Como proteger os animais de estimação do barulho dos fogos de artifícios

Os fogos de artifício são uma tradição da passagem de ano. Entretanto, o barulho que os fogos emitem pode prejudicar cães e gatos. Além de causar danos à audição dos bichos, o barulho das explosões pode resultar em ataques de pânico e traumas. 

Todo Réveillon, a aluna de medicina veterinária da Uece Alexia Félix tem que redobrar os cuidados com seus dois cachorros idosos. Bruce e Tuf, de 10 e 15 anos, respectivamente, sofrem com o medo dos fogos. “Eles nunca se acostumaram com os barulhos. O Bruce é o pior, ele se treme muito e fica desesperado pra ficar com alguém”, conta a estudante. 

Alexia relata ainda que a família não costuma sair de casa na noite da virada para ficar com os animais. Segundo a veterinária Raquel García, essa atitude é a mais correta. Ela atenta para os perigos que os animais correm nessa época do ano. “Uma coisa que para nós dura segundos, para o animal pode gerar efeitos graves”, afirma. Para evitar estresses tanto para cachorros e gatos quanto para os donos, Raquel dá dicas de como proteger os pequenos contra os fogos.

Truque do pano
Esse artifício consiste em um estilo de amarração com panos utilizada em cães. A técnica foi criada por uma profissional da área veterinária chamada Linda Tellington Jones. Uma tira de tecido é envolvida o torso do animal em pontos específicos. Segundo Raquel, o cão costuma se sentir “abraçado”, diminuindo a sensação de pânico. O resultado não é o mesmo para gatos, que podem se sentir mais nervosos por estarem presos pelos panos. A técnica é de fácil reprodução e pode ser aprendida na internet por meio de tutoriais.

Sedar os animais somente com indicação médica
Algumas pessoas recorrem a medicamentos para diminuir o sofrimento dos animais nessa época. A veterinária afirma que é necessário um cuidado maior se calmantes forem administrados. Ficar em casa com o animal é recomendado, pois o efeito do remédio somado ao medo pode causar reações inesperadas em cachorros e gatos. Além disso, o uso desses medicamentos não deve ser feito sem a recomendação de um veterinário.

Manter ambientes fechados
Devido ao pânico, alguns animais podem tentar fugir. Por isso, é importante certificar-se de que os ambientes da casa estão bem fechados. Também é indicado os bichos ficarem em locais cobertos porque os barulhos ficam mais abafados dessa forma. Deixá-los presos em quintais ou varandas pode agravar a situação de medo. 

Lembrar da presença do dono
Se sair de casa for indispensável, é importante preparar a casa para que os pets não se sintam tão sozinhos. Colocar a televisão ligada, deixar uma roupa que tenha o cheiro do dono ou deixar luzes ligadas na casa pode ser um jeito de deixar os cachorros e gatos mais confortáveis. Simular a presença de alguém pode fazer com que a ansiedade e o sentimento de insegurança dos animais diminua.

(O Povo On Line)