segunda-feira, 11 dezembro, 2017

Dez dicas para você driblar a ansiedade de fim de ano.

Todo o final de ano não muda é sempre a mesma correria, parece que queremos fazer tudo dos onze meses em Dezembro. Isso ocorre com os homens e mulheres. As mulheres ficam mais ansiosas, cerca de 80% que os homens.

É realmente uma loucura. “As vezes nem sempre o cliente tem razão”. Isso causa desgaste total e é lógico só faz aumentar o estress do dia-a-dia, que por sinal já vêm acumulando no decorrer de todos os meses anteriores.Isso só faz aumentar: a ansiedade, o desejo de parar com tudo e descansar, com isso acaba prejudicando a saúde.
É aquele momento em que entramos na contagem regressiva para parar e ter o descanso merecido.

Todo mês de dezembro é a mesma coisa. Além das obrigações cotidianas, ficamos sobrecarregados com a maratona para a compra dos presentes, as festas de encerramento, os preparativos para a viagem de Réveillon. Isso faz com que aquela sensação de ansiedade, que já nos aflige nos outros meses do ano, se agrave ainda mais, nesse período. 

“Como se não bastassem o dia a dia agitado e a falta de tempo para o lazer, a aproximação do fim do ano nos leva a realizar um balanço de tudo o que conquistamos, uma espécie de auto-avaliação da vida pessoal, social, profissional e afetiva. Esse pode ser mais um fator gerador de ansiedade, se descobrirmos que ainda há muito por fazer pela nossa realização”, disse a psicóloga Lílian Lerner Castro, do Ambulatório de Ansiedade do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo e presidente do comitê científico da Aporta (Associação dos Portadores de Transtorno de Ansiedade). 

Com tantas exigências, buscar a serenidade pode ser uma missão difícil. Porém, vale a pena perseguir essa meta. Afinal, quando a ansiedade se torna crônica, prolongada, outros problemas de saúde podem aparecer em decorrência dessa descompensação. 
“Não vivemos sem uma certa dose de ansiedade. É graças ao desconforto que ela gera em nós que saímos da inércia e partimos para a ação. 

Porém, ela passa dos limites quando sua intensidade ou seu tempo de duração são muito grandes, provocando, inclusive, sintomas físicos, como taquicardia, tremor das mãos, suor frio”, afirmou a especialista. 
O desequilíbrio fisiológico que caracteriza os transtornos ansiosos também pode levar a alterações na pressão arterial, desarranjos no sistema digestivo, problemas de coluna, entre outros. 
Então, se a idéia é passar bem longe de todas essas complicações, algumas mudanças de comportamento podem fazer toda a diferença. 

Confira 10 dicas para diminuir a ansiedade nesse período: 

01) Em vez de se culpar pelo que não realizou no ano que está terminando, estabeleça metas a curto e longo prazo para a nova etapa da sua vida. 
“Escreva tudo o que quer conquistar e os recursos que precisará movimentar para fazer acontecer aquilo que deseja. Faça um planejamento para o ano que vem, com calma. Essa pode ser uma excelente estratégia para baixar a ansiedade”, disse a psicóloga. 

02) Programe as compras de fim de ano com o máximo de antecedência possível. Quanto mais perto do Natal, mais tempo perderá no trânsito ou mesmo no interior das lojas, pois o movimento vai aumentando gradualmente. 

03) 
Pense no que vai comprar para cada pessoa antes de sair de casa. Assim, você vai direto às lojas que vendem os artigos de que precisa. 

04) Outra dica é fazer listas, para não correr o risco de esquecer ninguém e ter de enfrentar nova maratona no shopping ou nas lojas de rua. 

05)
 Adote práticas de relaxamento, como a meditação e a ioga. Uma simples respiração profunda, feita de modo bastante lento, pode ajudar a controlar a ansiedade num momento de forte tensão. 

06) Não adote as exigências externas como um padrão. “Vivemos num mundo em que as possibilidades de escolha são muitas, assim como as exigências. Porém, é preciso reavaliar, ter em conta o que nós esperamos de nós mesmos e não apenas as cobranças dos outros em relação ao nosso desempenho”, afirmou Castro. 

Também é importante respeitar seus limites. Se a família anda cobrando mais atenção do que você pode dar, por exemplo, tenha uma conversa sincera com eles e exponha suas condições, sem culpa nem vergonha. 
Negociar prazos no trabalho também é uma medida inteligente para evitar a sobrecarga geradora de ansiedade. Permita-se ser mais flexível com as demandas que vêm de fora, aceitando que jamais conseguirá dar conta de tudo, ao mesmo tempo. 

07)
 Reavalie os problemas e obstáculos antes de se desesperar por causa deles. “Na maioria das vezes, a pessoa ansiosa vê as dificuldades de um tamanho maior do que elas realmente são. Então, a saída é tentar raciocinar de forma realista, evitando aquele péssimo hábito de sofrer por antecedência”, disse a psicóloga. 

08) Aprenda a lidar com as frustrações. Na prática, é o mesmo que transformar o que precisa ser modificado e simplesmente aceitar o que não pode ser mudado. “É necessário avaliar bem as situações que a vida nos apresenta. Em alguns momentos, não vale a pena lutar e sofrer por algo que foge à nossa responsabilidade ou às nossas capacidades. Nesse caso, o melhor a fazer é tentar se adaptar à realidade como ela é, para evitar o aparecimento de uma ansiedade completamente desnecessária”, afirmou a especialista. 

09)
 Concentre-se no presente. Estabeleça prioridades e dedique-se a uma atividade de cada vez. 

10)Faça o possível para dormir bem, se alimentar de maneira equilibrada e manter uma rotina de exercícios. Tudo isso vai garantir energia extra para as inúmeras atividades de que precisará dar conta neste período turbulento. 

(Administradores.com)
Ad

Outras notícias