quinta-feira, 24 agosto, 2017
Foto: Micael Nunes

Projeto “Pingo D’Água” oferece atendimento odontológico gratuito em Bataguassu

Foto: Micael Nunes
Foto: Micael Nunes

 

Por: Bianca Lima/Assecom-Bataguassu

Desde o dia 16 de agosto, Bataguassu está recebendo o projeto Pingo D’ Água, ação do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/MS) e Famasul; Sindicato Rural de Bataguassu em parceria com a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde.

O objetivo do programa é oferecer atendimento odontológico no município, de forma gratuita, promovendo saúde, cidadania e prevenindo a existência de doenças bucais.

De acordo com o cirurgião dentista Augusto Carvalho, responsável pelos atendimentos na unidade móvel odontológica (consultório) que está instalada na Secretaria Municipal de Saúde estão sendo atendidos diariamente 22 pacientes que podem realizar até 5 procedimentos cada, sendo eles, aplicação de flúor, extração, remoção de tártaro (limpeza), reparo em prótese, restauração dentária e orientações diversas relacionadas a higiene bucal.

Carvalho lembra que inicialmente, uma ficha de cadastro é preenchida pelo paciente e na sequência é realizada uma avaliação para saber qual a necessidade mais urgente do mesmo. “Verificamos no intuito de observar se é uma cárie mais profunda ou algum outro tipo de problema. Ressalto que as extrações só são realizadas em último caso para que não haja perda dentária por parte do paciente”, observa o profissional.

Com a vinda do projeto, a Prefeitura de Bataguassu, através da Secretaria Municipal de Saúde está arcando com a destinação de material, cedência do espaço físico da Secretaria, além do custeio de hospedagem e alimentação do dentista e do auxiliar presente na atividade.

Esteve acompanhando os atendimentos, a secretária municipal de Saúde, Maria Angélica Benetasso.

SERVIÇO

Para os interessados, os atendimentos odontológicos permanecem sendo oferecidos na unidade móvel odontológica que ficará instalada na Secretaria Municipal de Saúde (Avenida Porto XV de Novembro) até o dia 2 de setembro, sem restrições para adultos e crianças, de segunda a sábado.

Mais informações na Secretaria Municipal de Saúde localizada na Avenida Porto XV de Novembro, 775.

Foto: Divulgação

Bataguassu recebe ação preventiva ao câncer da Cassems

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Por: Bianca Lima/Assecom-Bataguassu

 

O município de Bataguassu receberá neste sábado, dia 19 de agosto, o programa de prevenção “Cassems Itinerante”. A ação tem parceria com a Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde.

Segundo a assessora da presidência da Cassems no interior, Sonilza de Souza Lima, o objetivo do projeto é promover atividades de prevenção do câncer e a detecção precoce da doença em municípios do estado de Mato Grosso do Sul, com a intenção de facilitar o acesso da população feminina à prevenção dos cânceres de mama e de colo uterino, que quando diagnosticados no início têm maiores chances de cura.

Sonilza explica que um ônibus equipado com sala para exames ginecológicos, sala de mamografia, consultório médico e centro cirúrgico para a realização de pequenas cirurgias, além de uma equipe composta por 10 profissionais estará realizando os atendimentos em frente à Secretaria Municipal de Saúde localizada na Avenida Porto XV de Novembro, 775, no período das 7 às 17 horas (horário de Brasília). “Quando trabalhamos a prevenção, estamos tratando o paciente para evitarmos problemas maiores de saúde. As doenças diagnosticadas e tratadas no início tem chance de cura de 100%”, comenta.

A secretária municipal de Saúde, Maria Angélica Benetasso, observa que em torno de 150 atendimentos serão realizados na data, sendo que as pacientes estão sendo agendadas previamente nas Estratégias da Saúde da Família (ESFs) locais, levando em consideração mulheres com atrasos em seus exames preventivos. “Salientamos que as mulheres interessadas podem no decorrer desta sexta-feira, dia 18, procurar as unidades de saúde para realizar o agendamento e amanhã (19) receber o atendimento preventivo”, completa.

Maria Angélica lembra que para os atendimentos, na data, é preciso as pacientes apresentarem os documentos pessoais.

Foto/divulgação

8 razões para banir os refrigerantes da sua vida

Razões para tomar são poucas, mas para excluir, são muitas

São doces e gostosos, mas nada amigos da saúde. Os refrigerantes são uma das bebidas mais apreciadas, mas ao mesmo tempo um dos maiores venenos para a saúde humana.

Entre os vários malefícios para a saúde, está um que a ciência aponta como bastante claro: o risco cardíaco. Uma simples lata de refrigerante por dia (o equivalente a 330 mililitros de bebida) é o suficiente para aumentar a probabilidade dos homens terem insuficiência cardíaca. Mas se uma bebida é capaz de afetar o coração, duas são capazes de desenvolver diabetes.

risco de cáries e outros problemas dentários também aumenta com o consumo destas bebidas, recentemente associadas também ao aparecimento de vários tipos de câncer raros.

Mas, por que os refrigerantes fazem assim tão mal à saúde? Em primeiro lugar, lê-se no Deporte y Vida, por serem compostos maioritariamente por açúcares, sejam eles naturais, químicos ou adicionados. E uma vez que o açúcar é o ingrediente principal, este tipo de bebida é tudo menos saudável, apresentando calorias vazias (isto é, sem nutrientes) e elevados níveis de compostos artificiais.

Como destaca a publicação, os refrigerantes são apreciados por crianças e adultos pelo simples fato de serem doces e viciantes. Assim que entra no organismo, o açúcar faz com que o nosso cérebro peça ainda mais açúcar e cria-se, assim, um ciclo vicioso de consumo.

O risco de obesidade torna-se muito maior, sendo os refrigerantes um dos alimentos que mais contribui para o aumento de peso em todo o mundo. 

¨¨ Notícias ao Minuto ¨¨ 

Foto: Divulgação

Grupo Saber Materno e Secretaria de Saúde realizam “A Hora do Mamaço” em Bataguassu

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

Por: Bianca Lima/ Assecom-Bataguassu

Através da parceria entre Grupo Saber Materno e Secretaria Municipal de Saúde, Bataguassu pela primeira vez fará parte da mobilização nacional “A Hora do Mamaço”. O evento marcado para o dia 5 de agosto (sábado), a partir das 15 horas (horário de Brasília), na sede da Secretaria (Avenida Porto XV de Novembro) faz parte das ações da Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM) celebrada de 1 a 7 de agosto.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Maria Angélica Benetasso, o “Mamaço” é uma atividade em apoio e incentivo ao aleitamento materno. Este ano, de acordo com ela, o tema exposto será “Trabalhar juntos para o bem comum”. “O evento visa mostrar as mamães a importância do aleitamento materno exclusivo para as crianças até pelo menos os seis meses de vida.  O leite materno é um alimento completo e ideal para o bebê, que contém nutrientes em quantidades adequadas para as crianças”, comenta.

Maria Angélica convida todas as mamães que estejam amamentando para participar da mobilização no município.

SOBRE A AÇÃO

 A Semana Mundial do Aleitamento Materno vem sendo comemorada no Brasil desde 1992. Com o tema “Trabalhar juntos para o bem comum”, a Semana Mundial do Aleitamento Materno tem contado com a parceria da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e com isso, a entidade tem colaborado com o Ministério da Saúde na promoção de atividades que marquem a data em nível nacional.

Foto: Micael Nunes

Secretaria Municipal de Saúde disponibiliza vacina contra vírus do HPV para meninos e meninas

Foto: Micael Nunes
Foto: Micael Nunes

Por: Bianca Lima/Assecom-Bataguassu

 

A Secretaria Municipal de Saúde informa que já está disponível nas unidades de saúde as vacinas de HPV para atendimento aos meninos, de 11 a 14 anos, 11 meses e 29 dias. Os pais ou responsáveis devem levar o público-alvo para atualização da caderneta de vacinação.

Segundo a coordenadora municipal de Saúde, Paula Romão Dias, a vacina de HPV para meninos foi inserida este ano no Calendário Nacional de Vacinação, com objetivo de prevenir cânceres de pênis, ânus e garganta, além de diminuir a expansão do vírus.

Para as meninas, a vacina já vem sendo aplicada desde 2014, e este ano, foi estendida para garotas de 9 a 14 anos, em combate ao câncer de colo do útero e vulva.

Paula esclarece que outra atualização no esquema vacinal se refere a vacina de Meningite C (meningocócica C), infecção bacteriana aguda que acomete principalmente recém-nascidos e lactentes. A vacina era ofertada até 2016 em crianças aos 3, 5 e 12 meses de idade. A partir de agora, um reforço será disponibilizado para meninos e meninas de 11 a 14 anos, 11 meses e 29 dias.

A coordenadora lembra ainda que os agentes comunitários de saúde em sua rotina de trabalho já informaram nas residências a oferta das vacinas. “Para recebê-las, é só procurar a unidade de saúde munido da carteirinha de vacinação. As vacinas são oferecidas gratuitamente”, pontua.

Foto: Micael Nunes

Campanha de vacinação contra gripe – Nota de esclarecimento

Foto: Micael Nunes
Foto: Micael Nunes

Por: Assecom-Bataguassu

 

A Secretaria Municipal de Saúde esclarece que neste momento, a campanha de vacinação contra a gripe continua voltada apenas para o público alvo da campanha – crianças de 6 meses a 4 anos, gestantes, mulheres que tenham tido parto há menos de 45 dias, idosos a partir de 60 anos, doentes crônicos (mediante prescrição médica), profissionais de saúde, indígenas e professores das redes pública e privada de ensino. A medida vem sendo adotada, inclusive, por outros Estados do País.

A ampliação da oferta da vacina da gripe para a população em geral dependerá do envio de novas doses por parte do Ministério da Saúde, já que o quantitativo disponível no momento não é suficiente para atender toda nossa população.

Bataguassu já imunizou 93.89% do total de pessoas que compõem o grupo prioritário. A meta é vacinar, no mínimo, 90% dessa população. A campanha foi prorrogada até a próxima sexta-feira, dia 9 de junho.

Foto: Divulgação

Vigilância Sanitária orienta produtores rurais sobre caso confirmado de raiva bovina no município

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Por: Bianca Lima/Assecom-Bataguassu

 

A Secretaria Municipal de Saúde, através do setor de Vigilância Sanitária registrou um caso de raiva bovina em Bataguassu. A confirmação da doença em um bezerro fêmea em uma propriedade rural na região do Caraguatá é a primeira em mais de 20 anos no município.

Segundo o médico veterinário do setor de Vigilância, Weldan Matos Cabral, o caso foi diagnosticado através de exames clínicos locais e laboratoriais – estes realizados por meio do laboratório de raiva da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), em Campo Grande. “Fizemos o primeiro atendimento ao produtor que relatou que animal apresentava sinais neurológicos da doença. Ao examiná-lo, notamos que o mesmo registrou paralisia flácida dos membros, midríase e discreta sialorreia e que algumas horas após o exame clínico, o animal evoluiu para óbito, o que levou a coleta do sistema nervoso central (cérebro) para encaminhar ao laboratório de raiva do Iagro, chegando-se a confirmação da amostra para a doença”, explicou o veterinário.

Cabral comenta que segundo o proprietário do animal, o tempo decorrido entre o início dos sintomas e o óbito foi de aproximadamente cinco dias e que assim que se tomou conhecimento do laudo, a Secretaria Municipal de Saúde e o escritório do Iagro municipal foram notificados para tomar as providências necessárias com relação ao caso.

Com base nessas informações, a Secretaria Municipal de Saúde, através do setor de Vigilância Sanitária disponibilizou o protocolo de soro vacinação recomendado pelo Ministério da Saúde a todos os envolvidos na manipulação do animal sem as devidas proteções. Quantos aos animais da propriedade e das propriedades circunvizinhas, a  Iagro já adotou as medidas sanitárias necessárias.

Segundo o veterinário, a orientação ao produtor rural e a seus colaboradores é que ao perceberem a sintomatologia nervosa em qualquer animal devem imediatamente procurar auxílio veterinário ou informar a Iagro, inclusive, quando ocorrer ataque de morcegos em seus animais. É recomendado também que jamais se manipule um animal com sinais de alteração comportamental ou com causa morte desconhecida. “A raiva é uma doença letal transmitida dos animais para o homem e por isso é importante a participação do produtor rural na comunicação dos casos de animais com sintomatologia nervosa e conhecimento de abrigo com morcegos”, frisou ele.

A orientação vale ainda para qualquer pessoa que venha a ser agredida por morcegos, que deve também procurar atendimento médico imediatamente.

Foto: Divulgação

Secretaria Municipal de Saúde realiza “Dia D” de campanha de vacinação contra vírus da Influenza

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

Por: Bianca Lima/Assecom-Bataguassu

 

A Secretaria Municipal de Saúde realiza neste sábado, dia 13 de maio, o “Dia D” da Campanha de Vacinação contra o vírus da Influenza acompanhando a mobilização nacional.

As vacinas estarão disponíveis para gestantes, puérperas (mulheres que tiveram um filho nos últimos 45 dias), crianças menores de 5 anos, idosos e portadores de doenças crônicas mediante laudo médico, grupos-prioritários da campanha, das 9 às 17 horas (horário de Brasília), na própria sede da secretaria (Avenida Porto XV de Novembro, 775). No ato, é necessário apresentar a caderneta de vacinação.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Maria Angélica Benetasso, a campanha contra o vírus da Influenza está em andamento desde o mês de abril, seguindo um cronograma de atendimentos desenvolvido pela Secretaria.

Até o momento, de acordo com ela, os grupos com menor cobertura vacinal são as gestantes e puérperas.

Maria Angélica lembra que após o “Dia D”, a campanha de vacinação tem sequência até 26 de maio, atendendo os professores das redes pública e particular de ensino e demais grupos ainda não imunizados. As doses da vacina seguirão sendo ofertadas nas unidades de saúde, em horário normal de atendimento ao público.

NOVA PORTO XV

No Distrito de Nova Porto XV, o “Dia D” da campanha será realizado na mesma data, dia 13 de maio, sábado, também das 9 às 17 horas, na Estratégia da Saúde da Família (ESF) “Emiko Resende”.

Foto: Micael Nunes

Secretaria de Saúde realiza ação educativa na Escola Estadual “Peri Martins” em combate à hipertensão

Foto: Micael Nunes
Foto: Micael Nunes

Por: Bianca Lima/Assecom-Bataguassu

 

Em alusão ao Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão, lembrado no dia 26 de abril, a Secretaria Municipal de Saúde através da Estratégia da Saúde da Família (ESF) “Dr. Rubens Kimura”, realizou no início deste mês uma ação preventiva e de sensibilização sobre o tema envolvendo alunos da Escola Estadual “Peri Martins”, em Bataguassu.

Conforme a secretária municipal de Saúde, Maria Angélica Benetasso, a medida teve como objetivo detectar precocemente pacientes com problemas de pressão arterial. “Por ser assintomática e silenciosa, a pressão arterial pode ocasionar vários agravos de saúde. Realizamos essa ação com jovens e adolescentes porque é raro esse público realizar esse tipo de atendimento e sabemos a importância desses adolescentes e jovens conhecerem suas condições de saúde e, se necessário, iniciarem um tratamento antecipadamente para o controle da pressão”, destacou a secretária.

Maria Angélica explicou que durante a atividade a equipe do ESF aferiu a pressão arterial de 300 alunos na faixa etária de 13 a 18 anos. Do total de atendimentos, 9 estudantes apresentaram pressão igual ou superior a 140×90 mmhg, o que já é considerado como quadro de hipertensão (pressão alta).

A secretária enfatizou que após a detecção dos casos, os discentes foram orientados a realizarem o controle da pressão e procurarem atendimento médico. Todos serão acompanhados pela unidade de saúde.

Toda ação foi acompanhada pela diretora da unidade escolar, Marli Zacarin e demais membros do corpo docente.

Foto: Divulgação

Casos de dengue, zika e chikungunya caem 89% nos primeiros meses de 2017 em comparação com 2016

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Por: G1/Bem Estar

Nos primeiros meses de 2017, até o dia 15 de abril, o Brasil registrou 113.381 casos suspeitos de dengue, 43.010 de chikungunya e 7.911 de zika. Somadas, as três doenças transmitidas pelo Aedes aegypti tiveram uma redução de 88,9% no número de casos em comparação ao mesmo período de 2016. Os dados são de boletim epidemiológico elaborado pelo Ministério da Saúde.

É importante observar que o ano passado teve um número muito alto de casos de arboviroses (doenças transmitidas por mosquitos): foi o segundo ano com maior número de dengue desde o início dos registros, em 1990, perdendo só para 2015. Também foi recordista em zika e chikungunya, doenças que chegaram mais recentemente ao país e que, portanto, não têm muitos dados anteriores para comparação.

Dengue

Em 2017, forma 113.381 casos de dengue até 15 de abril. No ano passado, havia 1.180.472 casos na mesma época. A região Sudeste concentrou o maior número de casos, 32,9% do total registrado no país, mas a região com maior incidência foi o Centro-Oeste, com 160 casos a cada 100 mil habitantes.

Houve 17 mortes por dengue este ano, em contraste com 507 mortes no mesmo período do ano passado. Além disso, houve 57 casos de dengue grave e 793 casos de dengue com alarme.

Chikungunya

Quanto à chikungunya, foram 43.010 casos em 2017, ante 135.030 no ano passado. A região Nordeste é a que registrou maior incidência. Além disso, este ano teve 9 mortes confirmadas pela doença. Ao longo de todo o ano de 2016, 196 pessoas morreram de chikungunya no país.

Zika

O país teve 7.911 casos de zika em 2017, em comparação com 170.535 no mesmo período do ano passado. A região Centro-Oeste é a que apresentou maior incidência e não houve nenhuma morte confirmada pela doença este ano.