Fazer terapia ou conversar com amigos: o que escolher?

Conselhos dados por amigos geralmente têm boas intenções, mas nem sempre estão adequados ao momento que a pessoa vive

Para muitos, a conversa é o caminho da cura. Ter bons amigos que nos ouvem em momentos difíceis ou na tomada de decisão ajuda a amenizar nossas questões emocionais. Porém, como podemos fazer para saber precisamente se devemos nos aconselhar com os amigos, parentes, colegas ou um profissional? Qual é exatamente a diferença entre falar com um conhecido e um psicólogo?

Em primeiro lugar, é fundamental entender o que exatamente você está vivendo e qual é o seu objetivo. Se você, por exemplo, vive um momento de dúvida e seu desejo é a tomada de decisão, possivelmente seus colegas vão lhe orientar da forma que eles acham que é o correto, as vezes, vão até mesmo escolher por você, mas raramente vão levar em conta:

  • sua história de vida passada e suas repetições de padrões
  • suas crenças e certeza negativas sobre esse ponto em questão
  • a história de vida dos seus pais e família e seus aprendizados como certos a partir deles
  • as consequências das escolhas e sua capacidade individual de lidar com elas
  • sua energia vital para o momento presente
  • sua necessidade de aprendizado para superar-se
  • suas habilidade adormecidas que merecem despertar ou mesmo o que você precisa aprender para poder atingir aquilo que tanto deseja.

Esses e outros pontos não costumam ser o centro da ajuda dos amigos. Amigos dizem com frequência: “faça o que o coração mandar”, sendo que mal sabem eles que esse “coração” é a nossa mente que, as vezes, age por impulso ou através de repetição de padrão. As vezes, com hábitos negativos instalados por uma séria de problemas emocionais, como baixa autoestima, depressão e ansiedade, e assim, algumas pessoas têm baixos resultados de sucesso pessoal. Seguir o coração nem sempre é o melhor conselho a ser dado, se não for levado em consideração para quem e em que contexto

Conselhos dados por amigos geralmente têm boas intenções, mas nem sempre estão adequados ao momento que a pessoa vive e, em alguns casos, podem ser nocivos. Isso ocorre, porque o ser humano em geral, prefere aprender uma regra e segui-la do que entender a situação como um todo, pensar e concluir para o momento.

Amigos costumam se consultar para saber: “devo responder essa mensagem?”, “como devo me portar nessa situação?” e assim por diante. E, você deve francamente analisar se seu amigo é mesmo especialista no tema que você precisa de orientação, caso contrário, cuidado.

Como funciona o processo psicoterapêutico

O processo psicoterapêutico não é um “trilho” a ser seguido, um manual de regras prontas ou receitas imediatistas. São as bases de pensamento para uma linha de raciocínio livre para crescimento pessoal. A psicologia vem a cada ano se modernizando mais e mais nas técnicas de estudo e comprovação cientifica para a cura e bem estar mental.

Com isso, são diversas perguntas, questionamentos, análises e fortalecimento pessoal. A proposta não é encontrar uma resposta para um problema único do momento, mas ser capaz de criar ferramentas internas de superação de questões da vida no geral. Isso tudo pode até acontecer de modo repetindo em poucas conversas. O psicólogo não é o amigo aconselhador, é aquele profissional que vai contribuir para que você seja capaz de pensar sua vida de forma lúcida, clara e objetiva. O tratamento é muito individualizado.

Muitos se enganam ao achar que o processo de “desabafar” é algo positivo. Grande parte da pessoas que falam compulsivamente sobre os problemas põe para fora um mundo de sentimentos negativos e sem elaboração. Sem a compreensão do que se diz a repetição e o problema se mantém. E pior que isso: reforça internamente ainda mais a memória ruim do que se viveu.

Por isso, o melhor é ter amigos para serem amigos: serem companheiros para sair, aproveitarem um belo passeio, um bate-papo descontraído, um cinema, caminhada, restaurante, e tantos outros gostosos passeios, assim, aproveitando todos juntos o melhor da vida. Ter a presença de amigos por perto nas coisas boas e/ou ruins é importante. Mas aconselhando é diferente.

Técnicas do Novo Código da PNL, Coaching de Vida, EMDR são excelentes para a cura e bem-estar emocional. Sucesso naquilo que busca e até breve!

(Minha Vida)