domingo, 27 maio, 2018

IPTU e IPVA: melhor parcelar ou pagar à vista?

Todo começo de ano é a mesma correria para lidar com o excesso de gastos, especialmente o IPTU e IPVA. Há quem prefira parcelar para diluir a despesa, enquanto outras pessoas fazem de tudo para pagar à vista e garantir um desconto. De qual time você deve fazer parte? A resposta é: depende. A seguir, entenda em quais situações parcelar e quando pagar o IPTU e IPVA em uma só tacada.

Quanto pagar IPTU e IPVA à vista

Para tomar a decisão de maneira sábia, é preciso analisar o seu comportamento financeiro ao longo do ano passado. Você se preparou para essas despesas e juntou dinheiro ao longo dos meses? Se sim, é provável que essa seja a melhor opção. Os descontos são atrativos: em São Paulo, o IPTU sai 4% mais barato e, no Rio de Janeiro, 7%. Já o IPVA tem desconto de 3% em ambas as capitais*.

Se você tiver esse dinheiro aplicado em algum investimento, é preciso analisar se vale a pena tirá-lo para o pagamento. Hoje, não existe nenhum investimento de baixo risco que ofereça um rendimento maior do que o desconto obtido no pagamento à vista. Por isso, se você tiver essa grana, sacá-la e pagar os impostos de uma vez só pode ser uma boa decisão.

No entanto, é preciso tomar cuidado. Essa alternativa apenas é válida se você tiver certeza de que não comprometerá o orçamento da família.

Há quem acredite que vale a pena pedir um empréstimo para conseguir o desconto oferecido no pagamento à vista. Porém, nem sempre essa é a melhor atitude. Ela apenas é vantajosa se você conseguir um crédito com um CET (Custo Efetivo Total) menor do que os juros cobrados pelo governo no parcelamento dos impostos. Geralmente, as menores taxas estão nos créditos consignados, então, cheque essa opção.

Apenas tome cuidado para não se atrapalhar com as parcelas do empréstimo – você deverá conseguir pagá-las e ter uma folga para juntar dinheiro para bancar o IPTU e IPVA à vista ano que vem. Não vale a pena se endividar por causa de um desconto!

Quando parcelar o IPTU e IPVA

Se você não juntou dinheiro ao longo do ano passado para este fim, ou por algum outro motivo a parcela única pesará demais no seu bolso, essa pode ser a melhor opção – mesmo considerando os juros embutidos no parcelamento.

Ao considerar essa alternativa, veja se as parcelas cabem em seu orçamento – do contrário, as prestações podem acabar prejudicando seu planejamento financeiro e você acabará enrolada em meio a tantas contas. Se necessário, faça cortes em outras áreas do orçamento e nunca, jamais, apele para o cheque especial ou pagamento com cartão de crédito.

E fica a lição de casa: junte dinheiro ao longo do ano para, da próxima vez, quitar o IPTU e IPVA à vista e conseguir um belo desconto.

(Finanças Femininas) 
Ad

Outras notícias