segunda-feira, 11 dezembro, 2017

Descubra como caminhar pode emagrecer mais do que academia

Com a rotina agitada, a melhor forma de perder os quilinhos extra é buscar a prática que gaste menos tempo do seu dia e mais calorias. Nesse sentido, um estudo da Escola de Economia de Londres, no Reino Unido, apontou que caminhar de forma acelerada pelo menos 30 minutos por dia é mais eficaz na perda de peso do que malhar ou praticar outros esportes.

A médica Grace Lordan, responsável pelo estudo, analisou os relatórios da Pesquisa Anual de Saúde da Inglaterra dos últimos quatro anos, com o foco em atividades que aumentem o condicionamento físico da população. Assim, ela identificou um padrão entre as pessoas que praticavam caminhada rápida todos os dias por no mínimo meia hora: elas tinham o Índice de Massa Corporal (IMC) menor e a cintura mais fina, sem gorduras localizadas, especialmente entre as mulheres e pessoas acima de 50 anos em geral.

Se esses motivos ainda não convenceram você a começar a caminhar, veja abaixo mais algumas razões para incluir essa atividade na sua vida:

1. Melhora a circulação

Um estudo feito pela USP, de Ribeirão Preto, provou que caminhar durante aproximadamente 40 minutos é capaz de reduzir a pressão arterial durante 24 horas após o término do exercício. Isso acontece porque durante a prática do exercício, o fluxo de sangue aumenta, levando os vasos sanguíneos a se expandirem, diminuindo a pressão.

2. Aumenta a sensação de bem-estar

Uma breve caminhada em áreas verdes, como parques e jardins, pode melhorar significativamente a saúde mental, trazendo benefícios para o humor e a autoestima, de acordo com um estudo feito pela Universidade de Essex, no Reino Unido.

3. Diminui a sonolência

A caminhada durante o dia faz com que o nosso corpo tenha um pico na produção de substâncias estimulantes, como a adrenalina. Essa substância deixa o corpo mais disposto durante as horas subsequentes ao exercício. Somado a isso, a caminhada melhora a qualidade do sono de noite.

4. Controla a vontade de comer

Um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Exeter, na Inglaterra, sugere que fazer caminhadas pode conter o vício pelo chocolate. Durante a pesquisa, foram avaliadas 25 pessoas que consumiam uma quantidade de pelo menos 100 gramas por dia de chocolate. Os chocólatras tiveram que renunciar ao consumo do doce e foram divididos em dois grupos, sendo que um deles faria uma caminhada diária.

Os pesquisadores perceberam que não comer o chocolate, juntamente com o estresse provocado pelo dia a dia, aumentava a vontade de consumir o doce. Mas, uma caminhada de 15 minutos em uma esteira proporciona uma redução significativa da vontade pela guloseima.

(Minha Vida) 

 

Dez dicas para você driblar a ansiedade de fim de ano.

Todo o final de ano não muda é sempre a mesma correria, parece que queremos fazer tudo dos onze meses em Dezembro. Isso ocorre com os homens e mulheres. As mulheres ficam mais ansiosas, cerca de 80% que os homens.

É realmente uma loucura. “As vezes nem sempre o cliente tem razão”. Isso causa desgaste total e é lógico só faz aumentar o estress do dia-a-dia, que por sinal já vêm acumulando no decorrer de todos os meses anteriores.Isso só faz aumentar: a ansiedade, o desejo de parar com tudo e descansar, com isso acaba prejudicando a saúde.
É aquele momento em que entramos na contagem regressiva para parar e ter o descanso merecido.

Todo mês de dezembro é a mesma coisa. Além das obrigações cotidianas, ficamos sobrecarregados com a maratona para a compra dos presentes, as festas de encerramento, os preparativos para a viagem de Réveillon. Isso faz com que aquela sensação de ansiedade, que já nos aflige nos outros meses do ano, se agrave ainda mais, nesse período. 

“Como se não bastassem o dia a dia agitado e a falta de tempo para o lazer, a aproximação do fim do ano nos leva a realizar um balanço de tudo o que conquistamos, uma espécie de auto-avaliação da vida pessoal, social, profissional e afetiva. Esse pode ser mais um fator gerador de ansiedade, se descobrirmos que ainda há muito por fazer pela nossa realização”, disse a psicóloga Lílian Lerner Castro, do Ambulatório de Ansiedade do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo e presidente do comitê científico da Aporta (Associação dos Portadores de Transtorno de Ansiedade). 

Com tantas exigências, buscar a serenidade pode ser uma missão difícil. Porém, vale a pena perseguir essa meta. Afinal, quando a ansiedade se torna crônica, prolongada, outros problemas de saúde podem aparecer em decorrência dessa descompensação. 
“Não vivemos sem uma certa dose de ansiedade. É graças ao desconforto que ela gera em nós que saímos da inércia e partimos para a ação. 

Porém, ela passa dos limites quando sua intensidade ou seu tempo de duração são muito grandes, provocando, inclusive, sintomas físicos, como taquicardia, tremor das mãos, suor frio”, afirmou a especialista. 
O desequilíbrio fisiológico que caracteriza os transtornos ansiosos também pode levar a alterações na pressão arterial, desarranjos no sistema digestivo, problemas de coluna, entre outros. 
Então, se a idéia é passar bem longe de todas essas complicações, algumas mudanças de comportamento podem fazer toda a diferença. 

Confira 10 dicas para diminuir a ansiedade nesse período: 

01) Em vez de se culpar pelo que não realizou no ano que está terminando, estabeleça metas a curto e longo prazo para a nova etapa da sua vida. 
“Escreva tudo o que quer conquistar e os recursos que precisará movimentar para fazer acontecer aquilo que deseja. Faça um planejamento para o ano que vem, com calma. Essa pode ser uma excelente estratégia para baixar a ansiedade”, disse a psicóloga. 

02) Programe as compras de fim de ano com o máximo de antecedência possível. Quanto mais perto do Natal, mais tempo perderá no trânsito ou mesmo no interior das lojas, pois o movimento vai aumentando gradualmente. 

03) 
Pense no que vai comprar para cada pessoa antes de sair de casa. Assim, você vai direto às lojas que vendem os artigos de que precisa. 

04) Outra dica é fazer listas, para não correr o risco de esquecer ninguém e ter de enfrentar nova maratona no shopping ou nas lojas de rua. 

05)
 Adote práticas de relaxamento, como a meditação e a ioga. Uma simples respiração profunda, feita de modo bastante lento, pode ajudar a controlar a ansiedade num momento de forte tensão. 

06) Não adote as exigências externas como um padrão. “Vivemos num mundo em que as possibilidades de escolha são muitas, assim como as exigências. Porém, é preciso reavaliar, ter em conta o que nós esperamos de nós mesmos e não apenas as cobranças dos outros em relação ao nosso desempenho”, afirmou Castro. 

Também é importante respeitar seus limites. Se a família anda cobrando mais atenção do que você pode dar, por exemplo, tenha uma conversa sincera com eles e exponha suas condições, sem culpa nem vergonha. 
Negociar prazos no trabalho também é uma medida inteligente para evitar a sobrecarga geradora de ansiedade. Permita-se ser mais flexível com as demandas que vêm de fora, aceitando que jamais conseguirá dar conta de tudo, ao mesmo tempo. 

07)
 Reavalie os problemas e obstáculos antes de se desesperar por causa deles. “Na maioria das vezes, a pessoa ansiosa vê as dificuldades de um tamanho maior do que elas realmente são. Então, a saída é tentar raciocinar de forma realista, evitando aquele péssimo hábito de sofrer por antecedência”, disse a psicóloga. 

08) Aprenda a lidar com as frustrações. Na prática, é o mesmo que transformar o que precisa ser modificado e simplesmente aceitar o que não pode ser mudado. “É necessário avaliar bem as situações que a vida nos apresenta. Em alguns momentos, não vale a pena lutar e sofrer por algo que foge à nossa responsabilidade ou às nossas capacidades. Nesse caso, o melhor a fazer é tentar se adaptar à realidade como ela é, para evitar o aparecimento de uma ansiedade completamente desnecessária”, afirmou a especialista. 

09)
 Concentre-se no presente. Estabeleça prioridades e dedique-se a uma atividade de cada vez. 

10)Faça o possível para dormir bem, se alimentar de maneira equilibrada e manter uma rotina de exercícios. Tudo isso vai garantir energia extra para as inúmeras atividades de que precisará dar conta neste período turbulento. 

(Administradores.com)

Estudo indica que vasectomia melhora libido, ereção e orgasmo dos homens

Homens que realizaram a vasectomia disseram ter relações sexuais com mais frequência

Devido à falta de informação, muitos homens acreditam que a vasectomia pode causar impotência e diminuir a libido. No entanto, um recente estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Frankfurt, na Alemanha, descobriu que os homens têm mais desejo sexual após serem vasectomisados.

A pesquisa, feita com 294 casais, mostrou que 12,4% dos homens tiveram relações sexuais com mais frequência depois de fazer a vasectomia, enquanto apenas 4,5% relataram ter menos tempo. Entre os participantes, 4 de 10 afirmaram que a vida sexual em casal melhorou significativamente com a cirurgia.

Os homens que passaram pela vasectomia disseram ter um aumento na libido, ereções e orgasmos de melhor qualidade. Além disso, os benefícios também foram notados pelas mulheres, que relataram um aumento na excitação sexual depois que seu parceiro teve a operação.

De acordo com os investigadores, essa descoberta pode estar associada com o fato de que após a vasectomia os homens se sentem mais relaxados por não existir mais o perigo de uma gravidez indesejada da parceira.

Em 2015, uma pesquisa realizada pela Universidade de Stanford, na Califórnia, constatou que homens vasectomizados tiveram 5,9 vezes relações sexuais por mês, em comparação com 4,9 vezes dos que não realizaram a cirurgia.

Embora a vasectomia seja uma cirurgia muito simples, que leva apenas 15 minutos e não oferece nenhum risco a saúde, os homens continuam a fugir da operação. Na Inglaterra, o número de homens que buscaram a cirurgia caiu 2/3 nos últimos 10 anos: nos últimos dois anos, apenas 10.880 vasectomias foram realizadas, em comparação com 29.344, em 2005 e 2006. Nos Estados Unidos os números são ainda menos, apenas um em cada 10 homens realizam vasectomias, segundo informações das Nações Unidas, de 2015.

Em entrevista ao site DailyMail, especialista indicaram que a maioria dos homens não fazem a cirurgia pois ainda desejam ter mais filho, especialmente aqueles que já estiveram casados ou em uma relação duradoura. “Cerca de um em cada dez homens com vasectomia vai querer reverter mais tarde. O divórcio, o novo casamento e o encontro com alguém mais jovem são invariavelmente os motivos de reversão”, disse Frank Chinegwundoh, consultor urologista do Bart’s Hospital, em Londres.

“Mas é preciso lembrar que, enquanto a vasectomia é um procedimento rápido e direto, realizado em geral com o anestésico local, a reversão é mais trabalhosa, levando até duas horas, realizado com anestesia geral ou sedação profunda”, explica John Lemberger, um consultor cirurgião urológico com base em Nottingham.

Quais as vantagens da vasectomia?

Atualmente, a cirurgia é oferecida em serviços públicos e também por meio dos convênios médicos, tem baixo índice de complicações e custa menos do que uma laqueadura (procedimento feito nas mulheres).

Na cirurgia de vasectomia, é realizada uma ou duas pequenas incisões no escroto para cortar os ductos deferentes por onde passam os espermatozoides. O homem continua ejaculando, produzindo líquido seminal e secreção prostática, só que sem a presença de espermatozoides.

(Minha Vida) 

5 sinais de que você está dando muito poder para pessoas negativas.

Algumas pessoas podem acabar afetando demais a nossa vida com sua energia negativa. Veja como mudar isso!

Você já esteve tão incomodado pelo comportamento de alguém a ponto de passar noites em claro pensando nessa pessoa? Você já se percebeu reclamando sobre o mesmo colega de trabalho todos os dias?

Pessoas negativas deveriam ocupar o menor espaço em nossa vida, contudo, seu comportamento tóxico pode facilmente tomar mais nosso tempo e energia do que merecem.

Se você está trabalhando ao lado de um murmurador constante ou lidando com um chefe excessivamente crítico que insiste que seu trabalho nunca é bom o suficiente, eles podem causar estragos na sua vida se você não tomar cuidado.

Aqui estão cinco sinais de que você está dando muito poder para pessoas negativas em sua vida:

1.      Você fala muito sobre elas.

Expor suas insatisfações a respeito de alguém não ameniza a sua raiva. Pelo contrário, pesquisas mostram que isso alimenta ainda mais o “fogo”. Quanto mais você fala sobre os hábitos irritantes de uma pessoa, seu mau comportamento ou comentários ofensivos, mais poder e influência essa pessoa terá sobre você. Além disso, cada minuto que você gasta reclamando sobre alguém são 60 segundos da sua vida que você devota para a negatividade desse indivíduo. Você deveria gastar esse mesmo tempo falando sobre assuntos mais proveitosos e positivos.

2.      Você pensa nelas quando elas não estão por perto.

Alimentar pensamentos sobre o mau comportamento de alguém ou repetir inúmeras vezes a mesma conversa, dá à pessoa negativa poder sobre sua mente. Quanto mais tempo você gastar pensando nelas, mais tempo elas terão de você. Só o fato de temer e tentar a qualquer custo evitar uma interação futura com essa pessoa negativa, já dá poder a ela. Qualquer esforço que você faça em relação a essa pessoa, até mesmo a fim de evitar o contato, será um desperdício de tempo e energia.

3.      Você permite que eles limitem sua vida.

Dizendo coisas do tipo, “minhas festas de família são arruinadas sempre que meu irmão vai” ou “Eu nunca vou gostar do meu trabalho enquanto meu chefe estiver aqui”. Isso permite que pessoas negativas limitem sua vida. Observe a si mesmo com sinceridade e veja o quanto de impacto uma pessoa pode exercer sobre você. Generalizações e previsões pessimistas podem se transformar em profecias auto-realizáveis se você não tomar cuidado.

4.      Você permite que elas controlem suas emoções.

Ficar frustrado ou com raiva com um comportamento inadequado de outra pessoa é normal. Mas não é saudável você permitir isso controlar e alterar o seu estado emocional. Talvez uma pessoa negativa pode fazer com que você demore horas para se acalmar e fazer seu estômago se contorcer só de pensar nelas. Fortes reações emocionais e fisiológicas são um sinal de que elas estão tendo um impacto muito grande em sua vida.

5.      Você permite que elas influenciem negativamente o seu comportamento.

Estar cercado por muita negatividade pode te levar a um “se não pode vencê-los, junte-se a eles.” Por exemplo, se as pessoas com as quais você convive tem o hábito de mentir, você pode se sentir obrigado a ser igual apenas para ser bem recebido e deixar que suas emoções sejam moldadas pelo grupo ao qual pertence.

No entanto, não importa o que você faça, se isso não estiver alinhado com seus valores pessoais intrínsecos, você está dando poder demais para pessoas tóxicas em sua vida.

Como recuperar o controle

Há algumas formas de recuperar seu controle e se blindar de pessoas negativas. Mesmo se você não puder manter distância dessas pessoas, você pode definir limites saudáveis e impedi-los de drenar sua força mental.

Escolha focar em coisas mais produtivas na sua vida. Comprometa-se a lidar com suas emoções de uma maneira saudável. E decida concentrar-se no que você pode controlar: seus pensamentos, sentimentos e comportamentos.

(Tudo Inverso) 

Você se protege da luz do seu computador?

Usar o protetor solar diariamente ajuda a proteger, inclusive, da luz emitida pelo computador e a prevenir manchas

Muita gente não se atenta a um detalhe importantíssimo, que pode causar manchas no rosto e acelerar o envelhecimento precoce, a luz visível emitida pelo computador. E isso é um problema que vem crescendo muito, pois cada vez mais a rotina das pessoas é em frente ao computador.  

Por esse motivo é importante o uso diário do protetor solar. Muita gente pensa que por ficar preso em ambientes fechados o dia todo não precisa usar o protetor, mas não é bem assim.  As luzes artificiais, inclusive a do computador, são prejudiciais à saúde. Portanto, independente do local de trabalho, o protetor solar precisa se tornar uma obrigação na rotina das pessoas.

Cuide bem de você! 

Biotina é boa para os cabelos, pele e unhas

Nutriente também ajuda na melhor absorção de outras substâncias

A biotina é uma vitamina do complexo B. Ela também é conhecida como vitamina B7 e vitamina H. Trata-se de uma vitamina hidrossolúvel produzida no intestino pelas bactérias e obtida por meio da alimentação.

Assim como outras vitaminas do complexo B, a biotina está relacionado ao metabolismo das gorduras, carboidratos e proteínas. Ela também é essencial para a saúde da pele, unhas e cabelos.

Benefícios comprovados

Bom para a pele: A biotina é muito benéfica para a pele, isto porque ela ajuda no metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras o que acaba melhorando a saúde da pele. A ausência da biotina pode fazer com que a pele fique seca, escamosa e com vermelhidão em volta da boca e nariz.

Bom para o cabeloA ausência da biotina pode causar a queda de cabelos e também fazer com que os fios fiquem enfraquecidos. Ainda não é certa a relação entre o nutriente e os cabelos, mas alguns especialistas acreditam que a biotina tem relação com a produção de queratina, proteína que compõe o cabelo

Bom para as unhas: A falta de biotina pode enfraquecer as unhas. Alguns especialistas acreditam que isto ocorre porque o nutriente tem relação com a produção de queratina, proteína que compõe as unhas.

Ajuda na absorção correta dos nutrientesA biotina, juntamente com outras vitaminas do complexo B, contribui para o metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas, fazendo com que o corpo os absorva da melhor maneira.

Benefícios em estudo

Bom para quem tem diabetes: Como a biotina ajuda a metabolizar melhor os carboidratos, alguns estudos apontam que a biotina pode ser interessante para diabéticos. Contudo, ainda são necessárias mais pesquisas para se comprovar este benefício.

Deficiência de biotina

A deficiência de biotina é extremamente incomum porque este nutriente está muito presente na alimentação. Contudo, quando acontece os sintomas da ausência do nutriente são: fraqueza nas unhas e cabelos, calvície, pele seca e escamosa e vermelhidão em volta do nariz e da boca. Outras complicações que podem ocorrer são conjuntivite, dermatite exfoliativa, dores musculares e lassidão, acompanhada de aumento da glicemia.

Combinações da biotina

Para proporcionar os benefícios mencionados, a biotina precisa ser ingerida com as outras vitaminas do complexo B. Além disso, é importante que ela faça parte de uma dieta balanceada.

Fontes da biotina

As principais fontes de biotina são o amendoim, as nozes, o tomate, a gema do ovo, a cebola, a cenoura, alface, couve-flor e amêndoa. A carne vermelha, o leite, as frutas e as sementes também contam com o nutriente.

Quantidade recomendada de biotina

  Quantidade recomendada do nutriente
Bebê de 0 a 6 meses 5 mcg
Bebê de 7 a 12 meses 6 mcg
Criança de 1 a 3 anos 8 mcg
Criança de 4 a 8 anos 12 mcg
Jovem de 9 a 13 anos 20 mcg
Jovem de 14 a 18 anos 25 mcg
Adulto de 19 a 70 anos 30 mcg
Gestantes 35 mcg
Lactantes 35 mcg

O uso do suplemento de biotina

O suplemento de biotina só é orientado quando a pessoa manifesta sintomas da ausência deste nutriente. A suplementação só pode ser realizada por um nutricionista ou médico nutrólogo.

O excesso de biotina

O consumo excessivo de biotina só ocorre por meio da suplementação e não tem grandes complicações, pois o nutriente é excretado pela urina.

Fonte consultada:

Nutróloga e médica ortomolecular Tamara Mazaracki.

(Minha Vida)

Arnica é indicada em casos de lesões e picadas de insetos

Planta se destaca por contar com ação analgésica, anti-inflamatória e cicatrizante

Arnica é uma planta medicinal com propriedades antissépticas, anti-inflamatórias, adstringentes e anestésicas. Suas partes benéficas para a saúde são as flores, folhas e o caule subterrâneo (rizoma) e ela não deve ser ingerida, mas sim aplicada na pele.

No Brasil existem diversas espécies de plantas conhecidas com o nome de arnica e todas pertencem à família botânica das Asteracea. Também existe a arnica verdadeira (Arnica Montana), de origem europeia. Ambas são benéficas para a saúde, mas a arnica brasileira só pode ser aplicada na pele.

Nutrientes da arnica

Os nutrientes da arnica podem ser encontrados em suas flores, folhas e caule subterrâneo. Nestas partes da planta estão presentes óleos essenciais, taninos e flavonoides, que possuem forte ação antioxidante. A arnica também conta com helenalina, que é uma lactona com forte ação anti-inflamatória, responsável pelo alívio quando há contusões.

Benefícios em estudo da arnica

Ação anti-inflamatória: Diversas pesquisas apontam que a arnica conta com uma forte ação anti-inflamatória.

Boa em casos de lesões: a arnica conta com propriedades analgésicas e anti-inflamatórias por isso é interessante aplica-la em casos de pancadas. A planta também tem ação cicatrizante. A principal responsável por este benefício é a helenalina.

Boa contra picadas de insetos: As propriedades da arnica fazem com que ela seja uma boa alternativa aplicar a arnica na pele em caso de picadas de insetos.

Boa em casos de dores reumáticas: A arnica ajuda a aliviar este tipo de dor, pois além da atividade analgésica também é tem um poder anti-inflamatório.

Como consumir

Existem várias maneiras de utilizar a arnica, ela pode ser consumida na forma de gel, loção e compressas de chá em casos de contusões, dores reumatológicas e edemas. A arnica não deve ser ingerida. Isto porque o chá de arnica é extremamente toxico e pode causar náuseas, vômitos, dores abdominais, tontura, arritmias cardíacas e até o aborto espontâneo. O uso via oral deve ser prescrito sob acompanhamento de um médico homeopata.

Os preparos como loção e creme geralmente são industrializados ou feitos em farmácias de manipulação. Já o chá basta ferver a água com as flores da arnica e embebedar uma compressa colocando-a no local desejado.

Cuidados ao consumir

O principal cuidado ao consumir a arnica é não ingeri-la.

(Minha Vida) 

 

Quais os riscos, em longo prazo, das medicações para dormir?

Remédios para insônia podem ter vários efeitos colaterais, principalmente quando não utilizadas conforme a recomendação médica

A definição de insônia é bastante complexa, mas envolve, em geral, um período prolongado em que a pessoa não consegue dormir – geralmente acima de 30 minutos ou vários despertares durante a noite – por pelo menos um mês seguido. A insatisfação com o sono e dificuldades de desempenhar atividades no dia seguinte também fazem parte dos critérios. (1)

Num estudo feito na cidade de São Paulo e publicado em 2013, consta que cerca de 15% de 1042 pessoas pesquisadas apresentava um quadro de insônia (2). Por outro lado, cerca de quatro em cada cem paulistanos, segundo outro estudo, usam sedativos ou medicações para dormir. Considerando a Grande São Paulo, isto equivale a cerca de um milhão e duzentas mil pessoas (3).

As principais medicações para dormir são os benzodiazepínicos (aquelas vendidas em embalagens com uma faixa preta) e as drogas Z, das quais, no Brasil, são comercializados o zolpidem e o zopiclone – lembra-se que, numa farmácia, estas drogas podem ter várias marcas mas, embaixo do nome comercial, em letras menores, sempre pode ser visto o nome químico. Os benzodiazepínicos foram desenvolvidos a partir de meados da década de 50, no século passado, enquanto as drogas Z têm origem mais recente, a partir da década de 80 (4,5).

Antes da existência destas medicações, eram muito usados os remédios do grupo dos barbitúricos, que apresentavam riscos elevados quando usados em quantidades maiores. Assim, uma grande vantagem dos benzodiazepínicos e das drogas Z é que são muito seguros e, caso ingeridas em grandes quantidades, geralmente não trazem riscos de morte. Assim, a partir da década de 60, os benzodiazepínicos passaram a ser as drogas preferidas como tranquilizantes e indutores do sono.

Os efeitos colaterais

Porém, apesar da segurança destes remédios (benzodiazepínicos) em relação a riscos de vida, em curto prazo, eles possuem vários efeitos colaterais, potencialmente perigosos. Assim, logo no início do tratamento, eles aumentam os riscos de quedas e prejudicam a coordenação motora e a memória. Os acidentes indiretamente relacionados ao seu uso envolvem lesões por causa das quedas, prejuízos em atividades que exigem coordenação (como, por exemplo, dirigir veículos) e esquecimento (alguns chegam a cometer atos ilícitos e apagá-los da memória). Além disto, elas são abusadas por algumas pessoas, principalmente por indivíduos que já fazem uso de outras drogas, como a heroína.

Em longo prazo, pode haver uma diminuição dos efeitos sobre a coordenação motora, porém os efeitos negativos sobre a memória tendem a permanecer. Inclusive, existe um estudo que sugere que o uso prolongado pode estar relacionado ao desenvolvimento de quadros de demência (6) – parecidos com a Doença de Alzheimer, com alterações comportamentais e redução progressiva da capacidade de se lembrar, principalmente de fatos recentes – ou da própria Doença de Alzheimer.

As drogas Z parecem ser um pouco mais seguras, porém há evidências de que mesmo elas podem causar problemas de equilíbrio e coordenação motora, principalmente se seus efeitos forem medidos no decorrer da noite em que as pessoas tomaram estes remédios.

Apesar de não haver conclusões definitivas, pesquisadores que estudam as consequências do uso de benzodiazepínicos recomendam que sejam utilizados por um máximo de duas semanas seguidas. Também se recomenda que se não sejam usados em pessoas acima dos sessenta ou sessenta e cinco anos (8).

O que fazer em caso de insônia?

Quando alguém tem insônia, deve consultar um(a) especialista (geralmente psiquiatra ou neurologista). O(a) profissional fará uma investigação da insônia, que pode aparecer sozinha ou ser causada por quadros como depressão, ansiedade ou vários tipos de doenças clínicas.

Naqueles casos em que a insônia tiver uma causa determinada, deve-se tratar esta causa e, como consequência provável, a insônia será curada ou melhorada.

(Minha Vida) 

A importância da autenticidade nos relacionamentos

Precisamos entender a importância da autenticidade em nossas vidas e em nossos relacionamentos. Quando conhecemos a nós mesmos e nos mostramos da maneira como somos, é muito mais provável que consigamos manter relações saudáveis com os outros.

Me queira assim: livre, desarrumada, atrevida, caótica, imperfeita, sempre luminosa. Não me queira dócil, nem submissa ou silenciosa, não idealizemos um amor de folhetos nem apaguemos essas nuances que nos tornam únicos para você e para mim. Caso você me queira assim, é melhor me deixar ir, me devolva ao meu mundo, a minhas correntes, a minha nutritiva solidão, a minhas raízes…

Benjamin Franklin dizia com grande sabedoria que em nosso mundo há três coisas especialmente duras, uma era o aço, outra o diamante e a terceira era conhecer a si mesmo. Fica claro que tal tarefa não é fácil, que mergulhar nos recifes de nossas inseguranças, de nossos medos, preocupações, virtudes e sombras requer um ofício paciente e, ao mesmo tempo, corajoso.

“Uma pessoa deve conhecer a si mesma. Mesmo que isso não sirva para descobrir a verdade, pelo menos é útil como regra de vida e, portanto, não há nada melhor”.
-Blaise Pascal-

No entanto, poucas coisas são tão valiosas quanto delimitar essas fronteiras pessoais, além de conquistar espaços privados e autoconhecimento para manter uma autêntica fidelidade a nós mesmos. Somente assim conseguiremos estabelecer relações afetivas mais satisfatórias, somente assim formaremos uma existência mais íntegra e de acordo com nossos valores, onde comportamentos e pensamentos estão sempre em rigoroso equilíbrio.

Agora, há um fato que deveríamos ter em mente. Recentemente o Dr. Yi Nan Wang, um conhecido pesquisador em psicologia da personalidade, explicou em um de seus trabalhos que boa parte dos casais “dilui” parte de si mesmos para conseguir uma melhor harmonia com a pessoa amada. Um desejo de comunhão que passa a mostrar uma atitude mais dócil e priorizar as necessidades do outro enquanto levamos as nossas próprias para a gaveta do esquecimento.

Assim, o que o Dr. Wang nos sugere é que sejamos capazes de desenvolver o que ele mesmo chamou de “autenticidade equilibrada”. Trata-se de um conceito baseado na teoria psicossocial de Erikson, que nos lembra que toda relação mutuamente satisfatória passa antes por uma fase em que alguém tenha sido capaz de delimitar sua identidade.

A importância da autenticidade saudável

Pode ser que no passado você tenha sido dócil, manejável, complacente… A maioria de nós foi por alguns anos porque assim nos educaram, porque os outros queriam. Desta forma, é claro, éramos mais fáceis de lidar, de controlar; éramos bons nos ajustando às engrenagens de uma sociedade onde às vezes ter voz própria é pouco mais do que uma ousadia.

Tudo isso faz com que tenhamos algum medo ou relutância em mostrar o nosso verdadeiro “eu”. Do mesmo modo, e apesar de ser claro que esses pensamentos, vozes e sentimentos são essenciais para a nossa integridade, nós dizemos a nós mesmos que não, que é melhor que não sejam vistos, que não sejam ouvidos, nem notados demais. Tememos ser rejeitados por eles, tememos contradizer os outros, danificar seus sentimentos, romper os esquemas que foram feitos em nossa pessoa…

No entanto, em que estado fica nosso próprio esquema pessoal ou nossa identidade?Fica boicotada. Nós nos tornamos nosso próprio atirador emocional por não sermos capazes de praticar e entender a importância da autenticidade saudável. Nós nos tornamos vítimas de nossa própria ingenuidade por pensar que ser autêntico pode causar danos a aqueles que estão ao nosso redor.

 Mostrar-nos para o mundo como somos, como pensamos e sentimos que não é um ato de agressão. Pelo contrário. Com isso, definimos limites e criamos espaços mais sinceros, saudáveis ​​e dignos.

(A Mente é Maravilhosa)

Sete cuidados para prevenir o câncer

Especialistas indicam hábitos capazes de evitar os tipos mais comuns da doença

O tratamento contra o câncer é um dos mais desgastantes. Família e paciente sofrem durante meses, às vezes por vários anos, até controlar a doença. Fatores genéticos são historicamente conhecidos como causas do problema, a novidade da Medicina mais recentemente é o peso que seus hábitos têm no desenvolvimento de um tumor. “Manter uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos fazem bem para a saúde de maneira geral e isso inclui a prevenção de vários tipos de câncer”, afirma o oncologista Hezio Jadir Fernandes Jr, diretor do Instituto Paulista de Cancerologia (IPC). “O segredo está em identificar os cuidados específicos para cada tumor”.

Veja as dicas dos especialistas para diminuir os riscos dos principais tipos da doença.

Câncer de mama

Tipo de câncer mais comum em mulheres, com exceção do câncer de pele, o câncer de mama corresponde a 28% dos tumores no sexo feminino. Segundo a oncologista Ana Ramalho, coordenadora da divisão de atenção oncológica do INCA, os exames preventivos, como a ressonância da mama e a mamografia, têm um papel importante na prevenção e devem ser feitos uma vez a cada dois anos, após os 40 anos de idade. “Quando a mulher chega aos 50, deve realizar pelo menos um desses exames anualmente, além de fazer o autoexame de toque toda a semana”, afirma a especialista.

Outro hábito simples tem se mostrado eficaz na hora de prevenir o câncer de mama. “Para as mulheres que estão pensando em ter filhos, um bom conselho é amamentar o bebê pelo menos durante o primeiro ano de vida. Estudos mostraram que esse hábito, além de trazer inúmeros benefícios para o bebê, pode diminuir em até 5% as chances de ter câncer de mama”, explica.

Câncer de próstata

De acordo com o último levantamento feito pelo Instituto Nacional de Câncer, o câncer de próstata é o segundo tipo que mais atinge homens, correspondendo a 30% dos casos registrados. “Fazer o exame de toque retal ou ultrassom da próstata, anualmente, a partir dos 40 anos é fundamental”, afirma o urologista José Roberto Colombo, especialista do Minha Vida.

Outra medida apontada pelo o especialista é aumenta a ingestão de tomates, principalmente em versão quente, como no molho vermelho. “O tomate tem uma substância chamada licopeno que, além de dar a cor avermelhada à fruta, também age como preventivo contra o câncer de próstata”.

Câncer de pulmão

Esse tipo de câncer é o mais comum de todas as neoplasias malignas e apresenta um aumento de 2% ao ano na incidência mundial. “Aproximadamente 90% de pacientes que foram diagnosticados com câncer de pulmão fumam ou já fumaram. Esse dado já mostra que a melhor maneira de se prevenir é não fumar ou largar o cigarro o mais rápido possível”, afirma o oncologista Artur Katz, do Hospital Sírio Libanês, líder da pesquisa Câncer de Pulmão: a Visão dos Pacientes.

De acordo com o pneumologista Ricardo Meirelles, da Divisão de Controle de Tabagismo do INCA, a região sul do Brasil é onde o câncer de pulmão afeta mais pessoas. “É lá também que o hábito de fumar e consumir outros produtos derivados do tabaco é mais comum”, explica.

Cavidade oral e laringe

Mesmo que os casos desse tipo de câncer sejam mais comuns em homens, as mulheres também precisam ficar atentas e evitar alguns hábitos que causam diretamente a doença. “Os principais fatores de risco para o câncer da cavidade bucal são o fumo, o consumo de álcool e infecções bucais por HPV. Sozinho, o tabagismo é responsável por cerca de 42% das mortes por esse tipo de câncer. Já o alcoolismo intenso é responsável por 16% das mortes”, afirma o oncologista Fernando Luiz Dias, coordenador da seção de cabeça e pescoço do INCA.

O tabagismo e o consumo de álcool têm efeitos ainda mais devastadores juntos. “Estudos apontam que, juntos, o fumo e a bebida aumentam em 30 vezes o risco para o desenvolvimento do câncer da cavidade oral e laringe”, diz o oncologista Fernando Luiz Dias.

Colo do útero

Tirando o câncer de pele não melanoma, o câncer de colo de útero é o que apresenta maior percentual de prevenção e cura. “Para diminuir esse tipo de câncer, dois hábitos se mostram bastante eficazes: o uso de preservativos e fazer o exame Papanicolau todos os anos”, afirma o oncologista Hezio Jadir Fernandes Jr, diretor do Instituto Paulista de Cancerologia (IPC).

Segundo o especialista, o vírus do papiloma humano (HPV), é um dos principais causadores do câncer de colo de útero. Para se proteger, basta usar preservativos e controlar o número de parceiros sexuais. “O começo da vida sexual está cada vez mais precoce. Isso favorece o aparecimento do vírus do papiloma humano e, consequentemente, o câncer de colo de útero”, explica. Como a vacinação contra HPV ainda não está disponível a todos, o uso do preservativo ainda é a melhor forma de prevenção.

Já o exame Papanicolau é a maneira mais eficiente de encontrar esse tipo de câncer no estado inicial. “Nessa fase, o problema é facilmente tratado. Por isso, as mulheres que tem vida sexual ativa devem fazer esse exame esse exame pelo menos uma vez por ano”, explica o oncologista.

Câncer de pele

Considerando todas as variações possíveis, o câncer de pele é o mais comum, tanto em homens como em mulheres. Por outro lado, ele também é o que possui o maior índice de cura, se descoberto em estágio inicial, e o mais fácil de prevenir. “O câncer de pele está diretamente ligado à exposição demasiada ao sol. Por isso, as duas melhores maneiras de se prevenir estão ligadas a este hábito”, explica o dermatologista Claudio Mutti, especialista em cirurgia oncológica pélvica pelo Instituto de Controle do Câncer.

Segundo o dermatologista o protetor solar é o maior aliado na prevenção do câncer de pele. A aplicação deve ser feita cerca de 30 minutos antes da exposição ao sol e o produto deve ser aplicado no corpo todo, especialmente nas áreas mais expostas ao sol, como face, pescoço, colo e braços. “É nessas áreas que o câncer de pele é mais frequente”, explica.

Outra medida importante é evitar sair no período de pico do sol, entre 10 e 16 horas. “Mesmo usando protetor solar, é importante evitar se expor aos raios solares nesse período de sol forte”, explica Claudio Mutti.

Cólon e reto

“Uma alimentação balanceada, com baixo teor calórico, rica em frutas, fibras e legumes, associada a hábitos saudáveis como a prática de atividade física, pode reduzir 37% desse tipo de tumor”, diz o nutricionista Fábio Gomes, especialista da área de nutrição do INCA. O especialista ainda lembra que a ingestão excessiva e prolongada de bebidas alcoólicas também pode ser um fator de risco para esse tipo de câncer.

(Minha Vida)