faz parte da facção criminosa que atua na região de Três Lagoas.

Oito delegados, mais de 20 agentes da polícia civil, 3 oficiais da PM, 21 policiais da Rotai, 15 da Rádio Patrulha, ambos da Polícia Militar, além de agentes do Serviço de Inteligência da PM participaram da Operação Sintonia. Já na capital, Campo Grande, policiais do Garras da Polícia Civil e do Choque da Polícia Militar colaboraram com a operação que foi considerada um sucesso no combate ao crime organizado.

JP News

Com nova fábrica da Fibria, Três Lagoas consolida a liderança mundial de celulose

Fibria inicia operação da nova fábrica de celulose com de três semanas de antecedência e consolida sua liderança mundial no setor

A Fibria, empresa brasileira e líder mundial na produção de celulose de eucalipto a partir de florestas plantadas, antecipou o cronograma e iniciou hoje a operação de sua nova fábrica em Três Lagoas (MS). A segunda linha de produção de celulose da companhia começa a funcionar três semanas antes do prazo previsto, que era a primeira quinzena de setembro.

RECORDE MUNDIAL

Resultado de investimentos de R$ 7,5 bilhões, a segunda fábrica da Fibria em Três Lagoas terá capacidade de produção de 1,95 milhão de toneladas de celulose de eucalipto por ano. Somando a primeira unidade, já em funcionamento na cidade, a empresa passa a ter uma capacidade de produção de 3,25 milhões de toneladas de celulose/ano, o que faz da operação da Fibria no Mato Grosso do Sul uma das maiores fábricas de celulose do mundo. No total, considerando todas as demais unidades da companhia – Aracruz (ES), Jacareí (SP) e Eunápolis (BA), onde opera a Veracel – a Fibria alcança uma capacidade de produção de 7,25 milhões de toneladas de celulose/ano, consolidando a sua liderança mundial no setor.

“Nesse período de pouco mais de dois anos, concluímos a maior fábrica em linha única da atualidade antes do prazo e abaixo do orçamento proposto, o que evidencia o comprometimento de toda a equipe em ganhar produtividade, reduzir custos e fazer sempre melhor, com segurança e respeito às pessoas e ao meio ambiente. O início da operação da nossa segunda fábrica em Três Lagoas representa o começo de uma nova fase para a companhia, consolidando a sua liderança no mercado mundial”

— Marcelo Castelli – Presidente da Fibria

CRONOGRAMA

A Fibria anunciou a expansão de sua unidade de Três Lagoas (MS) em maio de 2015, e os trabalhos começaram em seguida. Ao longo de 27 meses, foram gerados 40 mil empregos em toda a cadeia produtiva, do canteiro de obras da empresa no Mato Grosso do Sul até as operações dos cerca de 300 fornecedores diferentes do projeto.

“Nesse período de pouco mais de dois anos, concluímos a maior fábrica em linha única da atualidade antes do prazo e abaixo do orçamento proposto, o que evidencia o comprometimento de toda a equipe em ganhar produtividade, reduzir custos e fazer sempre melhor, com segurança e respeito às pessoas e ao meio ambiente. O início da operação da nossa segunda fábrica em Três Lagoas representa o começo de uma nova fase para a companhia, consolidando a sua liderança no mercado mundial”, afirma Marcelo Castelli, presidente da Fibria.

O presidente da Fibria, Marcelo Castelli e demais diretores observam na sala de controle o funcionamento da mais nova fábrica de celulose a entrar em operação no Brasil (Foto: Assessoria)

O presidente da Fibria, Marcelo Castelli e demais diretores observam na sala de controle o funcionamento da mais nova fábrica de celulose a entrar em operação no Brasil (Foto: Assessoria)
INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

A nova unidade da Fibria em Três Lagoas (MS) traz uma série de inovações na construção, operação e processos industriais e florestais. Um dos destaques é o viveiro automatizado de mudas de eucalipto – a maior inovação tecnológica na área florestal dos últimos tempos. Para atender à demanda de 43 milhões de mudas por ano, especialistas da empresa foram conhecer a tecnologia empregada na fabricação de flores na Holanda. A partir dessa observação, traçaram uma estratégia para criar não apenas o maior viveiro de mudas de eucalipto do mundo, mas também o primeiro totalmente automatizado.

“Essas e outras inovações que implementamos são resultado de muita pesquisa, planejamento, esforço conjunto da equipe e ousadia para enxergar o processo sempre sob novos pontos de vista. É dessa forma que a Fibria incorpora, na prática, a sustentabilidade e a excelência operacional no dia a dia de suas operações”

— Júlio Cunha – Diretor de engenharia e projetos

SUSTENTABILIDADE E EXCELÊNCIA

O viveiro automatizado da Fibria apresenta novas tecnologias, como a irrigação automatizada, o que permite o controle detalhado do manejo e da nutrição das plantas, e uma estação meteorológica particular que faz a abertura e o fechamento automático de tetos retráteis de acordo com o clima, aumentando a proteção das mudas na fase mais sensível. A estação também mede a intensidade de energia solar no viveiro, propiciando o melhor controle sobre a quantidade de água necessária às plantas.

“Essas e outras inovações que implementamos são resultado de muita pesquisa, planejamento, esforço conjunto da equipe e ousadia para enxergar o processo sempre sob novos pontos de vista. É dessa forma que a Fibria incorpora, na prática, a sustentabilidade e a excelência operacional no dia a dia de suas operações”, afirma o diretor de engenharia e projetos da Fibria, Júlio Cunha.

Sobre a Fibria

Líder mundial na produção de celulose de eucalipto, a Fibria é uma empresa que procura atender, de forma sustentável, à crescente demanda global por produtos a partir da floresta plantada. Com capacidade produtiva de 5,3 milhões de toneladas anuais de celulose, a companhia conta com unidades industriais localizadas em Aracruz (ES), Jacareí (SP) e Três Lagoas (MS), além de Eunápolis (BA), onde mantém a Veracel em joint-operation com a Stora Enso. A companhia possui 1,056 milhão de hectares de florestas, sendo 633 mil hectares de florestas plantadas, 364 mil hectares de áreas de preservação e de conservação ambiental e 59 mil hectares destinados a outros usos. A celulose produzida pela Fibria é exportada para mais de 35 países. Em maio de 2015, a Fibria anunciou a expansão da unidade de Três Lagoas, que terá uma nova linha com capacidade produtiva de 1,95 milhão de toneladas de celulose por ano, e entra em operação no terceiro trimestre de 2017

Do Perfil News

Presidente Prudente chega a 275 casos de leishmaniose canina no ano

Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) divulgou nesta quinta-feira (21) a confirmação de mais 22 casos positivos para Leishmaniose Visceral Canina em Presidente Prudente. Desse total, 21 são autóctones, ou seja, contraídos no próprio município, e um é importado. Com esses novos resultados, a cidade chega agora a 275 casos confirmados da doença neste ano, com 264 autóctones e 11 importados.

Entre os bairros com confirmações de leishmaniose canina neste último balanço, destacam-se o Parque Imperial e o Jardim Sabará, com dois casos cada. Já nos bairros Vila Haruo Uoya, Jardim Augusto de Paula, Residencial Dayane, Montalvão, Jardim Bela Vista, Residencial Monte Carlo, Residencial Anita Tiezzi, Parque Primavera, Vila Santa Helena, Jardim Bongiovani, Cidade Universitária, Mário Amato, Jardim Cinquentenário, Jardim Santa Fé, Jardim Jequitibás, Jardim Humberto Salvador, Parque Jabaquara e Watal Ishibashi houve um registro em cada.

O coordenador do CCZ, Célio Nereu Soares, orienta a população a estar sempre atenta a eventuais sinais da doença. “Caso o cão apresente feridas pelo corpo, unhas grandes, secreção nos olhos, queda de pelo e emagrecimento, leve o animal até o CCZ para realizar o exame para detectar a leishmaniose, bem como utilizar coleiras com repelente”, alerta.

G1

Motorista morre e passageiro fica ferido após caminhão despencar em ribanceira de 20 metros de altura

Acidente foi registrado em acesso à Rodovia da Integração (SP-563), em Mirante do Paranapanema, nesta quinta-feira (21).

Um rapaz de 23 anos morreu e outro, de 20 anos, ficou ferido em um acidente de trânsito registrado na estrada que dá acesso à Rodovia General Euclides de Oliveira Figueiredo, a Rodovia da Integração (SP-563), em Mirante do Paranapanema. As vítimas estavam em um caminhão, com placas de Torrinha (SP), que colidiu na traseira de um caminhão trator semirreboque, com placas de Maringá (PR). O acidente ocorreu na manhã desta quinta-feira (21).

Conforme o Boletim de Ocorrência, na altura do km 13,500, o motorista, de 23 anos, tentou fazer uma ultrapassagem em local com duas faixas contínuas, mas, ao procurar desistir da manobra, perdeu o controle do veículo e colidiu contra a traseira do semirreboque.

Após a colisão, o caminhão bateu na defensa da ponte da rodovia e caiu em uma ribanceira, com cerca de 20 metros de altura, resultando na “morte instantânea” de seu condutor. Já o passageiro do veículo sofreu lesões corporais de natureza leve e foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros, que encaminhou a vítima ao Hospital de Teodoro Sampaio.

Foi solicitado ao Instituto de Criminalística exame pericial do local e dos veículos envolvidos.

O corpo da vítima fatal foi levado ao necrotério do Cemitério Municipal de Presidente Venceslau para ser submetido a exame necroscópico.

G1

Prefeitura de Bataguassu decreta ponto facultativo dia 8 de setembro, sexta-feira

Por: Bianca Lima/Assecom-Bataguassu

 

A Prefeitura de Bataguassu decretou ponto facultativo no dia 8 de setembro, sexta-feira. A data procede o feriado de Independência do Brasil, no dia 7 de setembro.

Conforme o documento assinado pelo prefeito de Bataguassu, Pedro Arlei Caravina (PSDB), atual presidente da Assomasul e publicado em Diário Oficial, considerando a Semana da Pátria e a necessidade de contenção de gastos com custeio da máquina administrativa, estabeleceu-se o ponto facultativo nas repartições públicas municipais.

A publicação esclarece, no entanto, que o decreto não se aplica ao Serviço de Atendimento ao Contribuinte (SAC), Pronto Socorro Municipal, Farmácia Popular, Secretaria Municipal de Infraestrutura e setor de Engenharia por serem considerados de caráter essencial à população.

Os atendimentos serão retomados normalmente na segunda-feira, dia 11 de setembro, em horário normal de expediente.

Caravina recebe ministro da Educação em Campo Grande

Foto: Edson Ribeiro/Assomasul
Foto: Edson Ribeiro/Assomasul

 

Por: Bianca Lima/Assecom-Bataguassu

O prefeito de Bataguassu, Pedro Arlei Caravina (PSDB), atual presidente da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul) recebeu ontem, dia 21 de agosto, na sede da entidade municipalista, em Campo Grande, o ministro da Educação, Mendonça Filho.

A autoridade federal participou da solenidade de abertura do encontro “FNDE em Ação”, que apresenta um resumo das principais ações do ministério voltadas às administrações municipais, estaduais e comunidades escolares com sequência nesta terça-feira, dia 22.  

Em seu discurso, Caravina solicitou ao ministro a liberação de recursos federais para investimento no transporte universitário, apontando as dificuldades dos municípios para a manutenção desse setor. “Quero aproveitar a oportunidade diante da situação dos municípios que em sua totalidade não dispõe de condições financeiras para pedir ao ministro que ofereça um programa para auxiliar os prefeitos a gerir essa demanda”, pontuou Caravina, que destacou que um programa para bancar esse setor seria muito importante para os acadêmicos de todos os municípios de Mato Grosso do Sul.

O dirigente, além de agradecer Mendonça Filho pelo fato de ter escolhido a casa dos prefeitos para a realização do evento, destacou ainda a importância da atividade organizado pelo ministério em parceria com a Assomasul observando que prefeitos e secretários municipais de Educação e técnicos das prefeituras terão a oportunidade durante o evento de tirar dúvidas relacionadas a vários setores, sobretudo, como experiência visando obter recursos federais.

Mendonça Filho, por sua vez, falou dos avanços de sua pasta em termos de investimento, citando como exemplo a liberação de R$ 5 milhões para os municípios do Estado investirem no setor por meio do programa FNDE em Ação, além da entrega de R$ 9 milhões em obras na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

O ministro pediu apoio dos prefeitos e da sociedade em favor do desenvolvimento do setor educacional. “Eu valorizo os municípios. Os prefeitos têm um papel importante para que possamos avançar ainda mais”, colocou, ao citar a aplicação de recursos no setor do transporte e merenda escolar.

Quanto ao pedido feito pelo presidente da Assoma sul, o ministro disse não ser irresponsável de fazer esse compromisso sobre o transporte universitário fazendo críticas veladas a gestões anteriores da pasta.

Mendonça Filho foi aplaudido quando garantiu reabrir o Plano de Ações Articuladas (PAR) a partir de setembro.

Participaram da cerimônia o governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), o presidente da Assembleia Legislativa, Júnior Mochi (PMDB), senadores Pedro Chaves (PSC-MS) e Simone Tebet (PMDB-MS) e deputados federais Geraldo Resende (PMDB-MS), Luiz Mandetta (DEM-MS) e Teresa Cristina (PSB-MS).

Bataguassu recebe curso de Formação sobre Territórios de Aprendizagem e Exploração

Foto: Micael Nunes
Foto: Micael Nunes

Por: Bianca Lima/Assecom-Bataguassu

 

A Fundação AH em parceria com as Secretarias Municipais de Educação e Cultura de Bataguassu, Anaurilândia, Santa Rita do Pardo e Brasilândia oferecerá na próxima segunda-feira, dia 24 de julho, em Bataguassu, uma capacitação voltada para professores da rede focado para a educação infantil. O curso será realizado no Centro de Eventos, das 9 às 18 horas (horário de Brasília).

Segundo a secretária municipal de Educação e Cultura, Regina Duarte de Barros Dovale, a capacitação será realizada na data em que os professores estarão retornando do período de recesso escolar e estarão em formação continuada e planejamento previsto em calendário escolar.

Regina lembra que a atividade será ministrada pela palestrante Tais Romero, pedagoga e psicopedagoga diretora do grupo “Pedagogia Subjetividade”, que tem ampla experiência em formação de professores no Brasil e exterior. O tema abordado será “Os Territórios de Aprendizagem e Exploração”.

SERVIÇO

Para interessados, informações e inscrições na Secretaria Municipal de Educação e Cultura, localizada na rua Ribas do Rio Pardo, 376, Centro. O investimento é de R$ 20.  

Diretor-presidente da Funtrab-MS visita Bataguassu

Foto: Micael Nunes
Foto: Micael Nunes

Por: Bianca Lima/Assecom-Bataguassu

 

O diretor-presidente da Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab), Wilton Acosta, esteve no dia 30 de junho, em visita ao município de Bataguassu.

Na ocasião, Acosta prestigiou o encerramento da Oficina de Formação em Economia Solidária com a entrega de certificados aos alunos participantes. A atividade desenvolvida na Câmara de Vereadores do município nos dias 29 e 30 de junho foi uma ação é da Funtrab, por meio do projeto MS Solidário em parceria com a Prefeitura de Bataguassu, através da Secretaria Municipal de Assistência Social.

O diretor-presidente esteve ainda na Casa do Trabalhador (Ciat) em reunião com o vice-prefeito de Bataguassu, Akira Otsubo (PMBD), com o gerente da Casa do Trabalhador, Enivaldo Vieira Marques e com a secretária municipal de Assistência Social, Ana Nely Castello Branco Sanches.

Entre os assuntos, Acosta salientou a necessidade de melhorias na estrutura física do Casa do Trabalhador para um melhor atendimento aos candidatos às vagas de emprego além de oferecer capacitação aos servidores da agência. Outro ponto abordado foi a disponibilização de oferta de crédito pessoal para empreendedores através do banco Cred Qualy.

OFICINA

Sobre a Oficina de Formação em Economia Solidária, o supervisor do projeto MS Solidário, Romeu Olivério Schaeffer, responsável por ministrar a atividade em Bataguassu explicou que o conceito de economia solidária tem sido nos dias atuais uma alternativa para a geração de emprego e renda em que grupos constituem empreendimentos econômicos.

Schaeffer esclareceu que no ano passado um seminário sobre o assunto teve como objetivo promover uma sensibilização a respeito do conceito no município que tem como público-alvo produtores rurais de agricultura familiar, grupos urbanos (artesãos e outros), quilombolas e indígenas. O objetivo é contribuir para a superação da extrema pobreza local, fomentando a geração de renda.

Durante os dias de formação, foram repassados informações na teoria e na prática sobre o conceito de economia solidária e seus empreendimentos; Produção, Comercialização, Consumo e Finanças Solidárias; Microcrédito, Bancos Comunitários, Clube de Trocas, Fundos Rotativos; Fórum Brasileiro e Estadual de Economia Solidária; Central de Comercialização; Identificação dos Empreendimentos Econômicos Solidários; Constituição de um Núcleo de Contato de Economia Solidária.

O supervisor lembrou que a próxima etapa do programa oferecerá uma oficina de designer para melhorar o acabamento e apresentação de produtos. Na sequência, serão formados 10 grupos que farão a exposição desses produtos já melhor formatados em uma feira regional em Ivinhema e posteriormente em uma feira estadual, em Campo Grande. “A economia solidária é a abertura de novas oportunidades de emprego e renda”, considerou ele.

A secretária municipal de Assistência Social, Ana Nely Castello Branco Sanches, durante o evento, agradeceu a presença dos participantes e comentou que foram mobilizadas para a atividade pessoas que já exercem alguma ofícios como artesãos e agricultores familiares.

Ana destacou a importância da oficina diante das informações e suporte técnico oferecido na data para capacitação e aprimoramento dos produtos desenvolvidos pelos empreendedores.

Ao final, a secretária agradeceu ainda ao Governo do Estado, através do Funtrab pela parceria, já que ações como essa são positivas no sentido de contribuir para a geração de renda das pessoas.