terça-feira, 17 outubro, 2017

Conheça as doenças de verão e previna-se

Para curtir o verão sem problema nenhum!

Dias mais longos, praia, mar, piscina, festas de fim de ano. Ah, que delícia é o verão! Mas, para aproveitar tudo isso sem neura, é preciso ficar atenta. Algumas doenças chatinhas (e outras até mais perigosas) se proliferam com o calor e a umidade. Aí, já viu: vírus, fungos, bactérias e parasitas podem atrapalhar aquela viagem que você está planejando há meses. Aprenda a se prevenir contra as doenças de verãonesta página e boa praia!

Micose superficial

micose é um tipo de infecção causada por fungos. E incomoda, né? Coceira e descamação na pele são sintomas comuns. Ocorrem porque o fungo da micose se alimenta de gordura e queratina da pele, cabelos e unhas. O contágio pode vir pelo suor do próprio corpo, toalhas e roupas de banho molhadas, areia da praia…

Previna-se: não fique com o biquíni molhado depois de voltar da praia (imagina só o paraíso quente e úmido que os bichinhos vão encontrar!) e use chinelos em ambientes públicos. Seque-se beeeeeem depois do banho, capriche nas juntas, dobrinhas e entre os dedos dos pés. Aquelas botas podem ser in-crí-veis, mas guarde-as. Sapatos muito fechados estão proibidos até que as temperaturas baixem.

Candidíase vaginal

candidíase é causada pelo desequilíbrio do fungo Candida sp nos genitais femininos. Eles estão naturalmente presentes na flora vaginal mas, quando encontram condições favoráveis – leia-se: umidade, calor e baixa resistência – se reproduzem excessivamente e a doença se instala. Ardor ao urinar, corrimento esbranquiçado (parecendo nata de leite) e coceira são sinais de alerta. Converse com o seu ginecologista.

Previna-se: vale a regra: saiu da praia? Tire o biquíni assim que puder. Calça e calcinha não podem abafar a região genital, então, prefira modelos de algodão (o jeans não é bacana, sabia?). Alimente-se bem porque o sol de verão que você espera o ano inteiro contribui para a queda da imunidade. O tratamento da candidíase é simples – geralmente, uma combinação de antifúngicos dá cabo da história. Mas é o seu médico que vai receitá-la

Conjuntivite bacteriana

Supercomum no verão, a conjuntivite infecciona a conjuntiva dos olhos (membrana que reveste a parte frontal dos olhos e o interior das pálpebras). São sintomas: secreção amarelada, vermelhidão, coceira, dor ao olhar pra luz e aquela sensação horrível de areia nos olhos.

Previna-se: não mergulhe em locais impróprios para o banho. O contágio é frequente em piscinas sem tratamento e água poluída. Não compartilhe toalhas, travesseiros ou maquiagem com pessoas contaminadas. E lave as mãos sempre (ok, você já sabe. Mas não custa lembrar). O tratamento é feito com colírios específicos, indicados por um oftalmologista

Dengue

No rol das doenças de verão, a dengue é motivo de políticas públicas de saúde há anos. Os indícios da picada do Aedes aegypti envolvem febre alta, náuseas, dores de cabeça, nos músculos e articulações, perda de apetite e manchinhas vermelhas pelo corpo. A forma hemorrágica da doença é ainda mais perigosa.

Previna-se: a única maneira de evitar a dengue é não deixar o mosquito nascer. Para isso, é importante acabar com os criadouros e não deixar água parada em qualquer tipo de recipiente.

Otite externa

É uma inflamação dos ouvidos, geralmente provocada pelo uso incorreto de objetos introduzidos no local (como cotonetes, por exemplo). O motivo pelo qual a otite se encaixa nas doenças de verão é que a infecção é facilitada pela entrada de água no local (bastante comum em mergulhos no mar e em piscinas), que aumenta a proliferação de germes. Os sintomas da otite incluem dor, sensação de ouvido “cheio”, calor no local e secreção.

Previna-se: contenha a vontade de passar cotonete nos ouvidos (a parte externa da orelha está liberada).

Intoxicação alimentar

No verão, geralmente, fazemos mais refeições fora de casa. É aí que mora o perigo da intoxicação alimentar. As altas temperaturas prejudicam a conservação dos alimentos, que podem contaminar quem os consome. Os sintomas da Intoxicação alimentar variam de acordo com o microorganismo que causou o distúrbio. Os mais comuns são náuseas, vômito, diarreia, sensação de febre, dor de cabeça e desidratação.

Previna-se: é fundamental o cuidado com o armazenamento e preparo dos alimentos que se consome, em especial ovos, laticínios, peixes e demais frutos do mar.

(Tão feminino) 

Casos de Sífilis aumentam 5.000% e doença volta a ser epidemia

Gravidade da situação faz Ministério da Saúde lançar Dia Nacional de Combate

número de casos de Sífilis aumentou desenfreadamente nos últimos cinco anos. Segundo dados do Ministério da Saúde, os casos saltaram de 1.249 em 2010 para 65.878 em 2015, um aumento de 5.000%. A gravidade da situação levou o órgão a lançar o Dia “D”, no terceiro sábado de outubro, de combate à doença, segundo o jornal EXTRA.

Os especialistas afirmam que o número de casos aumentou pois o avanço e o custo reduzido dos tratamentos fez as pessoas perderem o medo de contrair Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs). “Há uma tendência mundial de redução do uso de preservativo nas relações sexuais, principalmente entre os jovens”, explica Aline Junqueira, infectologista do Hospital Adventista Silvestre. Vale ressaltar que a sífilis também pode ser passada de mãe para bebê.

Apesar do tratamento feito à base de penicilina ser eficaz quando aplicado nas fases iniciais, a Sífilis pode trazer graves consequências se não for tratada, como aneurisma, meningite, paralisia geral e demência. Quando o bebê adquire através da mãe, ele pode desenvolver prematuridade, baixo peso, deformações ósseas, articulares e neurológicas (como meningite), surdez, dificuldade de aprendizado e até abortamento.

Notícias ao Minuto

Esperma pode abrigar 27 tipos diferentes de vírus, aponta estudo

Apesar de, na prática, nem todos os vírus serem transmitidos, eles podem trazer graves consequências aos portadores

Já se sabe que alguns vírus, como o HIV, conseguem sobreviver no sêmen humano. O grupo das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) já é amplamente conhecido, mas ele pode ser maior do que o esperado, de acordo com o UOL.

Um estudo, feito a partir da revisão de mais de 3.800 publicações científicas e publicado na revista “Emerging Infectious Diseases“, aponta que o esperma é capaz de transmitir 27 tipos diferentes de vírus, entre eles ebola, hebatite B e C, catapora e chikungunya. Apesar de, na prática, nem todos os vírus serem transmitidos, eles podem trazer graves consequências aos portadores, entre elas redução da fertilidade e da imunidade. Outra grave consequência do vírus neste ambiente é a mutação do DNA do esperma, o que pode comprometer as gerações futuras.

As evidências apontam também que outros 11 vírus podem viver nos testículos, incluindo gripe, dengue, varíola e rubéola. Os autores afirmam que mais estudos são necessários para concluir por quanto tempo os vírus se mantém vivos no sêmen, em que concentrações.

Notícias ao Minuto

Termina hoje prazo para atualizar carteira de vacina de crianças e adolescentes

Segundo o Ministério da Saúde, 53% desse público não estão com a vacinação em dia

Hoje (22) é o último dia da Campanha de Multivacinação 2017, que tem como objetivo atualizar a caderneta de vacinação de crianças e adolescentes. Os postos de saúde estarão abertos até o fim da tarde. Segundo o Ministério da Saúde, foram disponibilizadas 13 vacinas, para crianças até nove anos, e oito para adolescentes de 10 a 15 anos.

O alvo da campanha são crianças menores de 5 anos, crianças de 9 anos e adolescentes de 10 a 15 anos incompletos. Cerca de 47 milhões de crianças e adolescentes estão convocados para atualizar a caderneta de vacina. Segundo o Ministério da Saúde, 53% desse público não estão com a vacinação em dia.

As vacinas disponíveis nesta campanha para crianças menores de 7 anos são: BCG – ID, hepatite B, penta (DTP/Hib/Hep B), VIP (Vacina Inativada Poliomielite), VOP (vacina oral contra pólio), VORH (Vacina Oral de Rotavírus Humano), vacina pneumocócica 10 valente, febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola, caxumba), DTP (tríplice bacteriana), vacina meningocócica conjugada tipo C, tetraviral (sarampo, rubéola, caxumba e varicela) e hepatite A.

As doses disponíveis para crianças e adolescentes entre 7 e 15 anos são hepatite B, febre amarela, tríplice viral, dT (dupla tipo adulto), dTpa, vacina meningocócica conjugada tipo C e HPV.

(*) Agência Brasil

 

Como curar a ferida da rejeição

Quem não tem medo da rejeição? Pode ser que esse temor viva com você todos os dias, mas você não é consciente disso. O problema é que só nós temos a autoridade para nos rejeitarmos ou aceitar-nos. Não permita que ninguém rejeite você, isso é assunto seu!

Apesar de sermos conscientes disto, não podemos evitar que a nossa autoestima seja afetada quando alguém nos rejeita. Ficamos mais vulneráveis, nos isolamos dos outros e inclusive deixamos de nos cuidar.

“Encaro a rejeição como alguém que toca um trompete no meu ouvido e me acorda para me fazer andar, em vez de me retirar”

-Sylvester Stallone-

Vejamos como curar a ferida da rejeição. Uma ferida que costuma fazer com que devolvamos aquilo que recebemos, isto é, faremos o possível para sermos rejeitados pois é o que conhecemos.

Cuide de si mesmo

Você não pode evitar ser rejeitado, embora você possa aceitar ou não essa rejeição. Você precisa ser capaz de se apreciar, de se valorizar e de investir em si mesmo. Você pode continuar do jeito que está, já que mudar é difícil e talvez você se sinta bastante inseguro. Mas você prefere rejeitar a rejeição ou continuar aceitando-a? Essa opção está somente em você, ninguém poderá tomar essa decisão.

A rejeição o tornará fraco, vulnerável, e pode fazer você mergulhar na depressão. Você deve se olhar a si mesmo e saber quem você é. Perdoe-se! Todos cometemos erros, mas isso não justifica que os outros possam nos rejeitar. Quem é você para me rejeitar? Por acaso eu rejeito os outros?

Nunca permita que o fato de rejeitarem você o transforme no primeiro a pagar com a mesma moeda. Você vale muito. Descubra-se, valorize-se e dê-se o respeito que você merece…

“A aceitação e o valor não podem ser dados pelas pessoas, você mesmo é quem deve provê-lo. Não permita que ninguém marque o seu coração”

-Bernardo Stamateas-

Fale bem de vocêMuitas vezes é difícil falar bem dos outros, ou é o contrário? Às vezes sabemos apreciar os pontos fortes das outras pessoas, aquilo em que se destacam. É mais fácil ver as coisas nas outras pessoas, tanto as boas como as ruins. Mas o que acontece com relação a nós mesmos? Aí nos encontramos com uma barreira. Comece a falar bem de você hoje com estes conselhos simples:

  • Enumere os seus pontos fortes

  • Determine que o dia de hoje é o seu melhor dia!!!

  • Pense que o que sair da sua boca poderá curá-lo ou feri-lo

  • Transforme o seu diálogo interior em algo positivo

Hoje é o dia e o momento em que você precisa começar a falar bem de si mesmo para se recuperar e estar cada dia melhor. A rejeição provoca mal-estar, angústia e faz com que sintamos que não valemos nada. Mas o que os outros podem dizer de você não o define! Estar seguro de si mesmo é o primeiro passo para ir com a cabeça bem erguida frente à quantidade de rejeições que você terá que enfrentar.Presenteie-se com o melhor. Para começar a se valorizar você precisa se permitir o melhor. Se você vai comer, coma o melhor; ao se vestir, vista o melhor. Valorize-se, presenteie-se e premie-se constantemente. Você precisa se cuidar com carinho, pois ninguém mais o fará por você. Para que isto seja muito mais simples, permita-se também a possibilidade de se rodear de gente que seja realmente positiva para você.Procure a companhia daquelas pessoas que agregam valor a sua vida e não as que a diminuem, que aumentem a sua autoestima e não a pisoteiem. Essas pessoas positivas das quais você estará rodeado permitirão que você tire o melhor de si, que explore tudo o que você tem dentro e ainda não colocou para fora, por medo.

“A comemoração é agradável e a aprovação é útil, mas não trabalhe procurando a aprovação dos outros. Fazendo isto você se desviará do seu objetivo e da sua meta”

-Bernardo Stamateas-

Mas na sua procura pela libertação de toda rejeição e a cura das suas feridas, não caia na tentadora busca pela aprovação que pode fazer você cair em outras redes ainda piores.

Procure apenas a sua aprovação, apóie-se nos outros para se impulsionar, mas não para se acomodar. Investir em você e se valorizar como pessoa será o primeiro passo importante para começar a cuidar de si, para começar a viver sem medo da rejeição.

¨A Mente é Maravilhosa ¨

“Dia do Lixo” pode aumentar risco de diabetes, indica estudo

Consumo exagerado de alimentos gordurosos pode elevar a resistência à insulina

Seguir uma dieta à risca não é tarefa fácil, especialmente em comemorações onde é quase impossível resistir a um docinho. No entanto, especialistas não recomendam o hábito de “enfiar o pé na jaca” ou ter um “dia de lixo” e decidir compensar tudo no dia seguinte.

Um estudo realizador por pesquisadores da Universidade Loughborough, na Inglaterra, descobriu que apenas um único dia de exagero na alimentação exagero já pode aumentar o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Para análise, os cientistas acompanharam 15 jovens adultos saudáveis antes e depois de ter uma dieta com alto teor de gordura, como salsichas, bacon, ovo frito, hambúrguer, queijo e cheesecake. Os participantes passaram por exames de tolerância à glicose antes e depois das comilanças.

De acordo com os resultados, publicados no periódico Nutrients, o excesso de alimentos gordurosos durante um período de 24 horas aumenta os níveis de glicose no sangue e reduz a sensibilidade à insulina.

Desta forma, esse hábito nada saudável aumenta um fenômeno conhecido como resistência à insulina, uma situação onde há um desequilíbrio entre a quantidade de insulina produzida pelo pâncreas e o funcionamento desta quantidade de insulina, podendo resultar em diabetes.

“Isso é importante, pois o excesso de níveis de açúcar pode ser tóxico. Não só isso, mas sustentada pela alta produção de insulina podendo levar à disfunção pancreática e à incapacidade de produzir insulina quando é necessário. Essa descoberta destaca a necessidade de estar conscientes do que comemos e de como isso pode afetar nossa saúde”, comentou o Dr. Carl Hulston

Embora o estudo seja pequeno e restrito, as conclusões indicam o quão importante é evitar exageros. Além disso, traz visibilidade para temas como compulsão alimentar e bulimia, transtornos alimentares muito comuns.

“No geral, apesar do nosso modelo de dieta tenha sido bastante extremo, nossos dados mostram a rapidez com que a alimentação exagerada com alto teor de gordura pode impactar negativamente o controle glicêmico”, finalizou Hulston.

¨¨ Minha Vida ¨¨

Saúde realiza Campanha de Vacinação Antirrábica

Foto: Micael Nunes
Foto: Micael Nunes

Por: Bianca Lima/Assecom-Bataguassu

 

A Prefeitura de Bataguassu, através da Secretaria Municipal da Saúde inicia nesta terça-feira, dia 12 de setembro, a Campanha de Vacinação Antirrábica no município.

Segundo a coordenadora municipal de Vigilância em Saúde, Paula Romão Dias, a imunização dos animais (cães e gatos) será realizada em todas as unidades de saúde, conforme cronograma definido pela pasta.

Paula explica que nesta terça-feira, dia 12 de setembro, a imunização acontece das 13 às 18 horas (horário de Brasília), na Estratégia da Saúde da Família (ESF) do bairro Jardim São Francisco.

Na sexta-feira, dia 15 de setembro, o cronograma tem sequência com a vacinação sendo realizada no ESF “Dr. Lúcio Ferreira Rosa”, no bairro Jardim Campo Grande, das 13 às 18 horas (horário de Brasília).

A campanha retoma dia 19 (terça-feira), das 13 às 18 horas (horário de Brasília), no ESF do bairro Jardim Acapulco. Dia 21 (quinta-feira), no mesmo horário (13 às 18 horas), as imunizações acontecem no ESF “Dr. Rubens Kimura”, no bairro Jardim Santa Maria.         

Já no dia 26, a vacinação atenderá proprietários de animais residentes das proximidades do ESF Central, das 13 às 18 horas. No dia 28, a campanha acontece das 13 às 18 horas, no ESF “Emiko Resende”, no Distrito de Nova Porto XV. “Vale destacar que os proprietários devem levar as carteirinhas de vacinação de seus animais”, frisa a coordenadora.

Paula frisa que a ação é uma parceria entre o setor de Vigilância em Saúde, que compreende profissionais da Vigilância Sanitária, Controle de Vetores e Agentes Comunitários de Saúde (ACS).

Confira o cronograma completo de vacinação

TERÇA   12/set                  ESF São Francisco                                              13 às 18 horas

Sexta    15/set                  ESF  Campo Grande                                              13 às 18 horas               

Terça     19/set                  ESF Acapulco                                                      13 às 18 horas

Quinta  21/set                  ESF Santa Maria                                                    13 às 18 horas

Terça     26/set                  ESF Central                                                            13 às 18 horas

Quinta 28/set                 ESF “Emiko Resende” – Nova Porto XV        13 às 18 horas    

Problemas de saúde que os exames de pré-natal detectam

Sífilis é uma das doenças que precisam ser conhecidas na gestação; veja outras complicações que merecem atenção

Diversas Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) podem ser passadas da mãe para a criança durante a gestação. O HIV é um dos vírus mais conhecidos, mas não é só ele que pode prejudicar a saúde do bebê. A sífilis também entra nesse grupo. Para promover a conscientização das gestantes e seus parceiros sexuais quanto à importância dos exames pré-natais para a detecção precoce da sífilis, o Ministério da Saúde lança uma ação nacional de combate à sífilis congênita, que acomete as crianças.

O objetivo dessa ação é ressaltar a importância do pré-natal e da realização de exames no início da gravidez, sem esquecer a saúde do homem durante todo esse processo. Gestante e parceiro sexual devem procurar a unidade de saúde mais próxima para realizar o teste e fazer o tratamento. O Sistema Único de Saúde oferece, de maneira gratuita, a testagem e o tratamento para diversas doenças.

Essa ação conta com o apoio de estados, municípios, sociedade civil, associações, sociedades e conselhos de classe dos profissionais da saúde para redução da sífilis congênita no Brasil.

Sífilis

A sífilis pode ser transmitida da mãe para a criança durante a gestação. As mulheres não tratadas na fase recente da doença (menos de um ano de duração) apresentam as maiores taxas de transmissão para os seus bebês.

A gestante quando não diagnosticada e não tratada corretamente durante o pré-natal, de forma precoce e oportuna, pode causar aborto, natimorto, malformações e lesões de pele, entre outras consequências, com mortalidade em torno de 40% nas crianças infectadas.

De acordo com dados do Boletim Epidemiológico de Sífilis de 2016, nos anos de 2005 a junho de 2016, foram notificados no sistema nacional 169.546 casos de sífilis em gestantes. Em 2015, a taxa de detecção de casos de sífilis em gestantes foi de 11,2 casos a cada 1.000 nascidos vivos, considerando-se o total de 33.365 casos da doença.

Com relação à sífilis congênita, nos anos de 1998 a junho de 2016, foram notificados no sistema nacional 142.961 casos em menores de um ano de idade. No ano de 2015, foi notificado um total de 19.228 casos de sífilis congênita, com uma taxa de incidência de 6,5/1.000 nascidos vivos.

A melhor maneira de enfrentar o problema da sífilis congênita é o diagnóstico no tempo correto. Por isso, o exame pré-natal é tão importante para a gestante, seu parceiro sexual e o bebê. É nessa oportunidade que os profissionais de saúde podem tomar conhecimento da condição de saúde da mulher e iniciar o tratamento adequado.

Anemia

A gestante deve fazer o hemograma durante a gestação. O exame avalia componentes presentes no sangue, tais como glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas. Os glóbulos vermelhos são especialmente importantes, porque podem apontar se a gestante está com anemia.

O hemograma deve ser solicitado na primeira consulta da gestação, podendo ser repetido outras vezes. A falta de ferro pode provocar um parto prematuro. Quando a gestante apresentar anemia, deve ser tratada e acompanhada pelo profissional de saúde.

Diabetes gestacional

Outra condição que merece atenção é o diabetes gestacional. O exame de glicemia de jejum indica a quantidade de glicose no sangue. Se as taxas estão acima do normal, o profissional de saúde pode avaliar a possibilidade de a gestante ter desenvolvido a doença.

O diabetes gestacional torna a gravidez de risco e pode causar problemas de saúde no feto. A condição precisa ser diagnosticada no pré-natal para que o profissional de saúde oriente e acompanhe a gestante nos meses seguintes até o nascimento da criança.

HIV

Durante o pré-natal, tanto a mulher quanto seu parceiro sexual precisam fazer o exame do HIV. Se o resultado for positivo, a gestante deve ser encaminhada para serviço especializado em HIV/aids para tratamento e acompanhamento, evitando a transmissão do vírus para a criança. As gestantes com HIV/aids devem ser orientadas a não amamentar, devendo receber a fórmula infantil (leite artificial), fornecida pelo serviço especializado em HIV/aids.

Infecção urinária

Nem sempre a infecção urinária vem acompanhada de sinais e sintomas. Por isso, o exame de urina é tão importante. O problema pede muita atenção porque, se não for tratada, a infecção pode ir para os rins ou para o corpo todo e causar parto prematuro.

O exame de urina é solicitado já na primeira consulta de pré-natal e deve ser repetido nos outros trimestres da gestação.

Sorologias para hepatites virais B e C e para citomegalovírus

Os exames de sorologias para hepatites B e C e para citomegalovírus indicam se a mãe tem alguma dessas doenças. As hepatites virais B e C podem ser transmitidas da mãe para a criança durante a gestação. Durante o pré-natal, a gestante deve receber a vacina contra a hepatite B, prevenindo a doença. Não existe vacina para hepatite C. Quanto ao citomegalovírus, é considerado raro e pode causar malformações na criança.

Esses exames são feitos no primeiro trimestre e repetidos no terceiro trimestre da gestação. De acordo com avaliação medicado profissional de saúde, podem ser feitos mais vezes, se necessário.

¨¨ Minha Vida ¨¨

Bataguassu recebe recursos para ações de vigilância em Saúde

Foto: Micael Nunes
Foto: Micael Nunes

Por: Bianca Lima/Assecom-Bataguassu

Bataguassu atingiu as metas de vigilância em 2016 a partir do Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde (PQA-VS). O município que fez a adesão ao programa em 2016 receberá mais de R$ 16 mil em recursos para auxílio das ações relacionada a área da saúde.

De acordo com a secretária municipal de Saúde, Maria Angélica Benetasso, o PQA-VS tem como objetivo aperfeiçoar e ampliar a qualificação das ações de vigilância baseados no desempenho em relação aos indicadores estabelecidos pelo programa, com base no cumprimento de metas de 15 indicadores.

Maria Angélica explica que o programa consiste em destinar uma verba adicional de até 20% do Piso Fixo de Vigilância de cada cidade, conforme estes cumpram ações de melhoria do sistema de vigilância em saúde, como alimentar os sistemas de informação sobre mortalidade (SIM), nascidos vivos (SINASC), imunização bem como realizar exames para identificar doenças como malária, hanseníase, tuberculose e sífilis.

Os recursos, por sua vez, segundo ela, destinam-se ao custeio e aperfeiçoamento das ações de vigilância em saúde, como pagamento de pessoal, capacitação, treinamento, ações de educação e mobilização na área de vigilância; confecção de materiais instrutivos; compra de materiais de consumo e para a contratação de serviços de terceiros.

Para Bataguassu, a secretária explica que do total de 7 metas propostas, o município conquistou 5 e receberá o valor de R$ 16.297,21. “O recurso do programa é importante para complementar as receitas do município no que se refere aos gastos com ações de vigilância e saúde e contribui ainda para a melhoria das condições de saúde da população e para a promoção da qualidade de vida dos nossos munícipes”, completa Maria Angélica.

Em todo Estado, dos 79 municípios, 80% alcançaram 90% das metas, com total disponibilizado de R$ 568.801,33.

Vigilância Sanitária realiza palestra sobre higiene, manipulação e conservação de alimentos

Foto: Micael Nunes
Foto: Micael Nunes

Por: Bianca Lima/Assecom-Bataguassu

A Secretaria Municipal de Saúde, através do setor de Vigilância Sanitária promove na quinta-feira, dia 31 de agosto, na Câmara de Vereadores (rua Recanto, 86, bairro Jardim Santa Luzia), em Bataguassu, uma palestra com o tema higiene, manipulação e conservação dos alimentos.

Segundo a coordenadora municipal do setor de Vigilância em Saúde, Paula Romão Dias, estão sendo convidados para a atividade, proprietários de padarias, açougues, restaurantes, lanchonetes, cozinheiros entre outros profissionais que atuem no ramo da alimentação.  “Nossa intenção é orientar e capacitar esses empresários e profissionais repassando instruções que darão mais qualidade aos alimentos que são oferecidos aos consumidores de uma forma geral”, comenta.

Paula observa que as palestras serão realizadas em dois turnos: das 8 às 12 horas (horário de Brasília) e das 14 às 17 horas (horário de Brasília).

SERVIÇO

O quê: Palestra com o tema higiene, manipulação e conservação dos alimentos

Data: 31 de agosto

Horário: 8 às 12 horas (horário de Brasília) e 14 às 17 horas (horário de Brasília)

Local: Novas instalações da Câmara de Vereadores, na rua Recanto, 86, bairro Jardim Santa Luzia